Doenças A a Z

A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
M
N
O
P
Q
R
S
T
U
V
W
X
Y
Z

C

O cálculo renal, também designado por pedra nos rins ou litíase renal, é uma massa dura formada por cristais que se separam da urina e se unem para formar pedras nos rins. Sob condições normais, a urina contém substâncias que previnem a formação desses cristais.

Doença caracterizada por uma população de células que cresce e se divide sem respeitar os limites normais, invade e destrói tecidos adjacentes, e pode espalhar-se para lugares distantes no corpo através de um processo chamado metástase.

Há várias formas de cancro da bexiga, que podem manifestar-se de diferentes maneiras. São bem mais frequentes nos homens do que nas mulheres e sua incidência aumenta com a idade, geralmente após os 60 anos, sendo raro antes dos 40.

A designação de Cancro da Cabeça e Pescoço refere-se a um conjunto de tumores malignos que têm origem em órgãos da cabeça e/ ou do pescoço, agrupando todos os cancros das vias aerodigestivas superiores, como o cancro da laringe, o cancro da cavidade oral, cancro da língua, cancro da orofaringe,

O carcinoma basocelular, ou basalioma,é um tumor da pele, de crescimento lento, que a maioria das vezes aparece na pele exposta ao sol.

O carcinoma de células escamosas, ou carcinoma espinocelular, muitas vezes tem origem em queratoses actínicas e assemelha-se ao carcinoma basocelular. No entanto, a superfície é geralmente mais elevada e dotada de uma crosta. Por vezes pode ser confundido com uma verruga.

Trata-se de uma cavidade (outra forma de dizer dentes cariados) em que o esmalte é a primeira área a ser atingida, seguindo-se a dentina e posteriormente a polpa dentária.

Uma catarata é uma opacidade (névoa) no cristalino do olho que dificulta a visão. As cataratas provocam uma perda progressiva e indolor da visão.

É uma doença que conduz à destruição do fígado. É também chamada de doença hepática crónica e caracteriza-se pela morte das suas células (necrose), aparecimento de cicatrizes (fibrose) e alteração da sua estrutura (regeneração nodular). Crónica significa que se estende por meses ou anos.

A cistite é uma infecção (inflamação) da bexiga. Em geral, é causada pela bactéria Escherichia coli, presente no intestino e importante para a digestão. No tracto urinário, porém, essa bactéria pode infectar a uretra (uretrite), a bexiga (cistite) ou os rins (pielonefrite).

Infeção bacteriana transmitida sexualmente, de maior prevalência nos adolescentes e adultos jovens.

Agente: Chlamydia trachomatis

Trata-se de um distúrbio psicopatológico cuja principal característica é o fracasso recorrente em resistir ao impulso de furtar objectos, completamente desnecessários para o uso pessoal e desprovidos de valor monetário.

A cólera é uma infecção do intestino delgado causada pela bactéria Vibrio cholerae. As bactérias da cólera produzem uma toxina que faz com que o intestino delgado segregue quantidades imensas de um líquido rico em sais e minerais.

Podemos encontrar o colesterol em todas as células do nosso organismo. O colesterol é usado no nosso corpo para construir células saudáveis, e é essencial para a produção de algumas hormonas vitais.

Uma recente pesquisa global mostra que praticamente um quarto da população é afectada por dor e cólicas abdominais. A pesquisa mostrou que 22% dos homens e 31% das mulheres sofre de cólicas, dor ou desconforto abdominal.

Também denominada síndrome do cólon irritável, refere-se a uma condição inflamatória do intestino, cuja origem é ainda pouco clara, podendo depender de factores imunológicos, infecciosos ou até da predisposição genética.

A colite ulcerosa é uma doença crónica em que o intestino grosso se inflama e úlcera, provocando diarreia com sangue, cólicas e febre. Pode começar em qualquer idade, mas normalmente surge entre os 15 e os 30 anos.

Estado no qual uma pessoa perde completa ou parcialmente a consciência, não tem reacções nervosas ou reage pouco ou nada aos estímulos externos.

Embora habitualmente associada ao aumento das secreções nasais, a congestão nasal, ou nariz entupido como é popularmente conhecido, é devida a uma inflamação da mucosa que dá origem à dilatação dos vasos sanguíneos, aumento da permeabilidade capilar e consequente edema.

A conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva, geralmente causada por vírus, por bactérias ou por uma alergia.

A doença de Creutzfeldt-Jacob (encefalopatia espongiforme subaguda) é uma infecção progressiva, inevitavelmente mortal, que produz espasmos musculares e uma perda progressiva da função mental. Existe em todo o mundo, mas pouco se sabe de como se transmite.

A doença de Crohn é uma inflamação crónica que pode atingir qualquer região do tubo digestivo, desde a boca até ao ânus, embora se localize, mais frequentemente, no último segmento do intestino delgado (íleon) e no intestino grosso.

O crupe é uma infecção viral contagiosa dos canais respiratórios superiores que provoca dificuldade em respirar, sobretudo ao inspirar. Pode ser causado por muitos vírus diferentes, mas no Outono, o vírus parainfluenza é a causa mais provável.

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.