Especialista recomenda

Os 5 passos essenciais para uma cirurgia estética segura

Saiba o que deve considerar antes de realizar uma cirurgia estética. De acordo com o especialista em cirurgia plástica David Rasteiro, ter toda a informação sobre o médico, o local e o procedimento é essencial para realizar uma cirurgia em segurança.

Hoje em dia cada vez mais mulheres e homens procuram atingir um corpo ideal recorrendo muitas vezes a procedimentos médicos estéticos. Preocupados com o corpo, os portugueses tentam muitas vezes melhorar ou corrigir aspetos que pensam ser negativos, com o objetivo de atingir a imagem física desejada.

Na sociedade atual a importância da cirurgia estética e plástica tem vindo a assumir um papel preponderante na construção - e reconstrução - de situações de ordem física. Mas é hoje fundamental reforçar alguns aspetos a ter em consideração na hora de decidir optar e avançar para uma cirurgia estética.

De acordo com David Rasteiro, cirurgião especialista em cirurgia estética, plástica e reconstrutiva “uma cirurgia estética é algo que transforma a vida de uma pessoa, não só fisicamente como também a nível psicológico, sendo fundamental compreender todos os passos antes, durante e após realizar qualquer tipo de tratamento”. 

Existem diferentes situações que levam uma pessoa a optar por uma cirurgia estética. "As motivações para realizar uma cirurgia estética são diversas. Seja uma mulher que quer recuperar a sua forma e as suas curvas após o nascimento de um filho, ou um homem que gostaria de ter uma barriga mais lisa e reforçada através de uma abdominoplastia, os casos divergem mas a importância de estar atento e informado de todo o processo cirúrgico é fundamental para uma boa recuperação”, explica o cirurgião. 

A verdade é que, não são raras as vezes que tomamos conhecimento de cirurgias estéticas que correram mal, sobretudo quando se tratam de procedimentos estéticos inseguros e demasiado económicos que podem pôr em risco a vida do paciente.

O cirurgião plástico defende, deste modo, que “é essencial que os pacientes procurem por cirurgiões plásticos certificados pelos conselhos e sociedades de medicina locais, independentemente de onde forem realizar o procedimento” e deixa 5 conselhos para que possa realizar uma cirurgia estética de forma segura: 

1 – Informe-se sobre o médico e o local onde irá realizar a sua cirurgia:  Um dos primeiros passos na hora de iniciar o seu tratamento estético é procurar informação sobre o médico e o local onde irá realizar a sua cirurgia. Poderá consultar o nome do médico assegurando que pertence à Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética. Desta forma terá a certeza que este é um médico certificado para realizar a cirurgia que pretende, sendo assim credível, experiente e seguro.

2-  A importância do pré-operatório: O período pré-operatório é muito importante, pois é o momento que marca a interação inicial entre paciente e médico. Este é um momento de preparação essencial para o sucesso de qualquer tratamento. Trata-se de um  momento de troca de informação sobre os procedimentos, realização de exames prévios e esclarecimento de dúvidas. É a altura certa para perguntar sobre todas as restrições pré e pós-operatórias e dar todas as informações relativas ao seu histórico clínico.  Este momento é extremamente importante para estabelecer uma relação de confiança entre médico e paciente.

3 – Esteja confortável e conheca o ambiente cirúrgico: Para a segurança de um paciente na hora de proceder a um a cirurgia estética é importante que este conheça e esteja familiarizado com o local onde irá realizar a mesma. Seja em ambiente hospitalar ou numa clínica privada, é importante que um paciente se informe junto do seu médico sobre as condições do local e esteja totalmente ambientado e confortável antes de realizar a sua cirurgia.

4 -Defina o momento certo: É muito importante que o paciente esteja organizado tanto psicológica, como fisicamente.  Se estiver a passar por uma fase difícil emocionalmente, deverá repensar se esse é o momento certo. Não deverá fazer um procedimento estético como compensação emocional. Por outro lado, é necessário ter assuntos relacionados com casa, família e o trabalho organizados, de forma a não ter preocupações no momento seguinte à operação. No processo de recuperação é essencial repousar. A  sua saúde deverá ser a prioridade.

5 -  A importancia do Pós – Operatório: Obedeça todas as recomendações feitas pelo médico.  Respeitar o período de recuperação é essencial em qualquer tratamento estético. Em algumas intervenções estéticas, poderá ser necessário ter ajuda para algumas atividades diárias, pois os seus movimentos poderão ser limitados. Esteja sempre em contacto com o seu médico de forma a seguir todos os procedimentos e não hesite em colocar qualquer dúvida sobre o processo de cicatrização.

Todos estes passos são essenciais para que a intervenção corra de acordo com o esperado e para que a recuperação seja feita de forma correta, tranquila e segura.

*artigo adaptado pelo Atlas da Saúde

Fonte: 
Join Communication
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock

Resumo das Características do Medicamento: 1. NOME DO MEDICAMENTO Beacita 60 mg cápsulas. 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada cápsula contém 60 mg de orlistato. 3. FORMA FARMACÊUTICA Cápsula. 4. INFORMAÇÕES CLÍNICAS 4.1 INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS Beacita é indicado para perda de peso em adultos com excesso de peso (índice de massa corporal, IMC, ≥28 Kg/m2) e deve ser tomado em associação a uma dieta moderadamente hipocalórica e de baixo teor em gorduras. 4.2 POSOLOGIA E MODO DE ADMINISTRAÇÃO Adultos: A dose recomendada de Beacita é uma cápsula de 60 mg três vezes ao dia. Não devem ser tomadas mais do que três cápsulas de 60 mg em 24 horas. O tratamento não deve exceder 6 meses. Caso os doentes não consigam perder peso após 12 semanas de tratamento com Beacita, devem consultar o seu médico ou um farmacêutico. Pode ser necessário descontinuar o tratamento. A dieta e o exercício são partes importantes dum programa para perder peso. Recomenda-se que se inicie uma dieta e um programa de exercício antes de iniciar o tratamento com Beacita. Enquanto estiver a tomar Beacita, o doente deve fazer uma dieta equilibrada do ponto de vista nutricional, moderadamente hipocalórica e em que as gorduras contribuam aproximadamente em 30% para o valor calórico total (por exemplo, numa dieta de 2000 kcal/dia, isto equivale a <67 g de gordura). A ingestão diária de gorduras, de hidratos de carbono e de proteínas deve ser distribuída pelas três refeições principais. A dieta e o programa de exercício devem continuar a ser seguidos após interrupção do tratamento com Beacita. Populações especiais. População pediátrica: Beacita não deve ser utilizado em crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anos devido a insuficiente informação sobre segurança e eficácia. Idosos (> 65 anos de idade): existem dados limitados sobre o uso do orlistato em idosos. No entanto, como o orlistato é minimamente absorvido, não é necessário ajustar a dose para idosos. Disfunção hepática e renal: não foram estudados os efeitos do orlistato em doentes com insuficiência hepática e/ou renal. Contudo, como o orlistato é absorvido em frações mínimas, não é necessário ajustar a dose nos doentes com compromisso hepático e/ou renal. Modo de administração: a cápsula deve ser tomada com água imediatamente antes, durante ou até 1 hora após cada refeição principal. Se for omitida uma refeição ou se esta não contiver gordura, a dose de Beacita deve ser omitida. 4.3 CONTRAINDICAÇÕES Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes, tratamento concomitante com ciclosporina, síndrome de mal absorção crónica, colestase, gravidez, amamentação, tratamento concomitante com varfarina ou outros anticoagulantes orais. 4.8 EFEITOS INDESEJÁVEIS As reações adversas ao orlistato são essencialmente de natureza gastrointestinal e relacionadas com o efeito farmacológico do fármaco na prevenção da absorção da gordura ingerida. Infeções e infestações: Muito frequentes: Influenza, Doenças do sangue e do sistema linfático: Frequência desconhecida: Diminuição do valor da protrombina e aumento de INR, Doenças do sistema imunitário, Frequência desconhecida: Reações de hipersensibilidade, incluindo, anafilaxia, broncospasmo, angioedema, prurido, erupção cutânea e urticária, Doenças do sistema imunitário: Frequência desconhecida: Reações de hipersensibilidade, incluindo anafilaxia, broncospasmo, angioedema, prurido, erupção cutânea e urticária, Doenças do metabolismo e da nutrição: Muito frequentes: Hipoglicémia, Perturbações do foro psiquiátrico, Frequentes: ansiedade, Doenças do sistema nervoso, Muito frequentes: cefaleias, Doenças respiratórias, toráxicas e do mediastino, Muito frequentes: Infeção respiratória superior, Frequentes, Infeção respiratória inferior, Doenças gastrointestinais, Muito frequentes, Eliminação de manchas oleosas pelo reto, Gases com descarga, Sensação de urgência em defecar, Fezes gordurosas/oleosas, Evacuação oleosa, Flatulência, Fezes moles; Frequentes: Dor abdominal, Incontinência fecal, Fezes líquidas, Aumento da defecação, Distensão abdominal, Afeção nos dentes, Afeção nas gengivas, Frequência desconhecida: Diverticulite, Pancreatite, Hemorragia retal ligeira; Afeções hepatobiliares: Frequência desconhecida: Hepatite que se pode tornar grave, Colelitíase, Aumento das transaminases e da fosfatase alcalina; Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos: Frequência desconhecida: Erupções vesiculares; Doenças renais e urinárias: Frequência desconhecida: Nefropatia por oxalato; Perturbações gerais e alterações no local de administração: Frequentes: Fadiga. 5. TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO Actavis Group PTC ehf., Reykjavikurvegur 76-78, IS-220, Hafnarfjordur, Islândia. 6. NÚMERO(S) DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO Registado no Infarmed I.P. com o nº 5474143, blister de 60 unidades. Registado no Infarmed I.P. com o nº 5474150, blister de 84 unidades. 7. DATA DA REVISÃO DO TEXTO 29 de outubro de 2012. Para mais informações deverá consultar o titular de autorização no mercado. Medicamento Não Sujeito a Receita Médica.