O que fazer?

Ulcerações provocadas pelo frio

Atualizado: 
19/11/2019 - 13:10
As ulcerações provocadas pelo frio ocorrem pela exposição repetida por várias horas a temperaturas baixas. Consiste no congelamento dos tecidos e/ou de partes do corpo e afecta as orelhas, o nariz e os dedos das mãos e dos pés.
Homem de gorro e cachecol em ambiente frio

O risco de sofrer ulcerações é maior em pessoas com circulação sanguínea reduzida e entre pessoas que não estão convenientemente vestidas para fazer frente a temperaturas extremamente baixas.

Sintomas

Os sintomas incluem uma mudança da cor da pele para branco, camada superficial da pele invulgarmente firme, surgimento de dores e posteriormente bolhas.

O que fazer?

  • Chamar de imediato o médico (ligar 112), seguindo os seguintes procedimentos até à sua chegada.
  • Transportar a pessoa para uma área aquecida o mais rápido possível;
  • Desapertar ou remover roupas apertadas que possam restringir a circulação;
  • Aquecer a área afectada usando o calor do corpo, por exemplo, o calor das axilas pode ser usado para aquecer os dedos das mãos;

Ou…

  • Imergir a área afectada em água morna (a temperatura deve ser confortável ao toque nas partes do corpo não afectadas);
  • Depois de a pessoa estar aquecida, cobrir a área afectada com peças de vestuário esterilizado. Colocar alguma gaze entre os dedos (das mãos e dos pés) para absorver a humidade e evitar que eles se colem entre si.

O que não fazer?

  • Não tentar reaquecer a zona corporal afectada no local, mas tentar parar o arrefecimento dessa zona;
  • Não massajar a zona afectada, pois pode danificar os tecidos afectados, nem rebentar as bolhas;
  • Não usar o calor de uma lareira, fogão, ou radiador para aquecer a zona afectada, porque esta está dormente e pode ser facilmente queimada;
  • Não permitir que a pessoa ingira bebidas alcoólicas, bebidas com cafeína ou fume.

Artigos relacionados

 

Fonte: 
DGS
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock