Principais benefícios

O que um beijo pode fazer pela sua saúde

Sabia que os casais que se beijam com mais frequência são menos propensos a terem discussões com os filhos, são compreensivos, mais atentos e mais encorajadores? E que beijar estimula o sistema imunitário protegendo-nos contra certos microorganismos? Neste artigo, Alexandra Pereira, psicóloga, mostra-lhe como o beijo faz mais pela sua saúde do que pode imaginar.

Quem não se lembra do seu primeiro beijo? A Ansiedade, o medo, as borboletas na barriga… Para uns foi roubado, para outros planeado, por erro ou até mesmo desejado. Uns preferem esquecê-lo, outros guardam-no com carinho. Poucas são as ações carregadas de ansiedade e simbolismo como aquele beijo. O primeiro beijo pode lançar mil navios, ou afundar cada um deles!

O ser humano beija-se por várias razões, por amor, por sorte, para dizer olá e para se despedir.

Símbolo de respeito, carinho, afeição e amor, o beijo é uma linguagem universal. Não importam as circunstâncias, o primeiro e o último beijo representam intensidade na nossa vida. Ambos são complicados, mas na verdade o último beijo é normalmente mais profundo e significativo. As sensações percebidas e aprendidas fazem-nos apreciá-lo e senti-lo em plenitude.

Vários estudos avaliaram a importância do beijo para a saúde. De acordo com os resultados, há uma estimulação do sistema imunológico aquando da troca de saliva, ajudando o corpo a lutar contra certos microrganismos, contribuindo por isso para uma maior resistência a infeções e a alergias.

Beijar estimula a produção de várias hormonas endorfinas e de oxitocina (o antidepressivo natural) que provoca, entre outras coisas, a diminuição da pressão sanguínea, dos níveis de colesterol e de stress. O beijo relaxa, estabiliza o batimento cardíaco e melhora o bem-estar.

Os benefícios do beijo não são apenas físicos. Investigadores das ciências sociais afirmam que casais que se beijam com mais frequência eram menos propensos a terem discussões com os filhos, eram compreensivos, mais atentos e mais encorajadores. Banhada por essa energia positiva, as crianças também encontram um maior equilíbrio a cada dia.

Seja dado de manhã ao acordar, antes de ir trabalhar, numa reunião à noite ou no final de uma conversa, um beijo é uma das formas mais simples e espontâneas que temos para testemunhar carinho para com os nossos pares. Quando são muitos, sinceros e especialmente compartilhados, muitas vezes indicam que tudo está bem, e é por isso que eles também são um bom indicador da qualidade da vida familiar.

Aquele beijo carinhoso que trocamos diariamente tem uma função respeitável e valiosa. É graças a ele que a mãe sabe se o seu filho está febril. É graças a ele que pessoas solteiras obtêm informações olfativas sobre os possíveis parceiros que encontram diariamente.

Beijar ativa o cérebro na produção de um cocktail de substâncias químicas que nos fazem sentir bem, e acedem ao centro de prazer do cérebro. Levando a uma sensação de prazer, de alívio e diminuição dos níveis de ansiedade e depressão. Beijar é bem melhor do que tomar antidepressivos!

O beijo é um aspeto da demonstração de afeto. E em conjunto com a capacidade de lidar com as emoções de maneira verbal e direta, o ato beijar pode ser responsável pela qualidade de qualquer relação humana… por isso beije, beije muito.

Dra. Alexandra Pereira - Psicóloga e Psicoterapeuta Clínica da Mente
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Pixabay