Recomendações

Vestuário e calor

As emissões provenientes do sol e que atingem a superfície terrestre incluem a luz visível, o calor e a radiação Ultra Violeta (UV). A escolha do vestuário deve ter em conta o controlo da temperatura corporal e a protecção dos raios UV.
Roupa e calor

Se não se proteger do sol, a exposição excessiva pode acarretar vários problemas de saúde, dos quais se destacam, no caso do calor, a desidratação e o golpe de calor e, no caso dos ultravioletas, o cancro da pele e as cataratas.

O vestuário e demais acessórios constituem elementos adoptados pelo homem na protecção não só do calor e do frio, mas também da radiação UV e de outros elementos externos agressivos ao organismo.

Em Portugal, os níveis de UV são frequentemente elevados durante todo o ano, independentemente da temperatura. Porém, enquanto no Inverno a utilização de roupas relativamente densas e que cobrem grande parte do corpo permite proteger, em simultâneo, do frio e das radiações UV, na época de Verão, as temperaturas mais elevadas levam à diminuição do número de peças de roupa e, consequentemente, à exposição de grande parte do corpo, muitas vezes sem a consciência dos efeitos que daí podem advir para a saúde humana.

Assim, em períodos de temperaturas amenas ou elevadas, a escolha do vestuário deve ter em conta o controlo da temperatura corporal (libertando-o do calor em excesso), mas também os raios UV, que podem apresentar níveis elevados mesmo quando as temperaturas são baixas.

Protecção face ao calor
O vestuário apropriado é uma das condições essenciais para a libertação do calor excessivo, salientando-se os seguintes aspectos:

  • Devem usar-se peças de roupa leves, largas e frescas, de preferência de algodão ou poliéster. Quando exposto ao sol, se os tecidos forem pouco densos, optar pelas cores escuras. Quando o tecido é mais denso, não poroso, optar pelas cores claras. Deve aplicar-se protector solar nas áreas expostas directamente ao sol;
  • Se andarem ao ar livre, as crianças e pessoas de pele clara devem usar chapéu, de preferência de abas largas e óculos escuros;
  • Durante a noite, dormir com roupas leves e largas;
  • No caso dos bebés, nos períodos de sono ao longo do dia, utilizar vestuário leve, sem os cobrir com lençóis ou cobertores;
  • Os familiares de idosos que revelem insensibilidade à temperatura ambiente devem procurar aconselhá-los na roupa que utilizam.

Protecção contra radiação ultravioleta
O espectro de radiação UV cobre o intervalo de comprimentos de onda entre os 100 e os 400 nanómetros (milionésimo de milímetro) e divide-se em três zonas (UVA, UVB e UVC).

À medida que a luz atravessa a atmosfera, toda a radiação UVC e grande parte da UVB (cerca de 90%) são absorvidas pelos gases nela contidos (ozono, vapor de água, oxigénio e dióxido de carbono). A radiação UVA é aquela que é menos filtrada pela atmosfera e que mais atinge a terra.

Os níveis de radiação são influenciados por alguns factores ambientais como a altura a que o Sol se encontra, a latitude, o céu encoberto, a altitude, o ozono e a reflexão do solo.

Nos meses de Verão, em que a exposição à radiação solar é mais frequente e, consequentemente, a exposição à radiação UV é maior, deve ter-se particular atenção quando:

  • O céu se apresenta encoberto, pois mesmo nestes casos os níveis de radiação UV podem ser elevados, devido à sua dispersão pelas moléculas de água e outras partículas da atmosfera;
  • Ocorre reflexão, uma vez que a radiação UV é reflectida em vários graus por diferentes superfícies, por exemplo, a areia seca da praia reflecte cerca de 15% da radiação e a espuma do mar cerca de 25%;
  • Se permanece debaixo de uma sombra, por exemplo, a sombra de uma árvore ou de um chapéu-de-sol, esta não oferece suficiente protecção contra a radiação UV.

No entanto, a melhor e mais eficaz protecção para a pele contra a radiação ultravioleta é o uso de roupa apropriada e que cubra o corpo o máximo possível.

Contudo, nem todas as peças de vestuário são adequadas quando se trata de proteger a pele, com eficácia, contra a radiação UV. Devem ter-se em atenção algumas características, como o design da peça de roupa, a densidade e composição do tecido, a cor, o grau de elasticidade e o conteúdo de humidade.

  • A protecção contra a radiação UV é tanto maior quanto maior for a densidade do tecido, ou seja, com uma composição hermeticamente tecida ou de malha;
  • A maioria dos tecidos de algodão ou com uma mistura de algodão com poliéster providenciam uma boa protecção contra a radiação UV. Os algodões contêm pigmentos especiais - denominados ligninas - que actuam como absorvedores de UV, enquanto os poliésteres reflectem a radiação;
  • As cores mais escuras (preto, azul, verde ou vermelho escuro), apesar de se tornarem mais quentes, são mais eficazes do que as mais claras (branco, azul ou verde claro) em bloquear a passagem da radiação UV;
  • A maior parte das peças de vestuário oferece pouca protecção à radiação UV quando se encontram húmidas, esticadas ou desgastadas. Contudo, a lavagem repetida pode aumentar o nível de protecção, principalmente em tecidos como o algodão, pela redução dos espaços existentes entre as fibras do tecido.

Durante os últimos anos, foi introduzido o conceito de Factor de Protecção Ultravioleta (UPF) e, em alguns países, os fabricantes incluem este factor nas etiquetas de vestuário. UPF indica a quantidade de radiação UV que é absorvida pela peça de roupa e é o equivalente ao Factor de Protecção Solar (SPF) nos protectores solares.

Quanto maior for o valor de UPF menor é a quantidade de radiação UV que atinge a pele. Por exemplo, um material com uma UPF de 20 apenas permite a passagem de 1/20 da radiação UV para a pele, ou seja, o material absorve 95% da radiação deixando passar 5%.

Actualmente, já se encontra à venda vestuário específico para protecção UV. Este tipo de vestuário é especialmente tratado com determinados compostos absorvedores de UV, que previnem a passagem de radiação UVA em UVB, sem alterar as suas características e conforto.

Sempre que haja exposição solar, para além dos cuidados na escolha do vestuário, é importante que se utilizem protectores solares de índice elevado (igual ou superior a 30), pois estes constituem uma forma eficaz de protecção contra os efeitos indesejáveis provenientes do sol.

Recomendações gerais
A escolha do vestuário deve ser feita de modo a ser eficaz na protecção contra o calor excessivo, mas também contra as radiações UV, recomendando-se:

  • Em períodos de temperaturas elevadas, se permanecer a maior parte do dia dentro de edifícios, a atenção deverá centrar-se no efeito protector contra o calor;
  • Se pretender permanecer longos períodos em ambientes exteriores, deverá evitar a exposição directa ao sol, em especial, entre as 11 e as 17 horas e utilizar protector solar com índice de protecção elevado (igual ou superior a 30) de duas em duas horas, tendo em consideração as seguintes situações:
  1. Em períodos de temperaturas amenas, a atenção deverá centrar-se no efeito protector contra a radiação UV;
  2. Em períodos de temperaturas elevadas, deverá procurar conjugar os efeitos protectores contra o calor e radiação ultravioleta. Uma vez que os factores de protecção relacionados com a cor e a densidade do tecido variam de forma inversa, quando o nível de radiação UV for elevado, deverá conjugar-se uma peça de roupa mais clara mas com uma densidade maior ou uma peça de roupa escura com uma densidade menor.
Fonte: 
Portal da Saúde
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock