Doenças A a Z

A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
M
N
O
P
Q
R
S
T
U
V
W
X
Y
Z

D

O daltonismo (também chamado de discromatopsia ou discromopsia) é uma perturbação da percepção visual onde se vê várias cores caracterizada pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores, sendo as mais frequentes o vermelho e o verde.

É a forma mais intensa e complicada da síndrome de abstinência.

A depressão é uma doença mental que se caracteriza por tristeza mais marcada ou prolongada, perda de interesse por actividades habitualmente sentidas como agradáveis e perda de energia ou cansaço fácil.

A dermatite (eczema) é uma inflamação das camadas superficiais da pele que é acompanhada de bolhas, vermelhidão, inflamação, supuração, crostas, escamação e, frequentemente, comichão.

A dermatite atópica é uma inflamação crónica pruriginosa nas camadas superficiais da pele e costuma afectar indivíduos que têm febre dos fenos ou asma, ou então familiares com estas doenças, sendo que os afectados por este tipo de dermatite costumam apresentar muitas outras perturbações alérgica

A atopia é uma doença adquirida por herança genética que, na pele, causa lesões inflamatórias, designadas por dermatite atópica ou eczema atópico. A pessoa que sofre de atopia, além da dermatite atópica ou eczema atópico, pode apresentar asma ou rinite alérgica.

A dermatite crónica das mãos e dos pés inclui um conjunto de perturbações em que as mãos e os pés se inflamam e se irritam com frequência. Dá-se em consequência de uma sucessão de contactos com substâncias químicas.

A dermatite de contacto é uma inflamação causada pelo contacto com uma determinada substância. A erupção fica confinada a uma área específica e costuma ser bem delimitada.

A dermatite de estase é uma vermelhidão crónica com escamação, calor e tumefacção (inflamação) que afecta a parte inferior das pernas, cuja pele no fim adquire uma cor castanho-escura.

A dermatite esfoliativa generalizada é uma inflamação grave que afecta toda a superfície da pele e evolui para uma vermelhidão extrema acompanhada de grande escamação.

A dermatite numular é uma erupção persistente que geralmente provoca comichão, aliada a uma inflamação caracterizada por manchas com forma de moeda que apresentam bolhas minúsculas, crostas e escamas.

A dermatite por comichão localizada (líquen simples crónico, neurodermite) é uma inflamação crónica superficial da pele que provoca uma comichão intensa. Provoca secura, escamação e o aparecimento de placas escuras e grossas de forma oval, irregular ou angulosa.

A dermatite seborreica é uma inflamação das camadas superficiais da pele que provoca escamas no couro cabeludo, na cara e, ocasionalmente, noutras zonas. Afecta habitualmente vários membros da mesma família e o clima frio costuma piorá-la.

É mais frequentemente observado nos membros inferiores dos adultos, mas pode ocorrer em qualquer localização. A lesão apresenta-se como um nódulo firme, deprimido ou elevado, ou como placas, variando em tamanho de alguns milímetros a vários centímetros.

A desnutrição é a ingestão ou absorção inadequada de nutrientes necessários para satisfazer as necessidades energéticas e de crescimento do organismo.

A perturbação de despersonalização caracteriza-se por sentimentos persistentes ou recorrentes de estar separado do próprio corpo e dos seus processos mentais e, muitas vezes, ocorre depois de o indivíduo experimentar uma situação com perigo de morte, como um acidente, um assalto ou uma tensão ou

A diarreia é um aumento no volume, liquidez ou frequência das dejecções. Uma pessoa com uma diarreia provocada por um problema médico significativo normalmente elimina um grande volume de matéria fecal, muitas vezes mais de 0,5 kg de fezes por dia.

Pouco frequente nos países desenvolvidos, trata-se de uma infecção contagiosa causada pela bactéria Corynebacterium difteriae que é transmitida através da tosse e por objectos ou alimentos que estejam contaminados.

A disfagia pode ser definida como dificuldade de deglutição e que pode conduzir a uma má alimentação e desidratação. Caracteriza-se por um sintoma comum de diversas doenças. Trata-se de um problema que afecta principalmente os idosos que padecem de doenças degenerativas.

Também conhecida como impotência sexual, traduz-se na incapacidade em atingir ou manter uma erecção que permita uma relação sexual satisfatória.

Segundo a Federação Mundial de Neurologia, trata-se de uma perturbação que se manifesta pela dificuldade na aprendizagem da leitura, apesar de uma educação convencional, uma adequada inteligência e oportunidades socioculturais.

Também conhecida como cólica menstrual, é uma dor pélvica que ocorre antes ou durante o período menstrual, que afeta cerca de 50% das mulheres em idade fértil. Pode ser primária ou secundária, dependendo da existência ou não de alterações estruturais do aparelho reprodutivo.

(Ver também Indigestão) A dispepsia é uma dor ou um mal-estar na parte alta do abdómen ou no peito que muitas vezes é descrita como ter gases, sensação de estar cheio ou como uma dor corrosiva ou urgente (ardor).

Consiste na inflamação ou infecção de um ou mais divertículos.

Os divertículos são pequenas dilatações saculares ou bolsas formadas pela exteriorização ou herniação da mucosa e da serosa do cólon através da camada muscular da parede deste órgão. Em regra são de pequena dimensão, desde alguns milímetros até poucos centímetros.

A doença celíaca é uma doença que danifica o aparelho digestivo, intestino delgado,  interferindo com a absorção de nutrientes do alimento.

Descrita pela primeira vez em 1882 por um estudante de medicina - Philippe Gaucher -, trata-se de uma doença genética, de transmissão autossómica recessiva e que, em Portugal, atinge cerca de 140 pessoas.

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) é um tipo de doença pulmonar obstrutiva caracterizada pela diminuição prolongada do calibre das vias aéreas respiratórias e destruição do tecido pulmonar. Entre os principais sintomas estão falta de ar e tosse com produção de expetoração.

As medidas tomadas dependem do tipo de dor, que pode associar-se a tumefação, sinal de abcesso dentário ou gengival ou por outras causas que requerem identificação.

São doenças infecciosas que se transmitem essencialmente (porém não de forma exclusiva) pelo contacto sexual (vaginal, oral e/ou anal). O uso de preservativo tem sido considerado como a medida mais eficiente para prevenir a contaminação e impedir sua disseminação.

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.