Abcesso dentário

Um abcesso dentário é nada mais nada menos que uma bolsa de pus provocada por uma infeção bacteriana e que pode surgir em diferentes regiões do dente. Designa-se de abcesso periapical quando ocorre na extremidade da raiz ou periodontal quando este ocorre nas gengivas, junto à raiz do dente.

O abcesso pode ainda ser considerado consoante a intensidade e duração da sintomatologia, como agudo ou crónico. É que, embora as causas possam ser as mesmas, a reação do organismo e o nível de agressão podem ser diferentes.

No abcesso agudo a agressão é mais violenta e as defesas do organismo reagem de uma maneira mais intensa, ao passo que no abcesso crónico a agressão pode ser menos intensa e/ou a reação do organismo pode ser mais lenta. Em termos de consequências, são ambos iguais.

No entanto, um abcesso crónico pode desenvolver-se durante meses ou até anos e, habitualmente, não dá sintomatologia. Por isso, muitas vezes, é diagnosticado quando se faz uma radiografia por outro motivo qualquer. Aí, é possível verificar a eventual existência de um granuloma, ou até pode já existir um quisto.

Causas

A formação dos abcessos pode ter duas causas principais: as cáries ou a agressão dos tecidos próximos dos dentes.

Numa cárie há uma agressão da parte viva do dente (designada de pulpa), onde também existe uma artéria, uma veia e um nervo. Assim, uma cárie provoca a infecção da pulpa e vai depois levar à formação do abcesso, porque a pulpa tem ligação com o exterior do dente através da tal artéria, veia e nervo.

A segunda causa pode derivar de um tratamento dentário. Quando um doente vai desvitalizar um dente, isto é, retirar a pulpa e todo o tecido vivo do dente, são colocados produtos químicos para fechar esse “buraco”. Esses produtos podem causar uma agressão dos tecidos. De qualquer maneira, as cáries constituem a grande maioria das causas dos abcessos.

Sintomas

  • Dor de dentes intensa, persistente e latejante;
  • Sensibilidade a temperaturas quentes e frias;
  • Sensibilidade à pressão feita pela mastigação ou mordedura;
  • Febre;
  • Inchaço no rosto ou na bochecha;
  • Sensibilidade e inchaço dos gânglios linfáticos na parte inferior do maxilar ou no pescoço;
  • Afluxo súbito de líquido malcheiroso e com sabor desagradável na boca e alívio da dor, se o abcesso rebentar.

Tratamento

Atualmente, o tratamento dos abcessos faz-se à base de antibióticos e da drenagem do pus no local. O estado em que se encontra o abcesso é determinante para a escolha do tratamento.

A falta de tratamento dos abcessos pode originar complicações mais graves e em, situações raras, também originam manifestações sistémicas, ou seja, manifestações para além da zona, que podem ser do foro cardíaco e chegar até ao ponto de uma septicemia, registando-se uma disseminação daqueles micróbios através dos sistemas linfático e arterial. Estas situações, embora raras, são graves e podem levar à morte do doente.

Artigos relacionados

Cárie Dentária
Alimentação e cárie dentária 
Escovagem dos dentes 

Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.