Actualidades

Artigo de opinião
A chegada do inverno afeta não só o clima, mas também o funcionamento do organismo. As baixas temperaturas têm impacto no corpo...
Universidade de Coimbra
Um grupo de investigadores desenvolveu um tubo-guia biodegradável para regeneração após lesões de nervos periféricos, sistema “responsável pela função motora e/ou sensorial”, anunciou hoje a Universidade de Coimbra.
Soluções rápidas e eficazes para esta altura do ano
Estamos (finalmente) no mês de dezembro. Com o início da época natalícia vêm também os jantares de natal da empresa, os...
Universidade de Aveiro
Uma tecnologia sustentável e de maior eficácia na extração de anticorpos da gema de ovo para o combate a infeções bacterianas resistentes, proposta por investigadores da Universidade de Aveiro, venceu o concurso Born from Knowledge, na categoria Saúde.
Em 2019
O governador de Nova Iorque defendeu ontem a legalização da canábis para efeitos recreativos no seu Estado, incluindo esta medida no seu discurso sobre as prioridades para o próximo ano.
No Porto
A administração do Centro Hospitalar de São João, no Porto, vai receber o anteprojeto da nova ala pediátrica na quarta-feira, prevendo arrancar com as obras no fim do primeiro semestre de 2019, adiantou ontem em comunicado.
Após renúncia de Jorge Simões
Henrique Barros, ex-coordenador Nacional para a Infeção VIH/Sida, é o novo presidente do Conselho Nacional de Saúde, substituindo Jorge Simões que renunciou ao cargo invocando “motivos pessoais”, uma mudança publicada hoje em Diário da República.
Especialista
É um diagnóstico duro. Informar um jovem saudável, sem sintomas ou sinais de doença, que a genética lhe atribui um lugar num grupo restrito de pessoas com Neuropatia Ótica Hereditária de Leber (LHON), doença rara, hereditária, incapacitante e que provoca uma perda de visão rápida e, na maior parte dos casos, permanente, é difícil.
Estudo
Uma experiência de investigadores da Universidade de Lisboa comprovou que os morcegos são um controlo de pragas natural eficaz, salvando culturas de arroz dos insetos e evitando a desflorestação.
PTSD dificulta o relacionamento interpessoal
A Perturbação de Stress Pós-Traumático, mais conhecida pela sua sigla em inglês PTSD (Post Traumatic Stress Disorder), é a...

Páginas

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.