Saúde cardiovascular

Como reduzir o colesterol?

Atualizado: 
30/05/2019 - 10:14
Todos sabermos que o colesterol elevado é um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento das doenças cardiovasculares, mas será que damos a devida importância?

A resposta é muito simples, não! De facto, não damos muita importância. Como não se sente, nem dói, a maioria das vezes não somos eficazes na sua redução.

Um estudo Europeu veio demonstrar que, de todas as pessoas que tem o colesterol elevado, apenas 27% toma medidas efetivas em prol da sua redução. Este mesmo estudo mostra também que 60% dos inquiridos relaciona o colesterol elevado com idade avançada. Em Portugal, 50% da população entre os 18 e os 35 anos já tem o colesterol elevado. Afinal ainda há alguns mitos em relação ao colesterol e é necessário quebrar algumas barreiras.

Importa referir que o nosso corpo precisa de colesterol para assegurar todas as funções vitais, mas o fígado já se encarrega de produzir este colesterol necessário. Apesar disso, cerca de 30% a 40% do colesterol que circula no sangue é proveniente da alimentação. Assim, torna-se pertinente a escolha correta dos alimentos.

Se pensa que reduzir o colesterol é passar a fazer uma alimentação cheia de sacrifícios, está enganado. Vários estudos científicos demonstram que um consumo elevado de gordura saturada e de gordura trans são a causa mais comum para a para a subida do colesterol, embora existam muitos outros fatores. Por isso, deve preferir as gorduras de origem vegetal (óleos vegetais, cremes vegetais para barrar) em detrimento das gorduras de origem animal (manteiga e natas). Escolher carnes brancas, mais peixe, legumes, leguminosas e hortícolas.

A indústria alimentar tem também sido uma aliada na luta contra o colesterol, tendo um papel ativo na inovação de alimentos com benefícios significativos na redução do colesterol.

Exemplo disso, são os alimentos enriquecidos com esteróis vegetais. Desde os anos 50 que se sabe que os esteróis vegetais reduzem o colesterol total e o colesterol LDL (mau colesterol) no sangue. Mas foi especialmente nas últimas décadas que vários investigadores desenvolverem estudos com o intuito de demonstrarem cientificamente, à luz da ciência moderna, a eficácia e a segurança dos esteróis vegetais na redução do colesterol. Simultaneamente, também determinaram qual é a dose diária adequada para produzir uma redução significativa no colesterol total e no “mau colesterol”.

Após toda esta panóplia de estudos científicos, os esteróis vegetais foram submetidos a um rigoroso processo de aprovação pelo Comité Científico para Alimentação Humana, da União Europeia, no que respeita à sua segurança e a sua eficácia na redução do colesterol. Estes alimentos enriquecidos com esteróis vegetais são indicados para quem tem o colesterol elevado e a própria União Europeia criou uma legislação específica. 

Nos EUA os esteróis vegetais também passaram pela aprovação da FDA (Food Drug Administration). Atualmente, são várias as instituições mundiais, como a World Heart Federation, a British Heart Foundation, a Organização Mundial de Saúde, a Dietitians Association of Australia, a Canadian Cardiac Rehabilitation Foundation e a American Heart Association, que recomendam o uso de alimentos enriquecidos com esteróis vegetais, como uma medida indispensável para a redução do colesterol total e do mau colesterol (colesterol LDL).

Também os profissionais de saúde (médicos, nutricionistas) são unânimes em reconhecer o papel que estes alimentos que têm tido para milhares de pessoas em todo o mundo – redução do colesterol, após períodos relativamente curtos de ingestão (cerca de 3 semanas). Para quem têm o nível de colesterol muito elevado (> 280 mg/dl), pode ser necessário, por vezes, recorrer a medicação, em complemento.

O que são os esteróis vegetais?

Os esteróis vegetais são extratos naturais das plantas que têm uma estrutura muito semelhante ao colesterol.

Como atuam os esteróis vegetais? 

Por terem uma estrutura muito semelhante ao colesterol, os esteróis vegetais competem com o colesterol dificultando e impedindo a sua absorção.

Onde podemos encontrar os esteróis vegetais?

Encontram-se em pequeníssimas quantidades em alimentos que ingerimos diariamente, como nos frutos, nos legumes, nas hortaliças e nos óleos vegetais, mas não é suficiente para reduzir significativamente o colesterol. Assim, para se obter uma redução significativa temos que recorrer a alimentos que foram enriquecidos com esteróis vegetais, como cremes vegetais e/ou leites fermentados (iogurtes).

Importante não esquecer que estes produtos têm uma dose diária recomendada, de modo a assegurar a sua eficácia, por isso, é fundamental consultar a embalagem, para obter uma redução do colesterol de 7 a 10% em 2 a 3 semanas. Como é lógico, deverá também associar a prática de uma alimentação equilibrada e um estilo de vida saudável, permitindo na maioria das vezes obter reduções superiores.Vale a pena medir seu colesterol. Só assim vai conseguir mantê-lo sob controlo

 

Helena Cid - Nutricionista
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock