Os diferentes tipos

Implantes mamários

Embora o silicone seja o material mais utilizado nos implantes mamários, existem também outras opções. O material não é o único aspecto a ter em conta, pois existem também diferentes formatos.
Tipos de implantes mamários

Quais os tipos de implantes mamários disponíveis?
Deverá procurar obter informação actualizada com o médico-cirurgião especialista na área, pois trata-se de um campo que evolui com alguma rapidez no que diz respeito aos tipos de materiais utilizados, bem como ao desenho dos implantes.

Só um acompanhamento contínuo destas matérias, por parte dos especialistas, permite um nível de informação adequado de forma a poder esclarecer as suas dúvidas de forma actualizada.

A utilização de tecidos do próprio doente para obter volume mamário é possível, no entanto, raramente é utilizado para fins puramente estéticos, pelas implicações que tem nas zonas de onde se mobilizam os referidos tecidos. Trata-se de uma solução habitualmente considerada para a reconstrução mamária após mastectomia. A injecção de gordura (por exemplo lipoaspirada de outras áreas) não tem habitualmente resultados satisfatórios para um aumento global do volume mamário. Procure esclarecer-se sobre as alternativas existentes para o seu caso específico, uma vez que o resultado que pretende poderá não passar pela colocação de implantes mamários mas por outras técnicas (por exemplo reformulação do formato mamário por mastopexia).

A solução mais frequente a que se recorre para aumento mamário é a colocação de implantes mamários sintéticos, obtidos por técnicas de fabrico adequadas e dependentes do licenciamento das autoridades competentes.

De uma forma geral estes implantes são constituídos por um invólucro de silicone de textura exterior lisa ou texturada, preenchidos com diferentes tipos de substâncias. Os produtos habitualmente utilizados para o seu preenchimento são o gel de silicone (com diferentes consistências), uma solução salina (sal e água em concentrações semelhantes às existentes no organismo) ou o hidrogel (um gel à base de água, açúcar e sal).

Para além das mencionadas, existem numerosas outras variantes técnicas entre os diferentes dispositivos, nomeadamente, no que diz respeito à forma ou sistemas de preenchimento que podem condicionar o resultado estético final, pelo que é imprescindível a discussão do seu caso com o cirurgião especialista. Deverá procurar esclarecer com este as vantagens e desvantagens de cada um dos implantes.

Nos últimos anos gerou-se alguma controvérsia acerca de potenciais doenças resultantes de fuga de silicone de implantes mamários. Não existe relação, de acordo com os dados científicos actuais, entre a aplicação de implantes mamários e o aparecimento de doenças, como por exemplo doenças autoimunes, doenças do tecido conjuntivo, doenças neurológicas ou cancro. Procure obter informação actual junto do seu cirurgião sobre a relação do silicone com estas doenças generalizadas e quais as características dessas mesmas doenças.

Fonte: 
Infarmed
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock