Actualidades

Ministra da Saúde
Os hospitais do Serviço Nacional de Saúde vão precisar, nos próximos três anos, de 500 milhões de euros de investimento em equipamentos, com base numa análise das necessidades prioritárias feita pelo Ministério da Saúde.
Este natal dê um presente ao seu coração
A Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular vai promover uma iniciativa de sensibilização para a prevenção da doença coronária com o mote “Este natal dê um presente ao seu coração”. O objetivo é alertar para a importância de adotar um estilo de vida saudável.
Patologia degenerativa osteoarticular tem vindo a aumentar
Representando um importante problema médico, social e económico, estima-se que cerca de metade da população portuguesa sofre ou...
Contestada devolução de 38M à ADSE
A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada diz desconhecer o parecer da Procuradoria-Geral da República favorável à devolução de 38 milhões ao sistema de saúde da função pública (ADSE), contestam esta posição e vão convocar com urgência uma Assembleia Geral.
Excessos de faturação
Os hospitais e clínicas privados terão de devolver 38 milhões de euros à ADSE, sistema de saúde da função pública, devido a excessos de faturação efetuados entre 2015 e 2016, segundo um comunicado divulgado ontem pelo instituto público.
Bastonária dos enfermeiros
A bastonária da Ordem dos Enfermeiros considerou que, apesar da "bondade da nova lei" de bases da Saúde, a legislação "não vai resolver os problemas imediatos" do Serviço Nacional da Saúde.
Profissionais de saúde
O curso de pós-graduação sobre mutilação genital feminina para profissionais de saúde conta este ano com o apoio do Governo, que introduziu melhorias em relação a edições anteriores, indicou ontem o executivo.
Governo
A ministra da Saúde afirma que a proposta do Governo para a Lei de Bases da Saúde respeita o “espírito da proposta” da comissão presidida por Maria de Belém e é ideologicamente coerente com o que defende o executivo.
Ministra da Saúde
A proposta do Governo para a Lei de Bases da Saúde dá uma “indicação muito clara” de que o país deve evoluir para “uma dedicação plena dos profissionais de saúde”, de modo voluntário, ao Serviço Nacional de Saúde.
Pontos essenciais
A nova Lei de Bases da Saúde, ontem aprovada pelo Governo, condiciona o recurso a privados à avaliação das necessidades e elimina o apoio ao “desenvolvimento do setor privado da saúde em concorrência com o setor público”.

Páginas

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.