Visão

Presbiopia: o que é e como se trata

Atualizado: 
15/10/2019 - 10:56
A presbiopia é uma consequência natural do envelhecimento. Todas as pessoas, mesmo as que já sofrem de outra anomalia visual, começam a sentir a sinais da presbiopia a partir dos 45 anos. Dificuldade, cansaço e desconforto na visão de perto são os principais sintomas.

"Quando leio, os braços ficam cada vez mais esticados".

É assim que, frequentemente, as pessoas afetadas descrevem o fenómeno da presbiopia, também designada de presbitismo. Para, por exemplo, conseguir ler claramente as letras num livro, é necessário mantê-lo bem afastado dos olhos e, muitas vezes, os braços não são suficientemente compridos.
A presbiopia é uma mudança fisiológica que ocorre com a idade em que a flexibilidade do cristalino diminui, e é um fenómeno inevitável. Com o avançar da idade, o cristalino perde elasticidade, e o poder de acomodação dos olhos reduz-se. Para além disso, o músculo ciliar perde a capacidade de se contrair para movimentar as cartilagens do cristalino.

O valor de refracção dos olhos é medido em dioptrias. Aos 40 anos de idade, este valor é, em média, de 6 dioptrias. Até aos 48 anos, este valor diminui para cerca de 3 dioptrias e, aos 64 anos, é de apenas 1 dioptria. Os sintomas da presbiopia podem, portanto, começar a fazer-se sentir a partir dos 40 anos. Contudo, o momento exato do seu aparecimento depende de diversos outros factores, tais como os erros de refracção. Assim, uma pessoa míope, por exemplo, só necessita de correção mais tarde, uma vez que no seu caso o cristalino não precisa de se arquear tanto para se adaptar à proximidade como no caso de uma pessoa com hipermetropia.

Quais as causas da presbiopia?

Um olho saudável acomoda-se perfeitamente à refracção da luz, tanto ao perto como ao longe. À medida que envelhece, o cristalino torna-se menos elástico e, ao mesmo tempo, os músculos oculares perdem flexibilidade. O olho perde a capacidade de focar nitidamente as imagens dos objetos próximos, porque estas se formam atrás da retina e não sobre ela.

Embora o resultado desta anomalia seja semelhante ao da hipermetropia, as causas são diferentes.

Quais os sinais de alerta?

  • Dores nos olhos durante a leitura;
  • Impossibilidade de focar os objetos que se encontram mais próximos durante períodos prolongados;
  • As letras impressas só são claramente reconhecidas quando mantidas suficientemente afastadas dos olhos;
  • Dores de cabeça;
  • Os olhos ficam rapidamente cansados;
  • Vista desfocada

Como pode ser corrigida?

Lentes bifocais

Para a correção da presbiopia utilizavam-se, até há pouco, as lentes bifocais. Estas lentes dispõem, na parte inferior, de uma porção de potência apropriada para leitura e visão de perto, separada por uma linha. Aliás, foi Benjamin Franklin que descobriu as lentes bifocais, quando tentava encontrar uma solução prática para o seu problema de visão. Entretanto, existem já as lentes progressivas, que não corrigem apenas a visão de perto e a de longe, mas também todas as áreas intermédias. Nestas lentes já não se vê a linha de separação.

Óculos de leitura

Aqueles que não são míopes nem presbitas, podem corrigir a presbiopia com óculos de leitura. Estes são compostos de lentes de foco único e possibilitam uma boa visão de perto. As pessoas com miopia podem também usá-los em conjunto com lentes de contacto. Os óculos de leitura não devem ser comprados em qualquer lado, mas antes indicados pelo seu oftalmologista à sua situação individual, de forma a evitar a ocorrência de "efeitos secundários" indesejáveis (como dores de cabeça) decorrentes de uma correção inadequada.

Lentes de contacto

A presbiopia também pode ser corrigida através de lentes de contacto bifocais especiais, que possibilitam uma visão clara em todas as direções.

Autor: 
Prof. Doutor Eugénio Leite - Médico oftalmologista nas Clínicas Leite
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock