Primeira causa de morte em Portugal

Acidente vascular cerebral

O acidente vascular cerebral acontece quando o fornecimento de sangue a uma parte do cérebro é impedido. Sem essa função, as células cerebrais podem ficar danificadas impossibilitando-as de cumprir a sua função.
Acidente vascular cerebral

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma doença neurológica provocada pela diminuição súbita do aporte de sangue a uma determinada região do cérebro. Poderá ter como origem o "entupimento” de uma artéria cerebral, ficando impossibilitada a chegada de sangue a essa região do cérebro (AVC isquémico) ou o "rompimento” de uma artéria (AVC hemorrágico). É uma situação de urgência médica e, em Portugal, é a primeira causa de morte.

O cérebro controla tudo que o corpo faz, por isso, uma lesão no cérebro afectará as funções corporais. Por exemplo, se um AVC danificar a parte do cérebro que controla o movimento dos membros, ficaremos com essa função afectada. Por outro lado, o AVC pode causar a morte do tecido cerebral, designando-se de enfarte cerebral.

Existem dois tipos de AVC, o isquémico e o hemorrágico que se distinguem pela forma como ocorrem. Ou seja, o AVC isquémico, o mais comum, acontece quando um coágulo bloqueia a artéria que leva o sangue para o cérebro. Pode ser provocado por uma trombose cerebral, quando um coágulo de sangue se forma numa artéria principal em direcção ao cérebro ou por uma embolia cerebral, quando o bloqueio causado pelo coágulo, bolha de ar glóbulo de gordura (embolismo) se forma num vaso sanguíneo em alguma parte do corpo e é levado na corrente sanguínea para o cérebro.

Já nos casos de AVC hemorrágico ocorre quando um vaso sanguíneo rebenta, causando um derrame (hemorragia) no cérebro. Pode ser provocado por uma hemorragia intra-cerebral, quando um vaso sanguíneo rebenta dentro do cérebro ou devido a uma hemorragia subacnóidea, quando um vaso sanguíneo na superfície do cérebro sangra para a área entre o cérebro e o crânio (espaço subacnóide).

Sinais e sintomas
Os primeiros sinais que aparecem são muito repentinos e podem incluir dormência, fraqueza ou paralisia de um lado do corpo (pode ser um braço, perna ou parte inferior da pálpebra descaídos, ou a boca torta e salivante). Também é frequente a fala arrastada ou dificuldade em encontrar palavras ou discurso compreensível. O doente fica com a visão subitamente enublada ou pode mesmo perder a visão, apresentar confusão ou instabilidade e fortes dores de cabeça Se reconhecer algum destes sinais, ligue o 112 imediatamente.

A regressão dos sintomas depende de caso para caso. Poderá ocorrer reversão completa dos sintomas em menos de 24 horas (nesse caso, chama-se Acidente Isquémico Transitório (AIT) e não AVC); recuperação total dos sintomas após 24 horas; ou o doente poderá ficar com sequelas do AVC.

Ou seja, no AIT os sintomas são muito semelhantes a um AVC (tais como a fraqueza de um lado do corpo, perturbações visuais e fala arrastada), contudo são temporários - duram alguns minutos ou horas, e depois desaparecem completamente dentro de 24 horas.

Os efeitos de um AVC dependerão da parte do cérebro que foi danificada; da gravidade da lesão e da saúde geral do doente quando o AVC acontece. Isto porque existem vários problemas ou incapacidades que os sobreviventes de AVC terão que enfrentar nas primeiras semanas após sofrerem de um AVC.

A maioria dos casos irá melhorar ao longo do tempo à medida que o cérebro recupera. Contudo, o processo de recuperação é muito gradual e nos casos severos, poderão causar incapacidades a longo termo.

A prevenção do AVC passa por medidas como:

Fonte: 
Portal da Saúde
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock