Doença inflamatória ou autoimune

Artrite: probióticos podem ajudar a controlar os sintomas

Importantes para a manutenção de uma microbiota saudável, os probióticos, presentes em alguns alimentos como o iogurte ou o quefir, parecem ter um papel importante na prevenção de algumas doenças, assim como no alívio dos seus sintomas. No caso da artrite há cada vez mais evidências dos seus benefícios.

Descritos como “bactérias boas”, os probióticos são na realidade microrganismos que habitam no nosso intestino e que, para além de ajudarem na absorção dos nutrientes, ajudam a fortalecer o nosso sistema imunitário. Daí que há muito se oiça falar no seu contributo no combate a certas doenças ou alergias.

Para compreendermos a sua importância e como atuam, é importante explicar que é no intestino que se encontra uma importante linha de defesa do nosso organismo. Constituída por mais de 100 mil milhões de bactérias, a flora intestinal tem um papel importantíssimo na manutenção da saúde em geral. Estas bactérias, além de servirem de barreira contra a adesão e desenvolvimento de agentes patogénicos, contribuem ainda para diminuir a inflamação da mucosa, induzir a produção de muco protetor e fornecer energia às células da mucosa intestinal para que esta cresça e se renove.

Hoje sabe-se que o stresse, a alimentação e alguns medicamentos podem provocar o desequilíbrio da microbiota, contribuindo para o desenvolvimento de algumas doenças.

Entre as patologias que podem resultar deste desequilíbrio encontram-se a asma, diabetes, obesidade e as doenças cardiovasculares, inflamatórias e autoimunes.

De acordo com investigações levadas a cabo pelo Canadian Centre for Human Microbiome and Probiotics, a suplementação com probióticos pode ser benéfica no tratamento de doenças crónicas incluindo alguns tipos de artrite.

No caso da artrite inflamatória, os probióticos podem mesmo ajudar a reduzir a inflamação. Segundo a Academia americana de Nutrição e Dietética, os doentes com artrite inflamatória apresentam uma inflamação do trato intestinal que resulta no aumento da “permeabilidade” das paredes do intestino. Quer isto dizer que, quanto mais permeáveis estas forem, mais bactérias nocivas atravessam a barreira intestinal, chegando à corrente sanguínea, dando origem a uma resposta inflamatória generalizada.

Uma vez que contribuem para o aumento das bactérias que protegem a flora intestinal, os probióticos ajudam a combater a inflamação. No caso da artrite, dizem os especialistas que a combinação de uma alimentação saudável com a suplementação de probióticos ajuda a manter as articulações sem inflamação.  

Um estudo publicado na revista Nutrition, em 2014, conseguiu demonstrar esta relação. Para tal, os investigadores avaliaram dois grupos de doentes com artrite reumatoide, ao longo de oito semanas. Um dos grupos fez suplementação de probióticos e foi possível, no final, assistir à redução dos marcadores inflamatórios neste conjunto de doentes.

No entanto, apesar das evidências admite-se que os seus benefícios para a saúde ainda não estão completamente compreendidos e alguns especialistas alertam para o facto de os suplementos não serem devidamente regulados. Quer isto dizer que nem todos os suplementos são seguros, pelo que se aconselha cautela.

Ainda que se tenha conseguido provar que favorecem o estado de saúde destes doentes, nunca é demais recomendar que fale com o seu médico antes de se decidir pela toma de probióticos.

Quais os alimentos ricos em probióticos?

  • Iogurte natural
  • Quefir
  • Leite fermentado
  • Kombucha
  • Chucrute
  • Kimchi (um condimento típico da culinária da Coreia, com base em acelgas e temperado com especiarias)
  • Miso (pasta feita à base de soja fermentada)
  • Ervilhas e azeitonas verdes
  • Chocolate negro
Sofia Esteves dos Santos
Fonte: 
Arthritis Foundation
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Pixabay