Princípios de saúde

A criança e a saúde oral

Uma boca saudável na idade adulta depende dos cuidados que forem mantidos desde criança.

Ter dentes sãos é fundamental para desfrutar de uma infância saudável. Na criança os dentes são essenciais não só para a alimentação, mas também para uma aprendizagem correcta da fala e o desenvolvimento da sua autoconfiança. Por isso é importante motivar e incentivar a criança no que diz respeito ao cuidado dos dentes.

Está nas mãos dos pais dar um bom exemplo, tanto na hora de ensinar a lavar os dentes como em os levar com regularidade ao dentista. Faça a sua criança ver que uma visita ao profissional de saúde oral é uma experiência positiva. Explique que ajuda a manter uma boa saúde. Ao incentivar uma atitude positiva, aumenta as hipóteses da sua criança visitar regularmente o profissional de saúde oral ao longo da vida e reduz a necessidade de tratamentos mais invasivos e potencialmente geradores de medo e ansiedade.

Dentição de leite
Os primeiros dentes a romper são os quatro incisivos (dois inferiores e dois superiores), entre os seis meses e o primeiro ano. Frequentemente a aparição destes dentes implica dor e sensibilidade nas gengivas que ficam com um aspecto avermelhado ou inflamado. Pode ajudar a diminuir a dor esfregando as gengivas com o dedo, uma dedeira especial para esse efeito ou um anel de borracha refrigerado. Também existem géis e produtos farmacêuticos para aliviar o desconforto provocado pela erupção dos dentes do bebé.

Se a sua criança tiver febre quando os dentes estiverem a erupcionar, pode ser um processo natural de reacção do organismo. Contudo, se a febre persistir, será melhor contactar o seu médico para ajudar a prevenir qualquer outro problema, pois é um período particularmente sensível na interacção do corpo do seu bebé com o meio ambiente.

Aos três anos de idade, a maioria das crianças já tem 20 dentes, ou seja a dentição de leite completa. Estes dentes vão ser substituídos pelos dentes definitivos, mas mesmo assim há que cuidar deles tão bem como dos dentes definitivos. Se não forem tomados cuidados, eles terão de ser removidos, o que implica que os outros dentes ocupem espaços indevidos e a dentição definitiva aparecerá mal posicionada.

Os dentes de leite têm tanta importância para o correcto desenvolvimento das crianças como qualquer outro órgão ou sistema. A principal função será permitir à criança a correcta mastigação dos alimentos. Mas outras funções estão-lhe associadas, nomeadamente o estímulo para o correcto crescimento da face e a manutenção do espaço necessário para o nascimento dos dentes definitivos ou permanentes.

Dentição definitiva
Aproximadamente aos seis anos, a criança começa a perder os dentes de leite. O processo de substituição dos dentes de leite pelos definitivos dura até aos 12-13 anos de idade.

A dentição definitiva está completa aos 18 anos quando nascem os dentes do siso, ficando com 32 dentes definitivos.

Placa bacteriana
A placa bacteriana é uma capa aderente de bactérias nocivas, que se forma continuamente sobre os dentes e que ao acumular-se pode dar origem a cáries ou a gengivite.

Como a substituição dos dentes de leite pelos definitivos é gradual, manter todos os dentes limpos é difícil, a criança terá dentes grandes (dentes definitivos) e ao lado dentes mais pequenos (dentes de leite). Estas irregularidades deixam espaços nos quais se vai acumulando comida e placa bacteriana.

De todos os grupos etários as crianças são as que têm mais tendência a cáries, não só pela alimentação mas também pela falta de destreza manual para lavar a boca. Assim, ensine o seu filho a não comer alimentos doces ou bebidas açucaradas, oferecendo-lhe lanches saudáveis, tais como pão e fruta.

Como lavar os dentes
A limpeza dos dentes deve iniciar-se logo após a erupção do primeiro dente do bebé. Quanto mais cedo se iniciar o hábito diário de higiene oral, melhores perspectivas há de evitar as doenças orais. Por isso, crie junto da sua criança o hábito de higiene oral desde a erupção do primeiro dente. No início, quando há poucos dentes erupcionados, pode utilizar-se uma gaze, dedeira específica para o efeito ou escova de dentes.

Aos três/quatro anos a criança deverá ser capaz de limpar os dentes, sozinha ainda que sob o controlo de um adulto. No entanto, enquanto isso não acontece, tenha em atenção os seguintes conselhos:   

- Quando escovar os dentes do seu filho, faça-o da mesma maneira como escova os seus dentes. Geralmente é mais fácil situando-se atrás da criança e inclinando-lhe a cabeça ligeiramente para trás;
- Utilize uma escova suave especial para crianças e uma pasta com flúor (entre 1000 a 1500 ppm de flúor);
- Comece por limpar as superfícies dos molares, realizando um movimento de trás para a frente;
- Para limpar a superfície exterior dos dentes, coloque a escova de dentes num ângulo de 45º em relação à linha das gengivas;
- Faça movimentos suaves e curtos levando a escova de trás para a frente;
- Para limpar as zonas interiores, coloque a escova para baixo e faça movimentos suaves de cima para baixo com a ponta da escova;
- Não se esqueça de escovar a linha das gengivas e os dentes posteriores;
- Mude de escova a cada três meses, ou antes se os filamentos começarem a ficar gastos;
- Cada criança deve ter a sua própria escova de dentes e não a deixe partilhar ou fazer trocas;
- É importante dedicar especial atenção aos dentes posteriores (molares) onde mais facilmente se desenvolvem cáries;
 
Quando ir ao dentista
É importante que a primeira ida ao dentista seja quando a criança tenha completado a dentição de leite (20 dentes). Isto sucede entre os dois anos e meio e os três anos. O dentista examinará os dentes, as gengivas e os maxilares da criança para verificar a existência de eventuais problemas e ensinar o modo correcto de cuidar e limpar os dentes.
 
Há casos excepcionais de crianças mais novas que desenvolvem cáries precoces e que devem ser vista e tratadas.
A primeira consulta de uma criança deve ser uma experiência agradável, para criar uma atitude favorável ao tratamento dentário durante toda a sua vida.
 
Fonte: 
Gerações.net
Portal da Saúde
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.