Perguntas frequentes

Rosácea

Conheça a resposta às principais perguntas sobre a rosácea é uma perturbação cutânea crónica sem causa conhecida.

O que é a rosácea?
A rosácea é uma perturbação cutânea crónica que se caracteriza por afogueamento, rubor e crises inflamatórias semelhantes à acne, verificando-se habitualmente nas maçãs do rosto, queixo, testa e nariz. À medida que a doença progride, a vermelhidão pode tornar-se mais intensa e persistente. Pequenos vasos sanguíneos superficiais dilatados surgem habitualmente nas zonas citadas. Em casos avançados, a rosácea pode conduzir a um espessamento da pele do nariz (rinofima). Enquanto a rosácea é mais comum nas mulheres, o rinofima é muito mais prevalente nos homens. Os casos graves de rosácea podem provocar irritação dos olhos, deixando-os encarnados e lacrimejantes.

Quais são as causas das crises de vermelhidão da rosácea?
Nas pessoas que têm tendência a apresentar rosácea, as crises de vermelhidão podem ser causadas por diversos factores, incluindo a dieta, o consumo de álcool, o ambiente e o grau de actividade. Factores ambientais extremos, incluindo o frio, o vento ou as altas temperaturas e a exposição à luz solar podem provocar vermelhidão. Na verdade, o calor proveniente de uma diversidade de fontes, tais como um duche, uma sauna, uma cozinha quente ou outros ambientes quentes, pode provocar crises de vermelhidão da rosácea.

O que pode provocar rosácea?
A causa exacta da rosácea ainda não é conhecida, embora um aumento do número de demodex folliculorum, ácaros microscópicos que vivem nas glândulas sebáceas, seja aparentemente um factor contributivo. Para além disso, a rosácea parece afectar adultos de pele clara.

A rosácea é contagiosa?
Não, a rosácea não pode transmitir-se de uma pessoa para outra, pelo que não é uma doença contagiosa.

Quem sofre de rosácea?
Embora a doença afecte em igual proporção homens e mulheres, a experiência demonstrou que elas consultam mais o médico porque estão mais preocupadas com o seu aspecto. A doença costuma iniciar-se entre os 30 e os 60 anos. É também conhecida como "a maldição dos celtas" porque as pessoas afectadas costumam ser de cabelo louro e pele branca.

Faz mal à rosácea apanhar sol?
A radiação ultravioleta da luz solar pode desencadear a rosácea. Também o calor do sol pode piorar esta patologia. Procure evitar os banhos de sol e não se esqueça de utilizar protecção solar adequada (de factor 15 ou superior) quando se expuser à luz solar.

Que importância tem o protector solar para quem tem rosácea?
Se tem um problema que faz a sua pele ficar vermelha e irritada, tal como a rosácea, é ainda mais importante protegê-la com protectores solares. Quando a pele já se apresenta inflamada devido a um problema pré existente, torna-se ainda mais sensível à luz solar. O protector solar não deve conter agentes químicos irritantes. Para além disso, as pessoas que sofrem de rosácea devem evitar a exposição solar entre as 10 h da manhã e as 2 h da tarde.

Há alguma dieta para a rosácea?
Foi comprovado que alguns alimentos desencadeiam surtos de rosácea com mais frequência que outros, em concreto os alimentos muito condimentados e as bebidas quentes ou alcoólicas. Procure descobrir que alimentos e bebidas são bons para si e quais não são. Em geral, uma dieta equilibrada melhorará o seu bem-estar geral.

O que se recomenda para impedir/evitar futuras irritações?
A vermelhidão e a pele sensível podem ser provocadas por vários factores intrínsecos e extrínsecos. Intrinsecamente (isto é, geneticamente), as alergias a ingredientes específicos podem provocar reacções. Os factores extrínsecos que provocam sensibilidade cutânea incluem exposição solar, uso excessivo de esfoliantes e reacções a um ingrediente que actua como agente irritante (isto é, quando se utiliza um sabonete demasiado forte, este pode actuar como agente irritante e provocar uma reacção, por exemplo, uma sensação de secura e repuxamento da pele). Os efeitos pós operativos de procedimentos tais como peelings químicos ou tratamentos com laser também podem aumentar a sensibilidade.

Para reduzir a sensibilidade cutânea é necessário evitar a exposição solar, os factores ambientais extremos e produtos com fragrâncias irritantes ou outros agentes irritantes conhecidos. Devem evitar-se os sabonetes demasiado fortes, assim como a água quente. Utilize produtos sem perfume, alergicamente testados, suaves e com ingredientes calmantes.

As bebidas alcoólicas e a comida condimentada podem provocar vasodilatação e exacerbar uma pele já vermelha e irritada. Se consumidos em grandes quantidades, ao longo do tempo, estes produtos podem contribuir para a dilatação dos vasos sanguíneos. Em alguns indivíduos, certos alimentos podem despoletar uma crise de irritação e devem ser evitados. Se for afectado desta maneira, esteja atento aos alimentos que provocam vermelhidão e consuma álcool com moderação.

Posso utilizar maquilhagem?
Sim, mas escolha uma base de maquilhagem ligeira, hidratante e não oleosa nem comedogénica. Limpe primeiro a pele com um produto de limpeza não irritante que não contenha sabão, gordura, nem perfume, enxagúe-a com água morna abundante e seque-a, aplicando sem esfregar uma toalha suave. Seguidamente, aplique o medicamento tópico para a rosácea e deixe-o secar (cerca de 30 minutos) antes de aplicar o creme de protecção solar, o creme hidratante ou a maquilhagem.

Há alguma maquilhagem especial para a rosácea?
Sim, existem bases de maquilhagem e sticks correctores que cobrem a vermelhidão e os vasos dilatados próprios desta doença. Estes produtos são suaves, naturais e resistentes à água e à transpiração. Terá de experimentar entre as cores disponíveis até encontrar a que melhor se adapta ao seu tom de pele.

O que devo fazer para a sensação de ardor ocular?
Em mais de 50 por cento dos doentes a rosácea afecta também os olhos (rosácea ocular). Os sintomas vão desde uma sensação de ardor ou comichão ocular até visão turva, sensação de queimadura, secura, intolerância à luz e olhos lacrimejantes ou vermelhos com sangue. No pior dos casos pode ocorrer perda de visão. O seu dermatologista encaminha-o/a para um oftalmologista para que lhe seja prescrito o tratamento adequado.

Pode ser feita alguma coisa em relação à rinofima?
A rinofima é uma fase avançada da rosácea, mas pode ser tratada através de cirurgia com laser, electrocirurgia ou dermabrasão.

Existem casos em que a rosácea desaparece para sempre após um episódio?
Não, a rosácea é uma doença crónica e recorrente. Num inquérito a 48 doentes anteriormente diagnosticados constatou-se que 52 por cento continuavam a ter rosácea activa 13 anos depois. Os 48 por cento restantes tinham menos sintomas, mas só após uma duração média de 9 anos.

Há alguma cura? Como se trata habitualmente a rosácea?
A rosácea é normalmente uma perturbação crónica. Embora não exista uma cura permanente, a sua gravidade poderá ser atenuada, dependendo da altura do ano, dos hábitos pessoais e do tratamento. Os ingredientes antimicrobianos e anti-inflamatórios tópicos e orais são prevalentes no tratamento da rosácea.

O que se pode fazer para complementar o tratamento da rosácea?
Além do tratamento médico, deverá adaptar os seus hábitos de vida para evitar os factores que possam desencadear a rosácea (como determinados alimentos, cosméticos ou factores ambientais).

Portanto, além dos medicamentos eficazes contra a rosácea há várias coisas que pode fazer para melhorar a sua doença:
- Sempre que limpar a pele com água, utilize apenas água morna; evite a água quente ou fria, pois pode piorar o rubor;
- Aplique suavemente, com a ponta dos dedos, um produto de limpeza líquido ou um especificamente formulado para a rosácea;
- Não esfregue a cara;
- Os cosméticos que contenham álcool, mentol, menta ou óleo de eucalipto podem dilatar os vasos sanguíneos, pelo que devem ser evitados, de um modo semelhante aos produtos oleosos;
- Pode utilizar cosméticos correctores, caracterizados por terem uma tonalidade esverdeada, para neutralizar a vermelhidão facial e os vasos sanguíneos dilatados e melhorar, desse modo, o seu aspecto;
- Evite a exposição prolongada ao sol sem utilizar um creme com um factor de protecção de 15 ou superior contra a radiação ultravioleta B (UVB) e A (UVA).

Fonte: 
Jornal de Notícias Online
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock