Estudos

Estudo
Inês Santos, jovem investigadora na Universidade de Lisboa, revela num estudo recente que cerca de metade da população adulta em Portugal (43%) se preocupa com o peso e que, em todo o mundo 65% demonstra a mesma inquietação.
Investigação
Cientistas criaram 'robôs' microscópicos, do tamanho de células sanguíneas, que foram guiados magneticamente para locais do estômago de ratos, e que, dizem, podem ser promissores para diagnosticar e tratar doenças em zonas do corpo difíceis de alcançar.
Estudo
A indústria do açúcar norte-americana ocultou indícios dos malefícios da sacarose na saúde há cerca de 50 anos, defendem cientistas num estudo publicado na revista PLOS Biology.
Universidade de Coimbra
Uma equipa de investigadores, liderada pelo Centro de Neurociências e Biologia Celular e pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, identificou uma forma de aumentar a vida de células progenitoras vasculares para a regeneração de tecidos afetados pela interrupção do fluxo sanguíneo.
Estudo
Uma equipa internacional de investigadores demonstrou que uma das toxinas presentes no veneno das tarântulas desativa o canal usado pelos neurónios para transmitir a dor ao cérebro.
Crianças
Um estudo está a analisar as causas das perturbações músculo-esqueléticas da coluna na faixa etária dos 10-12 anos e quais os fatores de maior risco, como a postura, o peso da mochila ou o uso excessivo de novas tecnologias.
Estudo
Uma investigação de José Paulo Andrade, do Cintesis, hoje divulgada, concluiu que a alimentação tipicamente ocidental, rica em fritos, snacks salgados e carne vermelha em abundância, poderá estar associada ao aumento do risco de ter degenerescência macular da idade.
Até 2025
Peritos mundiais querem duplicar a média de vida de doentes com cancro da mama avançado até 2025, segundo um documento que será discutido esta semana em Lisboa.
Estudo
Um estudo realizado a doentes portugueses com cancro da mama revelou que mais de metade sente falta de apoio social e de cuidados de saúde adequados, de acordo com a Sociedade Portuguesa e Oncologia.
Estudo
Os fatores socioeconómicos são os que mais influenciam a longevidade dos idosos, sendo as zonas mais desfavorecidas aquelas que apresentam taxas mais baixas de sobrevivência acima dos 90 anos, segundo uma série de estudos desenvolvidos por investigadores do Porto.

Páginas