Fisioterapia

‘Start up’ portuguesa SWORD Health capta investimento de 3,72 ME

A ‘start up’ portuguesa SWORD Health, responsável pela criação do primeiro terapeuta digital para a fisioterapia, captou um investimento no montante de 4,6 milhões de dólares (3,72 milhões de euros).

A ronda ‘seed’ contou com o investimento da Green Innovation, Vesalius Biocapital III e outros investidores da Europa e Estados Unidos e terá como objetivo “acelerar o desenvolvimento de novas terapias digitais e impulsionar o crescimento global”, refere a empresa em comunicado.

A SWORD Health refere que se mantém “a trabalhar ativamente com seguradoras, serviços nacionais de saúde, organizações e centros de reabilitação nos EUA, Canadá, Austrália, Noruega, Portugal, África do Sul, México e Japão”.

A SWORD Health é uma plataforma tecnológica pioneira que representa uma nova abordagem à fisioterapia, refere.

“Recorrendo à combinação de sensores de movimento de alta precisão com os mais recentes avanços tecnológicos na área da inteligência artificial, o principal produto da ‘startup’ portuguesa, o SWORD Phoenix, permite aos pacientes realizarem as suas sessões de fisioterapia no conforto de sua casa, com feedback em tempo real da sua performance e sempre monitorizados pela sua equipa clínica”, explica.

Ao mesmo tempo, o SWORD Phoenix permite tratar mais doentes, com resultados clínicos sólidos e reduzindo custos operacionais, acrescenta.

A tecnologia da SWORD Health já está atualmente a ser utilizada por profissionais de saúde dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Noruega, Portugal, África do Sul, México e Japão.

O fundador e CEO da SWORD Health, Virgílio Bento, citado no comunicado, afirma que o terapeuta digital “permite a democratização do acesso a uma fisioterapia de alta qualidade aos pacientes, no conforto de sua casa”.

“Passámos os últimos três anos a desenvolver e a refinar a tecnologia, recorrendo aos maiores desenvolvimentos na área da inteligência artificial que sustenta o nosso terapeuta digital, o SWORD Phoenix, bem como a demonstrar a sua eficiência através de estudos clínicos intensivos. Iremos agora focar-nos na expansão para o mercado global, no desenvolvimento de novas terapias digitais e em mais estudos clínicos”, sinaliza.

Fonte: 
LUSA
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Pixabay

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.