Opinião

Serviço de Primeira Dispensa: Um novo serviço de proximidade prestado pelo farmacêutico

A prevalência das doenças crónicas está a aumentar em Portugal, induzida principalmente por dois fatores: o aumento da esperança de vida e hábitos de vida não saudáveis.

De acordo com o Inquérito Nacional de Saúde realizado em 2014, mais de 5,3 milhões de residentes em Portugal com 15 ou mais anos referiram ter, pelo menos, uma doença crónica. Entre as mais prevalentes encontramos as doenças cardiovasculares, o cancro, as doenças respiratórias crónicas e a diabetes.

Esta realidade exige o desenvolvimento de serviços cada vez mais vocacionados para a melhoria dos cuidados de saúde dos cidadãos. Viver mais anos, com mais qualidade de vida deve ser o grande lema do sistema de saúde, onde se inserem tanto os profissionais de saúde, como o próprio utente. 

O medicamento constitui uma parte central dos cuidados de saúde. A toma correta dos medicamentos contribui de forma determinante para o controlo das doenças crónicas e consequente melhoria da qualidade de vida das pessoas. No entanto, estima-se que 50% dos cidadãos, em todo o mundo, não toma corretamente os seus medicamentos, o que aumenta a probabilidade de insucesso do tratamento e o aparecimento de complicações evitáveis.

A não adesão à terapêutica é um problema comum, particularmente frequente nas pessoas que se encontram a tomar vários medicamentos e que iniciam um novo tratamento. Um estudo efetuado em 2004 revelou que cerca de um terço das pessoas a quem tinha sido prescrito um novo medicamento não o tomou conforme prescrito, quase metade delas de forma deliberada. Muitas pessoas reportaram ainda necessidades não atendidas de informação e suporte.

Apesar do aconselhamento prestado na farmácia no momento da dispensa do medicamento, quando a pessoa inicia a sua toma começa a experienciar os efeitos do medicamento, surgindo novas questões e preocupações, que têm um grande impacto na adesão à terapêutica. É neste momento, em que as pessoas precisam de respostas, que um serviço de proximidade prestado pelo Farmacêutico pode fazer a diferença.

É neste contexto que surge um novo serviço nas Farmácias Holon - o Serviço de Primeira Dispensa. Este consiste no acompanhamento da pessoa que inicia um novo medicamento e inclui duas consultas farmacêuticas (presenciais ou via por telefónica), a primeira 7 a 14 dias após o início da toma do novo medicamento e a segunda 14 a 21 dias após a primeira consulta. Desta forma, será possível detetar e resolver problemas relacionados com o medicamento, assim como esclarecer qualquer dúvida que tenha surgido.

Este acompanhamento personalizado pretende garantir que o tratamento vai ao encontro dos resultados desejados, contribuindo para a segurança através da prevenção de efeitos adversos e de problemas relacionados com os medicamentos, aumentando o envolvimento da pessoa no seu processo de cuidados de saúde e apoiando-o na tomada de decisões sobre o seu tratamento e autogestão.

Este novo serviço vem complementar os serviços já disponibilizados pelas Farmácias Holon, reforçando a relação de confiança, proximidade, disponibilidade e dedicação que mantêm com os seus utentes.

Maria João Mendes - Intervenção Farmacêutica Farmácias Holon
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock