Calor e humidade

Conheça as doenças de pele mais comuns no Verão

Atualizado: 
15/07/2020 - 15:54
Verão é sinónimo de calor, férias e diversão. No entanto, fique a saber que esta é também a época ideal para o aparecimento de algumas complicações dermatológicas. Neste artigo, damos-lhe a conhecer as doenças de pele mais comuns em tempo de férias.

Ao contrário do que pode pensar, as queimaduras solares não são o principal motivo de consulta nesta época do ano. A verdade é que, como o aumento das temperaturas e da transpiração, estão criadas, por exemplo, as condições perfeitas para a proliferação de fungos. No entanto, as micoses – que podem atingir os dedos dos pés ou as virilhas - não são as únicas doenças de pele que podem “estragar” as suas férias.

Os cuidados com a pele são importantes durante o ano inteiro mas durante a estação mais quente precisamos redobrar a atenção para evitar surpresas. Não só não devemos descurar o uso de proteção solar, evitando a exposição direta excessiva entre as 10h e as 16h, como devemos manter a pele limpa e seca (tanto quanto for possível) para evitarmos algumas dermatoses.

Micoses

A micose de pele é um tipo de doença causada pela presença de fungos na pele que causa comichão, vermelhidão e descamação e pode atingir qualquer região do corpo. No verão é bastante frequente atingir os dedos dos pés (pé-de-atleta) ou as virilhas.

Causado pelos fungos Trichophyton, Mycrosporon ou Epidermophyton, o pé de atleta (ou Tinea Pedis) é uma infeção altamente contagiosa e que pode rapidamente estender-se a outras partes do corpo. Por isso todo o cuidado é pouco!

O tratamento com um antifúngico tópico (colocado diretamente sobre a pele) é uma forma rápida e eficaz de combater esta infeção. No entanto, em alguns casos é necessário recorrer à terapêutica oral.

Mais frequente em obesos, atletas ou pessoas que usem roupas demasiado apertadas, a Tinea Cruris – infeção fúngica que atinge as virilhas – provoca prurido intenso e rash cutâneo,

A micose da virilha, como é vulgarmente conhecida, é considerada a segunda dermatofitose mais comum e pode estender-se a toda a região púbica, atingindo nádegas e coxas. É três vezes mais comum entre homens e, tal como o pé de atleta, pode ser tratada com pomadas antifúngicas.

Especialistas aconselham a secar bem a pele depois do banho e a usar roupa interior de algodão.

Acne Solar

Caracterizado por uma erupção que atinge principalmente o tronco e os ombros, o acne solar surge frequentemente após a exposição intensa ao sol. Com aparência diferente da acne comum, apresenta pústulas (elevações da pele repletas de pus) menores, menos inflamatórias e que secam mais rapidamente.

Muito comum durante o verão, a acne solar pode ser evitada com a utilização de filtros solares, de preferência com base não oleosa (“oil free”), aplicados antes e durante a exposição ao sol.

Quanto ao tratamento, este poderá ser igual ao aplicado na acne vulgar, como é o caso do uso de exfoliantes e antibióticos em loção ou gel, sempre que houver inflamação.

Foliculite

A foliculite ocorre quando existe infeção dos folículos pilosos causada por bactérias, como o estafilococo, ou outros fatores. No verão, o calor e o suor são os principais fatores que condicionam o seu desenvolvimento.

Apesar de existem dois tipos de infeção, consoante a sua “gravidade”, a maioria não traz complicações. A foliculite superficial afeta apenas a parte superior do folículo piloso e cursa com borbulhas com ou sem pus, pele avermelhada e inflamada, e algum prurido.

No entanto, caso a inflamação atinja áreas mais profundas da pele, pode haver a formação de furúnculos apresentando dor intensa.

As foliculites bacterianas podem ser tratadas com antibiótico tópico, oral ou uma combinação dos dois.

A melhor forma de prevenção passa por manter a pele limpa e seca.

Pitiríase Versícolor

Considerada um infeção leve e não contagiosa, a Pitiríase Versicolor é uma infeção fúngica da primeira camada superficial da pele, causada por um fungo encontrado na flora normal da pele, conhecido como Malassezia furfur, e que provoca o surgimento de placas escamosas e incolores. Tronco, pescoço e, por vezes, o rosto são as zonas mais atingidas por estas lesões.

A Pitiríase Versicolor, também conhecida como “micose de praia” ou “pano branco”, é resolvida com aplicação tópica de medicamentos antifúngicos.

Artigos relacionados:

Infecções bacterianas da pele

Tipos de acne: tratamento e prevenção

Micoses superficiais da pele

Autor: 
Sofia Esteves dos Santos
Fonte: 
MSD Manuals
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock