Saiba quais são

Emergências psiquiátricas

Atualizado: 
17/07/2019 - 12:57
São vários os estados de pensamento ou comportamento que podem originar emergências psiquiátricas.
Mulher com ar angústiado

Consideram-se emergências psiquiátricas quaisquer alterações nos pensamentos, sentimentos ou comportamentos e que representam risco significativo para o doente ou outras pessoas em redor. Nesse sentido, o doente encontrar-se-á em crise devido alguma doença física - por exemplo, hemorragia cerebral -, secundária a substâncias com o álcool ou substâncias ilícitas, ou decorrente de doença mental, como mania ou esquizofrenia.

As emergências psiquiátricas incidem igualmente em homens e mulheres, pessoas solteiras ou casadas e cerca de 20 por cento dos doentes que procuram o hospital por condição psiquiátrica de emergência são suicidas e 10 por cento são violentos.

Os diagnósticos mais comuns envolvem depressão e mania, esquizofrenia, dependência de álcool e de substâncias ilícitas. Cerca de 40 por cento dos indivíduos atendidos em emergências psiquiátricas necessitam de internamento.

Ansiedade aguda e ataque de pânico

Os doentes apresentam sintomas intensos de angústia acompanhados de sintomas físicos como sudação excessiva, batimento cardíaco acelerado, sentir falta de ar, formigueiro nas mãos ou boca, tonturas, mal-estar geral com a sensação que vai morrer.

Habitualmente estes doentes procuram os serviços de emergências clínicas com receio de estarem a sofrer um enfarte. Nessa altura e após o diagnóstico correcto o doente é encaminhado para o atendimento psiquiátrico.

Delirium ou estado de confusão mental

Nestes casos a pessoa pode apresentar-se mais sonolenta ou mais agitada, tem dificuldade em prestar atenção ao que se passa ao seu redor e frequentemente tem alucinações (ver coisas que não existem).

Os sintomas desenvolvem-se rapidamente, porém a pessoa alterna períodos de melhoria e piora. Decorre de problemas clínicos diversos onde se inclui: desidratação, situação pós-cirúrgica, uso de determinada medicação, grandes traumas, traumatismo craniano, etc.. O mais importante nestes casos é tratar a causa clínica básica, ou seja, o que está a desencadear os sintomas. À medida que o quadro clínico melhora, os sintomas psiquiátricos também melhoram.

Psicoses agudas

Esta emergência psiquiátrica ocorre quando existe uma disfunção da capacidade de pensamento e processamento de informações. A pessoa fica fora da realidade, desorientada, muitas vezes não sabe quem é ou onde está, vê e ouve coisas que ninguém mais vê ou ouve (alucinações), acredita que alguém a persegue ou quer prejudicá-la ou acredita em coisas que não correspondem à realidade.

Há uma incapacidade de ser coerente em perceber, reter, processar, relembrar ou agir sobre informações de uma maneira consensualmente validada. Há uma diminuição da habilidade de mobilizar, deslocar, manter ou dirigir a atenção de acordo com a própria vontade. Uma das características principais do estado psicótico é a falha em quantificar e classificar a prioridade dos estímulos. A capacidade de agir sobre a realidade é imprevisível e diminuída, porque o paciente é incapaz de distinguir os estímulos externos os internos.

Perante tais quadros clínicos possíveis o doente tende a ficar agitado e agressivo, e que leva à necessidade de procurar um serviço de emergência.

Causas de emergência psiquiátrica

Muitas são as causas que podem levar a pessoa a apresentar um dos quadros acima descritos, entre elas:

  • Abuso de álcool e/ou drogas;
  • Abstinência de álcool e/ou drogas;
  • Doenças psiquiátricas como mania e esquizofrenia;
  • Transtornos neurológicos (problemas em certas áreas do cérebro);
  • Efeitos colaterais de alguma medicação;
  • Problemas clínicos - infecções, falta de oxigenação do sangue, tumores, derrame, problemas nos rins e no fígado, deficiência de vitaminas, traumatismos (lesões decorrentes de acidentes em geral), convulsões ou efeitos cerebrais pós-cirurgias.

Outras emergências psiquiátricas

  • Tentativas suicídios;
  • Alcoolismo;
  • Transtorno bipolar do humor;
  • Esquizofrenia e outros transtornos psicóticos;
  • Fobia específica;
  • Transtornos de personalidade
  • Transtornos psiquiátricos relacionado com o uso de substâncias psicoactivas.

Artigos relacionados

Transtorno de Ansiedade Generalizada: os sinais que não deve ignorar

A pessoa com esquizofrenia e a família

Ataques de pânico

Fonte: 
Abcdasaude.com
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock