Doenças de pele

Inverno agrava sintomas de dermatite atópica

Atualizado: 
07/01/2019 - 10:21
Sabia que o tempo frio é um dos grandes inimigos da pele? A verdade é que, se durante o Verão não nos esquecemos de alguns cuidados, na estação mais fria baixamos a guarda e aumentamos o risco de sofrer problemas de pele. Banhos longos e quentes estão entre os erros mais frequentes.

Durante o Verão é muito comum a preocupação em cuidar da pele. As temperaturas altas e a exposição solar não permitem descanso.

No entanto, no Inverno a maioria das pessoas acaba por deixar de lado estes cuidados e é aqui que entram em cena as doenças dermatológicas.

Especialistas alertam que o tempo frio também é inimigo da pele, que não estando devidamente hidratada, torna-se seca.

Além disso, com o frio a tendência é de se tomarem banhos mais longos e mais quentes - algo que devíamos evitar, a todo o custo, para o bem da saúde da nossa pele.

Sempre que o tempo arrefece a camada de gordura protetora da pele – também conhecida por manto hidrolipídico – fica naturalmente mais fina. Isto porque, com o frio dá-se uma menor ativação das células que produzem esta camada.

A água quente do banho vai quebrar esta barreira protetora tornando a pele ainda mais seca e, consequentemente, mais susceptível ao desenvolvimento de algumas doenças, como é o caso da dermatite atópica.

É que esta camada, para além de ser essencial para manter a hidratação, evita a penetração de bactérias e fungos. O seu enfraquecimento deixa a pele sujeita a alergias, sendo as axilas, virilhas e pés as zonas do corpo mais vulneráveis, e onde se desenvolvem, com maior frequência, infeções.

Entre as doenças mais comuns, durante esta época do ano, está então a dermatite atópica – uma alergia crónica bastante comum nas crianças, que ocorre devido a uma deficiência de hidratação do organismo, e com forte componente genética.

Para além de provocar irritação da pele, secura e prurido intenso, esta doença acaba por ter um impacto negativo na vida de quem dela padece.

Evolui de forma crónica e recorrente, alternando entre períodos de agravamento e acalmia.

Quando agravada pelo frio, pode levar ao desenvolvimento de escoriações de coceira, com inflamação e infeção, crostas, podendo mesmo soltar secreções.

Habitualmente, o tratamento das crises, quando ligeiras, é feito pelo uso de corticóides tópicos sobre a forma de pomadas, cremes ou loções que apresentam uma ação anti-inflamatória local. Os anti-histamínicos ajudam a aliviar o prurido e são administrados em xarope, comprimidos ou gotas.

Para evitar as crises, ou o agravamento das mesmas, durante esta época, siga estes conselhos:

1 - Evite banhos quentes (o ideal é que a água esteja morna) e seque bem o corpo, sobretudo as partes mais susceptíveis a infeções

2 - Opte por sabonetes com ph adequado à sua pele (o ideal é usar sabonetes neutros)

3 - Use sempre creme hidratante. Aposte em hidratantes corporais à base de ureia, óleos vegetais e antioxidantes

4 - Use protetor solar

5 - Evite o contato direto da pele com fibras sintéticas e lãs

Autor: 
Sofia Esteves dos Santos
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock