No Porto

Investimento de 900 mil euros em projeto de nova terapia contra o cancro

O Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S), o IPO-Porto e a biofarmacêutica Phyzat anunciaram hoje um investimento de 900 mil euros num projeto que visa desenvolver uma nova terapia contra o cancro.

Com apoio financeiro do Norte 2020, o projeto decorrerá nos próximos dois anos.

Segundo o i3S, “os parceiros visam desenvolver um novo medicamento baseado em RNA de interferência (componentes das células), validar novos alvos terapêuticos e adaptar à oncologia uma tecnologia desenvolvida no i3S para entrega de ácidos nucleicos”.

A participação do i3S centra-se no desenvolvimento de “um novo sistema de entrega de oncoterapias genéticas com recurso a dendrímeros, macromoléculas capazes de incorporar fármacos e que podem ser desenhados para os entregarem a alvos específicos”.

Ana Paula Pêgo, que lidera a equipa que desenvolveu no INEB (um dos institutos que integra o i3S) esta tecnologia baseada em dendrímeros, sublinha, em comunicado, que o seu grupo “há muito tempo que se concentra no desenvolvimento destes nanocarregadores com propriedades ideais para transportarem ácidos nucleicos, como por exemplo RNA de interferência”.

Por outro lado, acrescenta, “as terapias genéticas para o cancro ainda precisam de um veículo ideal para entregar os ácidos nucleícos especificamente às células cancerígenas. É aqui que surge o encontro perfeito entre a investigação desenvolvida no i3S e a Phyzat”.

 

Fonte: 
LUSA
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock

INFORMAÇÕES ESSENCIAIS COMPATÍVEIS COM RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO NOME DO MEDICAMENTO: Microlax, 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml, Solução rectal e Microlax, 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml, Solução rectalCOMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Composição por microclister: Citrato de sódio: 450 mg ou 270 mg; Laurilsulfoacetato de sódio 45 mg ou 27 mg. Excipiente q.b.p.: 5 ml ou 3 ml. FORMA FARMACÊUTICA: Solução rectal (enema). A solução é viscosa, incolor e contém pequenas bolhas de ar incorporadas. INFORMAÇÕES CLÍNICAS – Indicações terapêuticas: Tratamento sintomático da obstipação rectal ou recto-sigmoideia; Encopresis; Obstipação durante a gravidez, obstipação associada ao parto e cirurgia (uso pré e pós­operatório); Preparação do recto e sigmóide para exames endoscópicos. Posologia e modo de administração: Adultos e crianças de idade superior a 3 anos: Administrar o conteúdo de uma bisnaga por dia. Na obstipação marcada pode vir a ser necessária a aplicação do conteúdo de duas bisnagas. Crianças até 3 anos: Na maioria dos casos é suficiente uma bisnaga de Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml. Modo e via de administração: 1. Retirar a tampa da cânula (Microlax a 270 mg/3 ml + 27 mg/3 ml) ou quebrar o selo da cânula (Microlax a 450 mg/5 ml + 45 mg/5 ml). 2. Comprimir ligeiramente a bisnaga até aparecer uma gota na extremidade da cânula. 3.Introduzir a cânula no recto. 4.Comprimir completamente a bisnaga. 5.Retirar a cânula, mantendo a bisnaga comprimida. Contra-indicações:Hipersensibilidade às substâncias activas ou a qualquer dos excipientes. Advertências e precauções especiais de utilização: Recomenda-se evitar a utilização de Microlax no caso de pressão hemorroidária, fissuras anais ou rectais e colites hemorrágicas. Interacções medicamentosas e outras formas de interacção: Não foram realizados estudos de interacção. Efeitos indesejáveis: Doenças gastrointestinais: Frequência desconhecida (não pode ser calculado a partir dos dados disponíveis): Como em relação a todos os medicamentos do género, um uso prolongado pode originar sensação de ardor na região anal e excepcionalmente rectites congestivas. DATA DA REVISÃO DO TEXTO: Janeiro de 2009. Para mais informações deverá contactar o titular de Autorização de Introdução no Mercado. Medicamento não Sujeito a Receita Médica.