Primeiros sinais

Asperger: bebés silenciosos que têm a preferência por ficar sós

Atualizado: 
18/02/2020 - 11:36
Definida como uma perturbação do desenvolvimento, a Síndrome de Asperger é uma condição que afeta o modo como uma pessoa comunica e se relaciona com os outros. Na infância, os primeiros sinais podem surgir mesmo antes da criança completar um ano de idade.

O Síndrome de Asperger pode ser definido como uma Perturbação do Neurodesenvolvimento, incluído anteriormente nas Perturbações do Espectro do Autismo.

As características essenciais desta perturbação são o défice grave e persistente na interação social e o desenvolvimento de padrões de comportamento, interesses e atividades restritivas e repetidas. Não existe um atraso clinicamente significativo na aquisição de linguagem, no desenvolvimento cognitivo ou nas questões relacionadas com a autonomia própria da idade.

Algumas crianças começam a mostrar alguns sinais mesmo antes de completarem um ano. Apesar de nem todas estas crianças desenvolverem doenças do Espectro do Autismo, a detecção precoce destes sinais poderá ser essencial para um rápido diagnóstico e intervenção.

Os sinais precoces incluem:

  • Evitamento do olhar
  • Atraso da linguagem
  • Ausência de imitação
  • Não responder ao nome
  • Não apontar
  • Não procurar a atenção dos pais
  • Não revelar intenção de comunicar
  • Movimentos corporais anormais e posturas pouco comuns

São assim bebés silenciosos, que têm a preferência por ficar sós.

O diagnóstico assenta assim na observação da criança, das suas competências sociais, verbais e comportamentais, e no modo como elas evoluem ao longo do tempo.

Embora não exista cura, existem tratamentos e medidas educativas que permitem lidar melhor com esta situação, reduzindo os comportamentos mais perturbadores e oferecendo maior autonomia.

A utilização de medicação tem efeito benéfico nos sintomas secundários que podem acompanhar esta doença como a irritabilidade, a rigidez, a ansiedade, os problemas de comportamento e de sono.

Autor: 
Dra. Berta Pinto Ferreira - Psiquiatra da Infância e Adolescência
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Pixabay