Conheça:

Sistema digestivo

O sistema digestivo é o responsável pela separação dos alimentos nos nutrientes que os constituem, de modo a poderem ser utilizados pelo organismo.

O sistema digestivo ou gastrointestinal inclui o tubo digestivo que é constituído por: boca, faringe, esófago, estômago, intestino delgado, intestino grosso e recto, e órgãos glandulares - glândulas salivares, glândulas estomacais, fígado e pâncreas - que segregam substâncias que lançam no interior desse tubo. Um conjunto de órgãos que têm por função a realização da digestão.

A função do aparelho digestivo é transferir as moléculas orgânicas, água e sais minerais que constituem a alimentação para o meio interno do organismo, de modo a que os átomos e moléculas que os constituem possam ser distribuídos pelas células através do sistema circulatório. Ou seja, é o sistema responsável por obter dos alimentos ingeridos os nutrientes necessários às diferentes funções do organismo, como crescimento, energia para reprodução, locomoção, etc.

O tubo digestivo de um adulto mede aproximadamente 8/9 metros de comprimentos desde a boca até ao ânus, e o seu interior está em contacto com o exterior através desses dois orifícios, o que quer dizer que, em sentido estrito, o conteúdo do tubo digestivo é exterior ao corpo humano.

Ao contrário do que geralmente se imagina, a eliminação de produtos desnecessários (excreção) não é uma função principal do aparelho digestivo. O maior responsável pela eliminação dos resíduos é, no corpo humano, o aparelho renal, enquanto as fezes são, maioritariamente, constituídas por materiais não digeridos e por bactérias que residem no tubo digestivo, isto é, por materiais que nunca penetram, de facto, no corpo humano.

Divisão do sistema digestivo
Este sistema é dividido em trato gastrointestinal superior, trato gastrointestinal inferior e glândulas acessórias.

O trato gastrointestinal superior é composto pela boca, pela faringe, pelo esófago e pelo estômago. Na boca, ocorre o processo de mastigação que, junto com a salivação, secreção das glândulas salivares (água, muco e enzima), degrada o amido pela acção da ptialina (que inicia o processo de digestão dos hidratos de carbono presentes no alimento), em maltose, e ainda faz os movimentos que ajudam a deglutir o alimento, fazendo-o passar para o esófago.

A faringe auxilia no processo de deglutição (acto de engolir). O esófago é o canal de passagem para onde o bolo alimentar é empurrado por meio de contracções musculares (movimentos peristálticos) até o estômago.

No estômago, inicia-se o processo de formação do quimo (quimificação), onde actua a pepsina, enzima que transforma (quebra) as proteínas em peptídeos (cadeias menores de aminoácidos). O estômago é um órgão em formato de bolsa com um PH muito ácido. Mistura o bolo alimentar com a secreção gástrica (água, muco, ácido clorídrico e enzimas), tornando-o mais líquido e ácido - quimo - para aos poucos ser encaminhado para o duodeno.

Trato gastrointestinal inferior é composto pelo intestino delgado e intestino grosso, este último dividido em quatro partes distintas: ceco, cólon, apêndice e o recto.

Ao tubo digestivo estão associadas glândulas que produzem sucos digestivos ricos em enzimas e outras substâncias que ajudam a dissolver os alimentos. O fígado intervém, ainda que não produza qualquer suco digestivo mas, sim, a bílis que funciona como emulsificante (ajuda a quebrar a gordura em gotas de pequena dimensão, de forma a facilitar a absorção, ou seja, a digestão). As glândulas/órgãos/estruturas anexas são as glândulas salivares, glândulas gástricas (na parede interna do estômago), glândulas intestinais (na parede interna do intestino delgado), pâncreas e fígado.

Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock