Escolha o protector mais indicado para a sua pele

Protecção solar adequada

Este Verão, desfrute do sol e da praia mas antes, escolha o protector solar que mais se adequa à sua pele e à da sua família.
Protecção solar

A exposição ao sol é um factor de bem-estar, mas torna-se prejudicial se ignorar determinadas regras. A radiação solar é necessária à produção de vitamina D no nosso organismo, mas essa radiação pode também provocar queimaduras dolorosas, o envelhecimento precoce da pele e lesões cutâneas potencialmente graves.

As precauções relativamente ao sol aplicam-se a toda a gente, mas são especialmente importantes no caso das crianças e das pessoas com tipos de pele mais sensíveis.

E não se pense que a protecção solar é apenas importante no Verão e durante os meses mais quentes, pois durante todo o ano existem raios ultravioletas (UV). Mas mesmo durante o Verão, ainda há muitas pessoas que não usam protector solar, seja porque acham que ficam gordurosas, porque não querem ter o trabalho ou porque não querem gastar dinheiro. A verdade é que os raios UV estão cada vez mais perigosos e a nossa camada de ozono cada vez mais frágil, o que nos deixa menos protegidos. Mesmo quando temos roupa, os raios UV continuam a passar os tecidos e podem queimar-nos. Os riscos de não usar protector solar são o envelhecimento precoce, manchas escuras na pele, aparecimento de sinais, desidratação e cancro da pele. Hoje em dia existem inúmeros protectores solares no mercado, para todos os gostos e necessidades e para todas as carteiras, pelo que não há desculpa para não usar um. Ter alguns cuidados e aplicar correctamente o protector solar mais adequado à sua pele é, pois, de suma importância. A melhor forma de ter a certeza que está a optar por um protector solar adequado é saber se as substâncias e a textura de cada produto são indicadas para o seu tipo de pele.

Há protectores físicos e químicos. Os primeiros contêm substâncias como o dióxido de titânio que reflectem os raios ultravioletas. Os segundos absorvem a radiação filtrando-a (como os filtros químicos PABA ou cinamatos). A maior parte dos protectores solares existentes actualmente no mercado é mista. Ou seja, filtram e absorvem ou reflectem os raios ultravioletas.

A escolha certa
A escolha do protector solar deve estar de acordo com cada tipo de pele (oleosa, mista ou sensível) e adequado ao fototipo. Quanto mais claro for (fototipo 1 e 2) mais alto deve ser o factor de protecção solar. Idealmente, deve proteger diariamente, no Inverno, as zonas expostas ao sol com um protector solar com um índice de protecção mínimo 20 e, a partir da Primavera, com um índice de protecção 40 ou 50+.

Em férias passadas ao sol e na praia, é recomendado o uso de um protector com índice de protecção alto. As fórmulas em gel são mais indicadas para as peles oleosas e mistas, já as fórmulas de creme são indicadas para peles secas pelo poder hidratante que têm. Geralmente, os homens preferem o spray porque é mais fácil de espalhar.

Ainda há quem aplique o protector solar apenas ao chegar à praia, ou seja, quando já está exposto às radiações solares. Contudo, o correcto, é aplicar o protector em casa, sem roupa, bem espalhado e numa dose que faça cumprir o índice indicado. Uma vez na praia, repete-se a aplicação várias vezes.

Escolher o Factor de Protecção Solar (FPS)
O FPS (ou Factor de Protecção Solar), SPF em inglês (Sun Protection Factor) define o tempo que a pele pode estar ao sol sem se queimar. Assim, se habitualmente a sua pele consegue ficar 10 minutos ao sol sem se queimar, significa que usando um protector solar de factor 20, a sua pele estará 200 minutos ao sol sem se queimar, usando um factor 50, estará 500 minutos ao sol sem se queimar, sempre dependendo um pouco do fototipo da pessoa. Isto, claro, se o protector solar for bem aplicado.

Segundo a The Skin Cancer Foundation International devemos usar o equivalente a uma colher de sopa em cada zona do corpo (uma colher de sopa para cada braço, cada perna, cada coxa, etc.) e reaplicar a mesma quantidade de 2 em 2 horas ou sempre que saímos da água e nos expomos ao sol, sendo que a primeira aplicação deve ser sempre 15/30 minutos antes de sair de casa. Nunca se deve usar um factor de protecção solar inferior a 15, a não ser que seja o final da tarde e a pele já esteja bronzeada, sendo que nessa altura se poderá usar 6/10, mais uma vez dependo do fototipo de cada um.

Cuidados a ter antes e durante a exposição ao sol

1. Evite expor-se ao sol entre as 11 e as 16 horas;

2. Aplique um bom protector solar com meia hora de antecedência;

3. Atenção às zonas particularmente sensíveis: lábios, rosto, ombros, face anterior dos braços e pernas;

4. Atenção a áreas habitualmente esquecidas: costas das mãos e dos pés, orelhas, nuca e nariz;

5. A protecção solar é também necessária à sombra (porque a radiação é reflectida) e nos dias nublados (porque os raios ultravioletas atravessam as nuvens);

6. Em caso de exposição prolongada ao sol, proteja-se com óculos escuros, um chapéu e uma t-shirt e hidrate-se bebendo água.

Como escolher um protector solar

1. A escolha do protector solar deve ser orientada pelo seu médico ou farmacêutico;

2. Os protectores solares devem ter na sua composição filtros (físicos ou químicos) destinados a bloquear a radiação UVA e UVB;

3. Os índices de protecção devem ser adequados ao seu tipo de pele;

4. As condições de conservação afectam a eficácia do protector solar: não compre um protector solar que esteja exposto ao sol e depois de o comprar, proteja-o do calor;

5. Evite o uso de protectores solares de um ano para o outro: em regra, o prazo de validade de um protector solar é de 12 meses após a abertura, desde que se tenha mantido em boas condições de conservação.

Fonte: 
Portal da Saúde
Sapo Mulher
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock