Vitamina do sol

Tudo o que precisa de saber sobre a Vitamina D

Atualizado: 
04/11/2019 - 11:11
Nos últimos anos tem havido um interesse crescente da população e da comunidade médica pela vitamina D. Associada inicialmente à manutenção da saúde óssea, a verdade é que, esta vitamina apresenta muito mais funções no organismo. Porém, o défice é muito frequente na população e, na maior parte dos casos, dieta por si só não é suficiente para suprir as necessidades do organismo.
Mulher com óculos de sol a olhar para o céu

Funções

A vitamina D é essencial para melhorar a absorção gastrointestinal de cálcio e a mineralização do tecido ósseo;

Esta vitamina tem muitas outras funções fisiológicas, incluindo coordenação neuromuscular, libertação de hormonas, modulação da imunidade e redução de certos tipos de cancro (cólon, da mama, da próstata e o da pele)

Estatísticas

  • A incidência e a prevalência do défice de vitamina D estão a aumentar a nível mundial;
  • Estima-se que mais de 50% da população no mundo tenha baixo teor de vitamina D;
  • Em Portugal, um estudo descobriu que 78% da população tem défice desta vitamina;
  • Estes valores sofrem ainda flutuações ao longo do ano, sendo mais prevalente no Inverno (95%) do que no Verão (62%)

Níveis séricos e défice

Na comunidade médica e científica considera-se que os níveis normais de vitamina D sérica são de 30 a 60 ng/mL (75 a 150 nmol/L);

A deficiência de vitamina D (<25-30 nmol/L) causa raquitismo, osteomalácia

Fontes de exposição e suplementação

Mais de 80% da vitamina D é obtida a partir dos raios ultravioleta da luz solar; o resto: dieta e suplementos;

É difícil obter vitamina D em quantidades suficientes apenas com a dieta: fontes alimentares típicas são os ovos, peixe, óleos de peixe, produtos lácteos, alimentos fortificados;

Ingestão recomendada

  • 1.000 UI/dia: pessoas de pele clara
  • 2.000 UI/dia: pessoas de pele escura e idosos
  • 4.000 UI/dia: grupos vulneráveis, incluindo pessoas com défice de vitamina D, obesos, pessoas com distúrbios gastrointestinais e/ou síndromes de má absorção, pessoas institucionalizadas (por exemplo, casas de repouso e prisões), grávidas e mulheres a amamentar

O limite superior seguro da suplementação diária oral é considerado como 5.000 UI/dia.

A alta ingestão de cálcio pode compensar parcialmente as concentrações séricas reduzidas de vitamina D, contudo, a mesma deve ser sempre monitorizada.

A exposição solar responsável deve ser igualmente incentivada, assim como, a fortificação dos cereais e produtos lácteos em vitamina D3.

Artigos relacionados

O que a Vitamina D pode fazer pela sua saúde

Vitamina D: os principais benefícios

Insuficiência de vitamina D agrava doenças crónicas

Autor: 
Dr Pedro Lôbo do Vale - Medicina Geral e Familiar
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Pixabay