Mais frequente em mulheres

Melasma

Um problema cutâneo que afecta sobretudo mulheres.
Melasma

Melasma é um distúrbio pigmentar da pele caracterizado por manchas escuras na pele. Ocorre principalmente no rosto, mas pode surgir no tronco, pescoço e membros superiores. É uma consequência do aumento de melanina na pele.

É mais frequente em mulheres e, nos homens, tem-se a ideia que sejam afectados cerca de 10 por cento. Nas mulheres é habitual surgir durante a gravidez, quando tomam a pílula ou seguem uma terapia hormonal de substituição na menopausa. As pessoas mais morenas têm maior probabilidade de vir a ter melasma porque a sua pele produz mais pigmentos. A exposição da pele ao sol é um factor desencadeante.

O melasma pode acontecer simetricamente - nos dois lados da face e pode também ser chamado de cloasma. Este distúrbio deve ser considerado crónico, com tratamento e prevenção contínuos, no entanto existem casos onde o melasma desaparece após tratamento e controle adequados.

O melasma pode ainda ser de vários tipos, conforme a profundidade em que se localiza: pode ser epidérmico (mais superficial e que responde melhor ao tratamento), dérmico (mais profundo e de tratamento mais difícil) ou misto.

Causas do melasma

O melasma é causado por vários factores, com destaque para características genéticas, alterações hormonais, tais como gravidez, uso de anti-concepcionais e principalmente os raios ultravioletas e infravermelhos.

Outros factores de risco podem incluir a fotossensibilidade a determinados medicamentos ou cosméticos ou ainda problemas de tiróide.

Sintomas do melasma

Resumem-se ao aparecimento de manchas de cor café, que se desenvolvem gradualmente, sobretudo nas bochechas, no nariz, no lábio superior e na testa. Costumam ser iguais nos dois lados da cara.

As manchas geralmente têm limites precisos e são irregulares, formando placas que, em seu contorno, apresentam pontilhado pigmentar.

Tratamento do melasma

O melasma associado à gravidez pode desaparecer espontaneamente após a gravidez, não exigindo, às vezes, nenhum tipo de tratamento.

Contudo, o tratamento é feito com o uso de substâncias despigmentantes, aplicadas na pele. A associação dos despigmentantes com alguns tipos de ácidos geralmente aumenta a eficácia daqueles. Quando o pigmento se localiza mais profundamente a melhoria é mais difícil, exigindo persistência para se obter um bom resultado.

O entanto, para o tratamento do melasma é fundamental o uso de protectores solares potentes, sempre que houver exposição da pele ao sol, devendo dar-se preferência aos que contenham filtros físicos, que bloqueiam a passagem da radiação UV. Após a melhoria, a protecção solar deve ser mantida para evitar o retorno das manchas, que ocorre com bastante frequência.

O sucesso depende do acompanhamento dermatológico regular e da consciencialização do doente nos factores de prevenção. Durante a gravidez, o tratamento é mais suave, por forma a não prejudicar o feto.

Prevenção do melasma

Deve evitar expor-se muito ao sol. Para além disso deve usar todo o ano, diariamente, cremes com índice protector. Proteja-se também com óculos de sol e chapéu e evite apanhar sol.

Artigos relacionados

Conheça os melhores aliados para uma pele mais saudável e protegida do sol

O que a pele revela sobre a sua saúde

Fotossensibilidade: os cuidados a ter com a pele no verão

Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock