Em diferentes grupos populacionais

Actividade física

A actividade física é fundamental ao longo de toda a vida, pois pode prevenir doenças, manter uma boa condição física e combater ou retardar doenças. É importante criar hábitos saudáveis para um crescimento e percurso de vida com o mínimo de riscos de desenvolvimento de doenças.
Exercício físico mulheres crianças idosos

Nas crianças e nos adolescentes o exercício físico regular traduz-se em inúmeros benefícios tanto a nível físico como mental e social. Existem estudos que confirmam que um adolescente que participe regularmente em actividades físicas tem menor probabilidade de vir a tornar-se num fumador. Assim como a nível de resultados académicos e desenvolvimento das capacidades sociais, os resultados poderão ser muito mais positivos do que os de um adolescente que não pratique qualquer tipo de actividade física.

É cada vez mais difícil promover este tipo de actividades junto dos jovens, pois as novas tecnologias, a que uma grande parte adere facilmente, acabam por promover exactamente o contrário. A inactividade e o aumento de peso estão cada vez mais presentes entre os jovens, sendo por isso uma obrigação de cada estabelecimento de ensino promover e providenciar exercício físico adequado e em igualdade de circunstâncias, durante e após o horário escolar, para todos os alunos.

As mulheres podem desenvolver doenças cardiovasculares, sendo esta a causa de morte de metade das mulheres acima dos 50 anos. A prática de exercício físico regular, associado a bons hábitos alimentares, ajuda a prevenir este tipo de doenças assim como casos de diabetes não insulino-dependentes.

Após a menopausa o risco das mulheres virem a desenvolver osteoporose é mais elevado comparativamente ao sexo masculino, e, também aqui, a actividade física é um importante factor de prevenção desta doença.

Também a depressão é uma doença que afecta em maior número o sexo feminino, logo ao praticar exercício físico consegue-se diminuir o stress, a ansiedade e a solidão, três condições que contribuem em muito para a depressão.

É preciso ter em consideração que em meios rurais, ou de baixo nível socioeconómico, as mulheres participam activamente em trabalhos fisicamente mais árduos gerando assim estados físicos de exaustão. Nestes casos há que procurar actividades adequadas à condição física apresentada e se possível associadas a actividades de lazer.

O aumento de pessoas idosas é sem dúvida um sinal positivo de desenvolvimento. Mas para que este aumento da longevidade de vida seja saudável, há que ter em conta quais as condições e indepêndencia física e mental dessas pessoas.

A actividade física melhora a força, o equilíbrio, a coordenação, a flexibilidade, a resistência, a saúde mental, o controlo motor e a função cognitiva. Ajuda a prevenir as quedas (a maior causa de incapacidade entre a população idosa).

Caminhadas e sessões organizadas de exercício físico, adequadas a cada idoso, permitem o convívio social, reduzindo sentimentos de solidão ou de exclusão social.

Às pessoas com incapacidades devem ser fornecidas oportunidades e suporte para poderem praticar desporto e exercício físico adaptado às suas condições físicas.

O objectivo é ajudar as pessoas com incapacidades a melhorarem a sua força muscular, o seu bem-estar psicológico e a sua qualidade de vida, aumentando a possibilidade de poderem praticar diariamente actividade física.

Fonte: 
Portal da Saúde
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock