Estudos

Estudo
Consumir mais de quatro bebidas alcoólicas por dia aumenta a probabilidade de desenvolver cancro do estômago, avança um estudo internacional, no qual participaram investigadores da Unidade de Investigação em Epidemiologia (EPIUnit) do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto.
Estudo
A conclusão é de um estudo científico publicado hoje. Uma em cada doze mortes nos próximos cinco anos poderia ser evitada com 30 minutos de exercício diário, uma rotina que pode ser composta de atividades simples como limpar a casa ou caminhar até ao trabalho cinco dias por semana.
Estudo
Investigadores portugueses criaram tabelas de percentis adequadas à realidade portuguesa. Objetivo é conseguir diagnósticos mais rigorosos e diminuir angústias dos pais.
Estudo
Cientistas britânicos usaram a tecnologia de edição do genoma humano para revelar o papel de um gene essencial no desenvolvimento inicial de embriões humanos, o que pode abrir caminho para novos tratamentos de fertilidade.
Estudo
Investigadores do grupo farmacêutico francês Sanofi e dos Institutos da Saúde americanos (NIH) desenvolveram um antivírus apresentado como extremamente promissor na prevenção e tratamento do vírus do VIH/Sida.
Estudo
Os consumos de álcool e tabaco e de substâncias psicoativas ilícitas, principalmente ‘cannabis’, aumentaram nos últimos cinco anos em Portugal, segundo um estudo do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências hoje divulgado.
Estudo
Os adoçantes, muitas vezes utilizados como substitutos do açúcar, podem estar diretamente ligados com o aumento de peso e a diabetes tipo 2. Contudo, os especialistas dizem que não é um fator isolado.
Estudo
Mais de nove milhões de pessoas morreram, em 2016, com cardiopatia isquémica, doença cardíaca que lidera a lista de causas de morte prematura nos países mais ricos, num estudo divulgado pela revista médica britânica The Lancet.
Estudo
Um novo estudo mostra, pela primeira vez, que algumas partículas microscópicas de tinta infiltram-se na corrente sanguínea acabando depositadas no organismo. Os efeitos potencialmente tóxicos e nocivos são ainda desconhecidos, dizem os cientistas.
Estudo
Estar sentado durante períodos longos pode conduzir a uma morte precoce, conclui um estudo norte-americano publicado no Annals of Internal Medicine que acrescenta que movimentar-se a cada 30 minutos pode mitigar esse efeito negativo.

Páginas