Distúrbios do sono

Um bom colchão ajuda a reduzir a insónia na infância

A falta de sono e a sensação de não ter descansado bem afeta muitas vezes os adultos, mas como é que isso afeta os nossos filhos? A neurocientista Verena Senn destaca as principais caraterísticas que um colchão de criança deve ter para uma boa qualidade do sono.

Sofrer as consequências dos distúrbios do sono pode prejudicar o dia-a-dia da criança, tanto no relacionamento com a família e os amigos, como na escola, com uma evidente falta de concentração. De acordo com um estudo realizado pela Unidade de Neuropediatria da Clínica Universitária de Navarra, estima-se que 30% da população infantil tenha distúrbios crónicos do sono. Isso afeta a atividade cerebral, influenciando processos de memória, linguagem e resolução de problemas.

Este estudo, assim como muitos outros, alertou as principais marcas do setor do sono que, nos últimos anos, têm dedicado os seus esforços, principalmente nos departamentos de inovação e tecnologia, para oferecer colchões que permitem melhorar o sono dos mais novos. Como pais, o que sabemos sobre os benefícios desses colchões? Como podemos detetar quais são as novas tecnologias ou materiais de última geração que nos ajudarão a melhorar a insónia infantil que os nossos filhos sofrem?

Verena Senn, Neurocientista e especialista do setor do descanso, considera que “uma das chaves para ajudar a dormir e melhorar o descanso dos mais pequenos é saber escolher um bom colchão, que seja resistente, lavável e, preferencialmente, sem componentes tóxicos.”

De entre todos os benefícios que os colchões nos oferecem hoje, Verena Senn destaca as três principais vantagens que devem ser levadas em conta no momento de escolher o colchão para o seu filho:

Tecnologia Airgocell: esta tecnologia, a mais recente em viscoelástico, proporciona uma vantagem de conforto graças à sua elasticidade localizada que permite que uma zona seja comprimida sem afetar o resto do colchão. Mas esta não é a única vantagem. Sabia que o corpo consegue eliminar através dos poros na forma de transpiração até 100 litros de água por ano? A tecnologia Airgocell fornece a ventilação correta do colchão entre a espuma graças aos seus poros. Uma espuma termorreguladora que promove um sono duradouro, evitando a transpiração noturna.

Materiais isentos de toxinas: as espumas livres de produtos nocivos ajudam a evitar alergias e favorecem o descanso de qualquer criança. Além disso, graças à sua elasticidade, ajudam as crianças a virarem-se durante o sono e a evitar que acordem.

Colchão 100% adaptável: os materiais de última geração incorporam um suporte ideal que garante o alinhamento da coluna em qualquer posição, permitindo que a coluna da criança se possa desenvolver adequadamente.

Além da escolha de um bom colchão, a Neurocientista recomenda uma série de dicas úteis que favorecem um descanso de qualidade para a criança. Não devemos esquecer que os distúrbios do sono na infância podem levar a problemas de comportamento e insucesso escolar, por isso estes truques e dicas devem ser levados em conta para evitar a falta de sono nos mais novos:

  1. As crianças adoram rotinas, por isso é importante tentar seguir um cronograma mais ou menos fixo e fazer as mesmas coisas e pela mesma ordem antes de ir dormir. Marcar um horário para ir para a cama pode ser a chave para uma boa noite de sono.
  2. Sabia que a luz do dia desperta-nos e o escuro acalma-nos? Por esta razão, outro fator que pode reduzir a falta de sono nas crianças é manter a luz fraca em casa quando é hora de ir dormir.
  3. A música também ajuda a dormir bem. É aconselhável colocar música suave e de ritmo lento ou cantar músicas que ajudem a mente a relaxar e acompanhar o seu sonho. Desta forma, ouvir este tipo de música permite que seja feita uma desconexão, criando a sensação de calma, concentração e redução dos níveis de ansiedade.
  4. O contato físico também pode ajudar a adormecer. Não há nada como o calor da mãe ou do pai para relaxar e acompanhá-los até que eles adormeçam. O sono, como muitas outras coisas, é um processo de amadurecimento e as crianças estarão mais preparadas para dormir sozinhas à medida que crescem e consolidam a sua autonomia. É preciso respeitar o ritmo de cada criança e não apressar.
Fonte: 
Guesswhat
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock