Geralmente com boa evolução:

Pneumonia viral

Atualizado: 
18/03/2014 - 10:03
A pneumonia viral é uma infecção aguda do pulmão causada por um vírus.

A pneumonia é uma infecção ou inflamação nos pulmões. Ela pode ser causada por vários microrganismos diferentes, incluindo bactérias, parasitas, fungos ou vírus. Neste último caso é designada por pneumonia viral.
São muitos os vírus que podem afectar os pulmões e provocar pneumonia. Os mais frequentes em lactentes e crianças são o vírus sincicial respiratório, o adenovírus, o vírus parainfluenza e o vírus da gripe. O vírus do sarampo também pode causar pneumonia, especialmente em crianças desnutridas.
Nos adultos saudáveis, dois tipos de vírus da gripe, denominados tipos A e B, causam pneumonia. O vírus da varicela também pode provocar pneumonia em adultos. Nas pessoas de idade avançada, a pneumonia viral pode ser causada pelo vírus da gripe parainfluenza ou pelo vírus sincicial respiratório. As pessoas de qualquer idade com um sistema imune deficiente podem desenvolver uma pneumonia grave causada pelo citomegalovírus ou pelo vírus do herpes simples.
Tipicamente, um vírus atinge os pulmões quando gotículas são inaladas através da boca e do nariz. Uma vez nos pulmões, o vírus invade as células que revestem as vias aéreas e alvéolos. Para além dos danos nos pulmões, muitos vírus podem afectar outros órgãos e, assim, interromper muitas funções corporais.

Sintomas
Os sintomas surgem em consequência da invasão nos pulmões por microrganismos e pela resposta do sistema imunitário à infecção.
A maioria das pneumonias virais tem início gradual em 2-4 dias. Frequentemente algum familiar tem sintomas respiratórios. O doente fica constipado com obstrução nasal, progressivamente com tosse e febre (geralmente abaixo de 39º). Nas pessoas mais jovens é comum terem a respiração rápida (taquipneia) e por vezes dificuldade respiratória e pieira.

Diagnóstico
Um indivíduo com febre, tosse e respiração rápida, particularmente se tem sinais de dificuldade respiratória ou aspecto doente, deve ser observado pelo médico assistente. Esta observação e em particular a auscultação poderão diagnosticar pneumonia.
Sempre que haja necessidade, o diagnóstico poderá ser confirmado com uma radiografia do tórax. Por vezes, dependendo do estado clínico do doente, pode ser útil fazer análises para avaliar a possível causa da pneumonia e a repercussão sobre o estado geral.

Tratamento
Nas pneumonias virais, o tratamento é sintomático: paracetamol (para controlo da febre), desobstrução nasal, ingestão de líquidos e aerossóis com soro fisiológico (úteis para manter as secreções fluidas). Normalmente, a febre desaparece até ao quarto dia, a dificuldade respiratória melhora progressivamente e a tosse raramente persiste para além de uma ou duas semanas. No entanto, tratando-se de certas pneumonias virais graves provocadas podem tratar-se com fármacos antivirais.
Recomendam-se vacinas anuais contra a gripe para o pessoal sanitário, pessoas de idade avançada e para todos os que sofrem de perturbações crónicas, como enfisema, diabetes ou doenças cardíacas e renais.

Possíveis complicações da pneumonia viral
As pneumonias virais geralmente têm boa evolução e poucas complicações. Por vezes, após pneumonia causada por vírus sincicial respiratório, as crianças podem ter sintomas respiratórios mais frequentes, sobretudo tosse e pieira durante 2 ou 3 anos.
Algumas pneumonias raras causadas por adenovírus podem ser graves, com evolução arrastada e deixando sequelas (bronquiolite obliterante). Estas complicações exigem cuidados médicos mais intensos e muitas vezes tratamentos prolongados. Apesar disso, actualmente a maioria dos casos recupera lentamente sendo pouco frequentes sequelas importantes.

Fonte: 
Manual Merck
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock