Melanoma

Faça o autoexame e proteja a sua pele

Atualizado: 
20/05/2016 - 16:24
O melanoma é o tipo de cancro de pele que mais mata no mundo. Estima-se que cerca de 55 mil pessoas morram, todos os anos, com a doença. A dermatologista Susana Vilaça explica como se pode proteger.

A incidência dos cancros da pele têm aumentado de forma gradual ao longo dos últimos 30 anos em Portugal. Estima-se que todos os anos surgem cerca de 12 mil novos cancros da pele, dos quais 1000 serão melanoma.

O melanoma é um tipo de cancro da pele menos frequente mas também é o mais perigoso. Numa fase avançada o melanoma tem capacidade de metastizar e invadir outros órgãos.

Existem vários fatores de risco que podem estar na origem do aparecimento do melanoma cutâneo:

  • Doentes com a pele, olhos e cabelo claro que dificilmente bronzeiam.
  • Doentes com antecedentes familiares e pessoais de cancro de pele.
  • Doentes com uma exposição crónica (no trabalho ou lazer) e periódica (férias) ao sol.
  • Doentes com história de queimaduras solares na infância ou na adolescência.
  • Doentes com elevado número de "sinais" na pele.

Sinais de alerta

  • Quando um sinal surge de novo ou altera de tamanho, cor e ou forma.
  • Quando um sinal têm vários cores
  • Quando um sinal dá comichão
  • Quando um sinal fica em ferida e não cicatriza

O autoexame da pele é muito importante. O exame deverá ser feito de forma sistemática. O doente deve colocar-se à frente do espelho e examinar toda área corporal, incluindo pés e mãos.

Devemos aplicar a regra do ABCDE nos sinais o que pode ajudar a detetar o melanoma numa fase inicial:

A – Assimetria – metade do sinal não coincide com a outra metade.

B – Bordo irregular – os bordos do sinal são irregulares.

C – Cor – várias tonalidades de castanho ou preto, e por vezes avermelhados, azulados ou brancos.

D – Diâmetro – o sinal é maior do que 5mm

E – Evolução – um sinal que alterou significativamente em pouco espaço de tempo.

Tratamento
O tratamento do melanoma, apesar de depender do seu estádio, é sempre individualizado e decidido por uma equipa de vários profissionais de saúde.  Por isso, em caso de dúvidas consulte o dermtologista. Quando diagnosticado numa fase precoce a sobrevida é alta, mas numa fase avançada pode ser letal.

Como proteger a sua pele

  • Evitar a exposição solar em horas mais perigosas (entre as 11h30 e 16h30)
  • Usar vestuário e chapéu de proteção.
  • Aplicar protetor solar contra as raios UVA e UVB antes de sair de casa e reforçar de duas em duas horas.
Autor: 
Dra. Susana Vilaça - Dermatologista Hospital Lusíadas Porto
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.