Como nos afetam

Úlceras na mucosa oral

As úlceras podem ser traumáticas ou aftosas. Saiba o que pode fazer para as controlar.

Úlceras Traumáticas
Há agressões de diverso tipo que podem ocasionar úlceras na mucosa oral. Podem ser ocasionadas por ação mecânica pelas próteses dentárias, por agentes químicos como o ácido acetilsalicílico ou de origem térmica, quando causadas por líquidos muito quentes.

Após remoção do agente agressor, o alívio da dor consegue-se com aplicação de gel oral de um anestésico local, como lidocaína 2%.

Úlceras Aftosas
A presença de úlceras aftosas é uma situação que afeta grande parte da população com prevalência de recorrência entre 5 e 20% da população. De um modo geral surgem pela primeira vez, entre os 10 e 40 anos, reduzindo a frequência de à medida que a idade avança. Cerca de 75% dos casos são ligeiros e autolimitados.

As úlceras podem ser pequenas e redondas surgindo nas zonas moles da boca e base das gengivas, na língua e debaixo desta, com predisposição para infetar e de cura difícil.

As úlceras de maiores dimensões podem unir-se e formar uma grande úlcera que cura em 30 dias. Não surgem nos lábios e não são contagiosas.

Etiologia
A etiologia não está completamente estabelecida e pode relacionar-se com a dieta, alterações hormonais, doenças hematológicas e outras. Estão ainda descritas como associadas, situações como o stresse, traumatismo da mucosa, ansiedade, medicamentos (nicorandil, anti-inflamatórios não esteroides e nicotina oral), deficiência em ferro, infeção, determinadas doenças (intolerância ao glúten, doença de Crohn, doença celíaca, infeção por HIV e doença de Behçet) e hereditariedade.

Sintomatologia
As úlceras surgem abruptamente, embora haja casos em que o doente que apresenta sensação de queimadura e latejar na boca antes do seu aparecimento. Podem surgir em adultos e crianças. As úlceras aftosas são dolorosas e recorrentes curando-se sem tratamento em 10-14 dias, embora os bochechos e pastilhas aliviem a dor e ajudem a curar mais rapidamente.

As lesões podem surgir isoladas ou em grupos e o seu diâmetro pode atingir 5 mm, são geralmente de centro branco ou amarelado com bordos avermelhados.

As úlceras podem aparecer cobertas de uma película amarela e a dor pode aumentar com determinados alimentos, particularmente os condimentados e geralmente, curam em 7-10 dias.

Há 3 tipos de úlceras aftosas:

Minor: surgem em 8 de 10 casos. São pequenas, redondas ou ovais com menos de 10 mm de diâmetro. São amarela pálido com a área em torno vermelha e edemaciada, podendo surgir de 1-5 úlceras e permanecer 7-10 dias, não são muito dolorosas e desaparecem sem deixar cicatriz.

Major: surgem um em 10 casos. Possuem diâmetro superior a 10 mm e aparecem 1-2 de cada vez, cada úlcera dura de 2 semanas a vários meses para curar e deixam cicatriz. Podem ser muito dolorosas dificultando a ingestão de alimentos.

Úlceras herpetiformes: surgem um em 10 casos. São úlceras com dimensão da cabeça de alfinete, com cerca de 1-2 mm de diâmetro, ocorrendo múltiplas úlceras ao mesmo tempo que podem juntar-se e adquirir formas irregulares. Cada úlcera perdura de 1 semana a 2 meses. Não estão relacionadas com infeção herpética.

Situações que podem mascarar as úlceras aftosas

Há situações que podem ocasionar lesões que se assemelham e que podem confundir-se com úlceras aftosas, destacando-se:

  • Lesões por escovagem exagerada, morder o interior da bochecha, ingerir alimentos acídicos ou muito condimentados;
  • Utilização de pasta de dentes com laurilsulfato de sódio;
  • Ingestão de alimentos sensibilizantes: chocolate, café, citrinos, morangos, ovos, nozes, queijo e ananás;
  • Alergia a alguma bactéria da boca;
  • Infeção por Helicobacter pylori;
  • Deficiência em ferro, vitamina B12 ou folatos;
  • Alterações hormonais como a menstruação;
  • Estados emocionais.

Tratamento das úlceras aftosas
Não há medidas preventivas das úlceras aftosas e o tratamento destina-se a aliviar a dor e acelerar a cura, não havendo necessidade de tratamento sistémico se a dor for ligeira, sobretudo nas úlceras minor.

Medidas gerais

Destacam-se as seguintes:

  • Na lavagem da boca pode usar água salgada ou bicarbonato de sódio (1 colher de chá de bicarbonato de sódio em meia chávena de água morna);
  • Pode aplicar na úlcera uma mistura de 1 colher de chá de difenidramina com 1 colher de chá de um antiácido de alumínio ou outro análogo;
  • Pode aplicar na úlcera leite de magnésia, várias vezes ao dia;
  • Cobrir a úlcera com uma pasta de bicarbonato de sódio com água;
  • Aplicar pedaços de gelo sobre a úlcera, até fundir;
  • Utilizar escovas de dentes macias e lavar os dentes suavemente não usando pastas que formem espuma;
  • Consultar o dentista se a prótese não se fixa bem;
  • Na suspeita de medicamentos causadores das úlceras, consultar o médico para avaliação e eventual substituição;
  • Evitar alimentos picantes, muito condimentados e salgados, frutos e sumos de frutos ácidos;
  • Para evitar que os líquidos toquem nas úlceras pode bebe-los utilizando uma palhinha, evitando bebidas muito quentes que podem queimar a garganta;
  • Cuidado ao comer:

o  Não comer e falar ao mesmo tempo;
o  Evitar alimentos sensibilizantes: chocolate, café, citrinos, morangos, ovos, nozes, queijo e ananás;
o  Ingerir alimentos saudáveis;

  • Se utilizar pastilhas de substituição de nicotina optar por outra via de administração da nicotina como os sistemas transdérmicos.

Situações de referência ao médico
Os indivíduos com úlceras aftosas recorrentes, de grandes dimensões e muito dolorosas devem ser dirigidas ao médico e submetidos a análise ao sangue para identificar alguma deficiência em ferro, vitamina B12 ou folatos e, submetidos a terapêutica de correção. Também quando surgem em crianças com menos de 10 anos, quando não curam em 14 dias, úlceras sem dor, com febre ou sinais de doença sistémica, úlceras com mais de 1 cm de diâmetro ou em grupos com mais de 5 úlceras devem ser dirigidos ao médico.

O médico deve ser consultado, quando:

  • As úlceras estão infetadas com dor grave, vermelhas, com mal-estar e febre, que requerem terapêutica antibiótica sistémica;
  • Surgem novas úlceras antes das anteriores estarem curadas;
  • Duram 3 ou mais semanas;
  • Se estendem ao interior de todo o lábio;
  • Ocasionam dor incontrolada;
  • Febre elevada com herpes labial.

Outros tipos de úlcera podem significar uma doença de base grave e requerem referência do doente ao médico. 

Prof. Doutora Maria Augusta Soares
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock