É importante refletir

Mais de um milhão de portugueses entre os 20 e os 79 anos tem diabetes

Em Portugal, estima-se que mais de um milhão de portugueses sofra de diabetes e que cerca de dois milhões estão em risco de desenvolver a doença. A celebração do Dia Mundial da Diabetes tem como objetivo alertar a sociedade civil e entidades oficiais para esta doença e as suas problemáticas.

O Dia mundial da Diabetes celebra-se a 14 de novembro de cada ano tendo sido implementado em 1991 pela Federação Internacional de Diabetes (I.D.F.) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), em resposta ao crescente diagnóstico desta doença a nível mundial.

Desde então já mais de 60 países se juntaram a esta iniciativa cujo símbolo é uma roda azul, representando a esperança para as pessoas que vivem com esta doença ou estão em risco elevado de a desenvolver. A celebração do Dia Mundial da Diabetes, tem como objetivo alertar a sociedade civil e entidades oficiais para esta doença e as suas problemáticas.

De facto, os números nacionais e internacionais não podem deixar de impressionar e se nos debruçarmos sobre eles percebemos rapidamente que esta doença convive muito próximo de nós, de uma forma direta (se a tivermos ou estivermos em rico de a desenvolver) ou indireta (familiares e amigos afetados, com custo diretos e indiretos para a sociedade). Se não vejamos:

1. Em Portugal, estima-se que mais de um milhão de portugueses, entre os 20 e os 79 anos, tem diabetes e que cerca de dois milhões estão em risco de desenvolver a doença por estarem já num estadio designado de hiperglicemia intermédia (mais conhecido por pré-diabetes);

2. Uma em cada 10 mulheres tem diabetes;

3. A Diabetes na Gravidez duplicou na última década;

4. A Diabetes rouba em média 8,5 anos de vida em adultos com menos de 70 anos;

5. A Diabetes constitui, atualmente, uma das principais causas de morte, principalmente devido ao aumento significativo do risco de doença coronária e de acidente vascular cerebral;

6. A diabetes a nível mundial mata mais que as guerras, os desastres naturais e as doenças infeciosas que tanto se temem;

7. Em praticamente todos os países desenvolvidos, a Diabetes é a principal causa de cegueira, insuficiência renal e amputação de membros inferiores.

Mas o que é a diabetes?

A Diabetes é uma doença que resulta da persistência de um nível elevado de glicose no sangue, que pode, na maioria dos casos, não dar sintomas durante muito tempo pelo que é considera uma doença silenciosa.

Os níveis cronicamente elevados de glicemia no sangue levam ao desenvolvimento de lesões em vários órgãos e sistemas sendo nos rins, olhos, nervos periféricos e sistema vascular, onde se manifestam as mais importantes, e frequentemente fatais, complicações da Diabetes.

Estas complicações, e a própria doença, trazem sofrimento humano quer nas pessoas com Diabetes quer nos seus familiares. Para além disso, os seus custos económicos são enormes. Estes custos incluem os cuidados de saúde, a perda de rendimentos e de produtividade para o próprio e para a sociedade.

Hábitos sedentários, uma alimentação hipercalórica e pouco cuidada, um consequente excesso de peso e um perímetro abdominal aumentado constituem o quadro mais habitual do estilo de vida pouco saudável onde surge a diabetes. Estes fatores associados à falta de vigilância de saúde podem levar a um diagnóstico tardio da doença.

A única maneira de travar este crescendo exponencial da diabetes passa por um lado pela prevenção da doença, através da sensibilização para a mudança de estilos de vida, por outro lado pelo seu diagnóstico precoce e otimização do seu tratamento.

A Endocrinologia é a especialidade médica que tem como objetivo o estudo, diagnóstico e tratamento das doenças endócrinas e metabólicas nomeadamente a Diabetes e a obesidade, sendo a especialidade de referência nestas áreas. Mas qualquer médico pode fazer o diagnóstico, e o seguimento inicial pode ser realizado a nível dos cuidados primários que encaminharão os casos mais complexos para as consultas de especialidades, quando indicado. Por isso, se tem fatores de risco para diabetes como antecedentes familiares, excesso ponderal ou se já tem diabetes diagnosticada, consulte o seu médico para diagnóstico precoce e seguimento adequado.

Dra. Catarina Coelho – Especialista em Endocrinologia Hospital de Cascais
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock