Doença sexualmente transmissível

Condiloma acuminado

Atualizado: 
02/10/2014 - 12:55
Os condilomas acuminados caracterizam-se pela presença de saliências carnudas e aparecem na mucosa ou pele onde foi produzido o contágio.
Condiloma acuminado

O condiloma acuminado é uma doença sexualmente transmissível causada pelo vírus do papiloma humano (HPV). Trata-se de um tipo de verruga que ocorre nas mucosas da região genital ou anal. São auto-inoculáveis, podendo-se disseminar através do contacto das lesões com áreas não atingidas, e transmitidas pelo contacto directo com pessoas contaminadas.

O condiloma típico apresenta-se como uma massa firme e bem demarcada, com projecções superficiais rombudas e curtas. O tamanho médio das lesões do condiloma acuminado é de 1 a 1,5 cm, mas lesões bucais de até 3 cm tem sido relatadas.

Afecta principalmente as pessoas adultas, no entanto a susceptibilidade de contrair a doença existe em todas as idades, uma vez que o acto sexual é a forma mais comum de contágio. Quando acomete crianças, deve-se levar em consideração a hipótese de abuso sexual.

As lesões surgem após um período de incubação que varia de duas a oito semanas. Não é incomum a presença concomitante de condilomas genitais e condilomas bucais. As lesões bucais ocorrem, com mais frequência, na mucosa labial, palato mole e freio lingual.

Sintomas
O condiloma acuminado é caracterizado por lesões com aspecto de "couve-flor", rosadas ou esbranquiçadas, húmidas e mais macias que as verrugas comuns.

O tamanho pode variar desde pequenos pontos, algumas vezes imperceptíveis, isolados ou agrupados, até a lesões de grandes dimensões, podendo chegar ao condiloma gigante de Buschke-Lowenstein, decorrente do crescimento exagerado das lesões, que forma massa tumoral de grande tamanho e pode evoluir para um carcinoma verrucoso.

Nas mulheres, as lesões provocadas por alguns tipos de HPV podem favorecer o surgimento do cancro do colo do útero.

Quando os condilomas ocorrem fora das mucosas, na pele dos genitais ou regiões perigenitais e perianais, formam lesões elevadas, da cor da pele ou mais escuras, semelhantes às verrugas virais que acometem a pele de outras áreas do corpo.

Tratamento
Os condilomas orais normalmente são tratados com excisão cirúrgica conservadora. A ablação a laser também tem sido usada, mas este tratamento tem sido questionado pela sua capacidade de espalhar o HPV transportado pelo ar através de microgotas aerossolizadas, criadas pela vaporização do tecido lesionado.

Independente do método usado, os condilomas devem ser removidos, porque são contagiosos e podem espalhar-se para outras superfícies da boca e para outras pessoas através do contacto directo (normalmente, sexual).

O tratamento das verrugas genitais consiste na sua destruição, que pode ser feita através de procedimentos cirúrgicos, pela cauterização química das lesões (uso de substâncias cáusticas) ou pela criocirurgia (destruição das lesões pelo nitrogénio líquido).

Substâncias de uso tópico também demonstraram eficácia no tratamento. Quando as lesões ocorrem em grande número, pode ser necessária a estimulação imunológica do paciente para que o seu próprio organismo ajude a combater as lesões.

Fonte: 
dermatologia.net
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock