Cuidados a ter

Obesidade: como prevenir

Atualizado: 
22/05/2019 - 17:53
A obesidade atinge cerca de um milhão de portugueses, no entanto, estima-se que metade da população tenha excesso de peso. Números alarmantes tendo em conta que esta doença contribui para o aumento do risco cardiovascular e diabetes. E apesar de restrição calórica nem sempre ser suficiente para a “controlar”, saiba que uma alimentação equilibrada e variada pode ajudar a reverter a condição.

Considerada pela Organização Mundial de Saúde como uma epidemia, a obesidade afeta não só a longevidade como a qualidade de vida de quem dela padece. Além de ser considerada uma doença, a obesidade comporta um risco acrescido de desenvolvimento de outras patologias como a diabetes tipo 2, hipertensão arterial, várias neoplasias, síndrome de apneia obstrutiva do sono, patologia osteoarticular degenerativa ou dislipidemia.

Associada sobretudo a hábitos de vida sedentários e a uma alimentação rica em açúcar e gordura, a obesidade é, no entanto, uma doença de fisiopatologia complexa e de tratamento difícil. Quer isto dizer que, cortar nas calorias que ingere pode não ser suficiente. No entanto, saiba que com alguns cuidados, onde se inclui a prática de exercício físico, pode diminuir os riscos associados.

De acordo com a Fundação Portuguesa de Cardiologia, há um conjunto de “regras” que deve seguir:

  1. Siga uma dieta equilibrada e variada. E coma as porções recomendadas! Consulte a Roda dos Alimentos e não coma mais do que o recomendado, devendo apostar nos legumes, cereais integrais, peixe e fruta. Corte nos alimentos processados, com açúcar e gorduras saturadas. Reduza ainda o consumo de carnes vermelhas, bem como a manteiga ou os lacticínios com alto teor de gordura.
  2. Conheça os alimentos que ingere. E não estamos a sugerir que conte as calorias! É importante é que conheça o valor nutricional de cada alimento, para saber que tipo de nutrientes está a fornecer ao seu organismo, de forma a fazer as melhores escolhas para si.
  3. Não fique mais de três horas sem comer. Fazer uma refeição a cada 3 horas, para além de o ajudar a manter-se saciado, também ajuda a estabilizar o açúcar no sangue e a insulina, nas pessoas com resistência à insulina. No entanto, tenha atenção: as porções devem ser mais pequenas. O truque é comer pouco e mais vezes ao dia, tendo em conta em não ultrapassar o aporte calórico recomendado para o seu caso.
  4. Pratique exercício físico. Este conselho já não é novidade! E embora pense que quando se fala em exercício físico significa que tem de começar a praticar um desporto mais intenso, a verdade é que basta escolher uma atividade que lhe dê prazer, como uma caminhada. O que interesse é que se mexa e o faça com regularidade! A Fundação Portuguesa de Cardiologia, aconselha: “sempre que possível ande a pé nas suas deslocações e privilegie o contacto com a natureza com pequenos passeios ou caminhadas ao ar livre”.
  5. Diga não às dietas “relâmpago”: aconselhe-se com um especialista. Emagrecer pode ser fácil, o difícil é manter o peso dentro dos valores recomendados. Por isso, se quer perder peso e manter-se saudável procure ajuda especializada. O seu médico ou nutricionista, depois de avaliar o seu caso, pode aconselhá-lo melhor que ninguém sobre o que pode ou não comer, quais os exercícios que pode ou não praticar. O importante é focar-se no seu objetivo a longo prazo!
Autor: 
Sofia Esteves dos Santos
Fonte: 
Fundação Portuguesa de Cardiologia
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock