Conheça as causas

Infecções fúngicas

As infecções fúngicas podem desenvolver-se em diferentes órgãos do corpo humano. Conheça as principais causas.
Infecções fúngicas

Infecções fúngicas cutâneas

Na pele, é frequente os fungos crescerem do interior para o exterior, deixando a pele esfolada e irritada. É por isso que, muitas vezes, uma infecção fúngica tem o aspecto de uma mancha redonda, avermelhada, conhecida igualmente pela designação de "tinha”. Sabe-se que os fungos são a causa desta infecção cutânea. No entanto, há algumas formas desta doença que necessitam de atenção especial, porque não são devidas aos fungos em geral.

Uma infecção fúngica produz esporos. A pele infectada descama e estas escamas contêm esporos. O contacto de um indivíduo não infectado com uma pele com lesões contendo esporos pode provocar-lhe uma infecção fúngica.

Também é possível o desenvolvimento de infecção fúngica nos pés, caminhando descalço em ambiente húmido, onde circulem outras pessoas igualmente descalças, como por exemplo, numa piscina, áreas de duche, sauna, etc. É por essa razão que este tipo de infecção cutânea é designado por "pé de atleta” ou "eczema do nadador”, pois ocorre principalmente nas pessoas que praticam desporto.

Uma outra fonte de infecções cutâneas é os fragmentos de pele dos animais domésticos. Pode não notar que um animal tem uma infecção fúngica, mas essa infecção pode muito bem infectá-lo a si. As infecções fúngicas que as crianças apanham no pescoço são muitas vezes causadas por animais domésticos, ou por outro animal com quem partilhem a casa. As pessoas que passam muito tempo com cavalos podem apanhar infecções fúngicas no rosto, devido à fricção. 

Infecções fúngicas da mucosa oral e do esófago

As leveduras e os fungos filamentosos pertencem à flora normal da mucosa e do esófago, o que significa que crescem sem sinais aparentes e em equilíbrio com outros microrganismos, como as bactérias, nas membranas mucosas, sem causarem qualquer problema.

Os problemas surgem apenas quando as nossas resistências imunitárias estão diminuídas. Isto pode acontecer após um período com uma gripe grave, quimioterapia, tratamento com imunossupressores, designadamente na sequência de um transplante. Muitas vezes, uma infecção fúngica oral é o primeiro sinal de uma infecção pelo VIH/SIDA. Por conseguinte, uma infecção fúngica é muitas vezes um problema para as pessoas que já sofrem de alguns problemas de saúde.

Para além destas situações graves, as pessoas com próteses dentárias são também mais susceptíveis a infecções fúngicas. Se a mucosa oral é lesada, os fungos têm mais oportunidade de actuar provocando infecções, logo as pessoas com próteses dentárias são frequentemente afectadas por aftas. Os fungos também podem encontrar-se na própria prótese e infectar repetidamente a cavidade oral.

Por outro lado, o fungo Candida é o responsável pelas úlceras nas mucosas da boca, habitualmente designadas de aftas ou "candidíase oral”. 

Infecções fúngicas vaginais

A causa mais comum de uma infecção fúngica vaginal é o "desequilíbrio” na flora intestinal. Por algum motivo, uma das bactérias habitualmente presentes na mucosa vaginal, desenvolve-se e exerce um efeito dominante sobre os outros microrganismos presentes, provocando um desequilíbrio, fenómeno que se refere essencialmente aos chamados Cocci, bactérias de forma esférica. A membrana mucosa da vagina habitualmente protege-se, mantendo um pH ligeiramente ácido.

O desequilíbrio da flora vaginal pode ocorrer devido a uma diminuição súbita da acidez do meio, ou porque é utilizado demasiado sabonete no banho. Ainda não se descobriu por que razão este fenómeno sucede, mas é sabido que o sabão torna o meio menos ácido e que o esperma diminui a acidez da vagina. O desequilíbrio pode ser causado pela presença de bactérias, parasitas, fungos ou vírus, mas também devido a uma eventual irritação provocada pelo uso de roupas demasiado apertadas ou sintéticas, pensos higiénicos ou toalhas de higiene íntima de origem sintética. O DIU também aumenta a possibilidade da presença de mais bactérias na vagina.

Um pequeno corrimento vaginal é normal e afecta uma parte das mulher com maior frequência que outras. Ao longo do ciclo menstrual, as características deste corrimento podem variar. Durante a ovulação (entre dois ciclos menstruais), o corrimento é mais abundante. Até cerca de 5 ml/dia é considerado uma quantidade normal. A espessura do corrimento é também uma característica variável.

Os fungos Candida podem invulgarmente ser encontrados na vagina por variados motivos. Por exemplo, através do papel higiénico ou de qualquer toalha ou pano que tenha sido utilizado anteriormente no ânus. Estes fungos vivem no intestino, sem provocarem qualquer tipo de problema. Porém, em algumas mulheres, eles encontram na vagina os nutrientes de que necessitam, assim como o ambiente certo para o seu desenvolvimento: doce e ácido. É especialmente na segunda metade do ciclo menstrual, durante a gravidez, durante o tempo de administração da pílula e se a mulher for diabética, que o ambiente vaginal apresenta um teor mais elevado em açúcar. 

Infecções dos órgãos internos

A maioria das infecções internas é causada pela invasão de Arpergillus. Os esporos destes fungos "invasivos” encontram-se por todo o meio ambiente. Assim, podem ser inspirados durante a respiração e entrar no organismo através dos brônquios. Uma infecção sistémica provocada por Aspergillus pode ser fatal.

Assim, as infecções pulmonares e sistémicas são maioritariamente causadas por Aspergillus, podendo ser fatais, em especial para as pessoas com fracas defesas imunológicas.

Nos locais de construção e demolição de edifícios, encontram-se concentrações elevadas destes esporos fúngicos, tal como em adegas, estábulos húmidos, abrigos de aves e zonas de armazenamento de cereais. O Aspergillus surge também nas coberturas dos móveis, nos papéis de parede, no mobiliário de bambu, no estrume, nos fertilizantes e no pó doméstico.

As infecções por Aspergillus são consideradas como um risco profissional entre, por exemplo, os columbófilos e os agricultores. A infecção por Aspergillus afecta também os cervejeiros (que trabalham com o cereal), os marceneiros e os trabalhadores da construção civil.

Outra zona considerada fértil em fungos é os sistemas de ar condicionado dos hospitais, podendo muitos doentes aí internados ter/desenvolver uma infecção por Aspergillus.

Artigos relacionados

Infecções fúngicas

Micoses superficiais da pele

Pneumonia por fungos

Fonte: 
Manual Merck
Janssen Cilag
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock