Fórum Empresarial do Atlântico

Ministro da Saúde em fórum organizado por IPDAL e Ordem dos Farmacêuticos

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, participa no encerramento do Fórum Empresarial do Atlântico dedicado ao tema ’Internacionalização do Medicamento e Produtos de Saúde’, organizado pelo Instituto para a Promoção e Desenvolvimento da América Latina - IPDAL e pela Ordem dos Farmacêuticos - OF, na próxima quarta-feira dia 6 de julho a partir das 16h no Grémio Literário, em Lisboa. A iniciativa reúne as principais empresas do setor e pretende promover as exportações e investimentos no estrangeiro da indústria farmacêutica portuguesa.

O encontro tem como mercados-alvo os que se encontram na orla do Oceano Atlântico, nomeadamente América Latina e África. Os embaixadores e encarregados comerciais vão apresentar oportunidades de negócio nos países de ambas as regiões geográficas e as empresas apresentarão as respetivas estratégias de internacionalização. A iniciativa permite às empresas portuguesas contactarem diretamente com algumas das economias do mundo que mais têm crescido nas últimas décadas – e que mais atenção têm merecido por parte dos agentes económicos e políticos nacionais – além de receberem informação rigorosa e atualizada sobre estes países.

Este seminário dá sequência ao Fórum Empresarial ’Medicamento e Produtos de Saúde’, organizado em Outubro de 2013 pelo IPDAL e pela Ordem dos Farmacêuticos. Nessa ocasião - onde esteve o então presidente da AICEP, Pedro Reis - os organizadores juntaram as maiores empresas da indústria portuguesa de saúde com os embaixadores da América Latina.

A iniciativa conta, para além da presença do ministro da Saúde de Portugal, com o Administrador da AICEP Luís Castro e Henriques, da Bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, Ana Paula Martins, do Presidente do IPDAL, Paulo Neves, do Infarmed e do Health Cluster de Portugal, além dos embaixadores e diplomatas da América Latina e de África residentes em Portugal.

Programa

16H00
Trabalhos – I Parte
Abertura
Paulo Neves, Presidente IPDAL
Ana Paula Martins, Bastonária Ordem Farmacêuticos
Luís Castro e Henriques, Administrador Executivo AICEP

Apresentações Empresas
Espaço: Biblioteca

17H30
Pausa para Café
Espaço: Biblioteca

18H00
Trabalhos – II Parte
Apresentações Embaixadas

Encerramento
Adalberto Campos Fernandes, Ministro da Saúde de Portugal
Espaço: Biblioteca

19H00
Cocktail
Espaço: Jardim

Fonte: 
llorenteycuenca
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.