Maioria entra na menopausa por volta dos 50 anos

Quase metade da vida da mulher é passada na Menopausa

No dia 18 de Outubro comemora-se a nível internacional um marco de relevância fisiológica e clínica, o dia da Menopausa. Esta é uma data importante porque se comemora um grande período da vida da mulher, significando que com o aumento da esperança média de vida das mulheres, um terço a quase metade da vida da mulher seja passada neste período da vida.

A Menopausa define-se particularmente como o dia da data da última menstruação da mulher, e o período seguinte designa-se a Pós-Menopausa.

O diagnóstico pode fazer-se retrospectivamente se a mulher tiver um ano sem menstruar na idade média de tal acontecer ou por avaliação laboratorial.

A idade média da menopausa é entre os 48 - 53 anos, com a maioria das mulheres a entrar na menopausa aos 50-51 anos.

Assim a menopausa pode ser fisiológica se ocorrer nessa idade ou ocorrer antes dos 40 anos, e por isso considerada precoce. Pode ter assim várias etiologias desde idiopática, iatrogénica a tratamentos cirúrgicos, quimioterapia ou radioterapia ou secundária a infecções ou doenças auto-imunes.

Como principais sintomas temos os afrontamentos (sintomatologia vasomotora) que se definem como calores superiores que ascendem, com vasodilatação cutânea da parte superior do tronco, cabeça e pescoço, sensação súbita de calor, sudorese profusa, palpitações, assim como as irregularidades menstruais.

Os outros sintomas intermédios são os sintomas geniturinários, alterações de humor e do padrão do sono. Tardiamente surge a perda de massa óssea, alterações cognitivas e doença cardiovascular.

O alívio da sintomatologia associada passa por alteração do estilo de vida, redução do sedentarismo, incentivo ao exercício, cessação tabágica e redução do consumo de álcool. As mulheres devem ser incentivadas a vestirem-se por camadas de modo a aliviar os calores despindo algumas peças de roupa, assim como frequentarem ambientes frescos e beberem bebidas frias.

As mulheres devem então ser vigiadas regularmente pelo ginecologista e se tiverem indicação iniciar terapêutica hormonal para alívio de 75-80% da sintomatologia vasomotora ou optarem por terapêutica sintomática dirigida a cada uma das queixas.

A terapêutica hormonal instituída perto da menopausa tem um impacto positivo a nível médico a longo prazo no risco cardiovascular e na mortalidade das mulheres.

Aquando da instituição da terapêutica hormonal deve iniciar-se a menor dose possível para controlo da sintomatologia e no maior curto espaço de tempo.

A Menopausa trata-se, quando fisiológica, do fim da fertilidade e de um processo biológico natural e perfeitamente normal da vida da mulher.

Dra. Dra. Irina Ramilo - Ginecologista/Obstetra no Hospital Lusíadas Lisboa
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.