Estudos

Estudo
O tratamento psicológico para disfunção erétil, problema que afeta 10% dos homens portugueses, é tão eficaz como a medicação e prolonga-se a longo prazo, indica um estudo a apresentar sexta-feira no Porto, durante o seminário “Investigação sobre Sexualidade Humana”.
Estudo
Cientistas japoneses concluíram que o consumo de leite e iogurte magros oferece maior proteção contra o risco de depressão quando comparados com os mesmos laticínios na versão gorda, mas não conseguiram explicar porquê.
Estudo
Novo tratamento com recurso a células do sangue do cordão umbilical mostra resultados rápidos e bem tolerados em crianças autistas. Uma em cada mil crianças portuguesas em idade escolar sofre de autismo.
Estudo
O uso do vinagre como remédio para as picadas das alforrecas, nas costas espanholas, é adverso, a melhor solução é limpar a área afetada com água salgada, alertou o instituto de Ciências do Mar de Barcelona.
Estudo
O consumo de antidepressivos no primeiro trimestre da gravidez não aumenta o risco de desenvolver uma criança que sofra de autismo, hiperatividade, ou transtorno de déficit de atenção, ao contrário do que sugerem estudos anteriores, avança uma investigação científica publicada na terça-feira.
Estudo conclui
Um estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, com cerca de 2.400 crianças, concluiu que a postura corporal dos indivíduos começa a ser definida aos dos sete anos, havendo diferenças "significativas" entre rapazes e raparigas.
Instituto Gulbenkian
Cientistas do Instituto Gulbenkian de Ciência descobriram um novo mecanismo para combater bactérias multirresistentes, num estudo publicado na revista PLOS Biology.
Estudo
Os norte-americanos consideram que é mais seguro usar canábis do que opioides para aliviar a dor, segundo resultados de uma pesquisa.
Estudo
A conclusão é de um estudo da Universidade do Cairo, no Egito, publicado e apresentando no início deste mês num congresso da especialidade, em Málaga, Espanha.
Estudo
Investigadores do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra descobriram uma forma de melhorar os sintomas da doença de Huntington.

Páginas