Saúde Oral

O que a boca tem a dizer sobre a sua saúde

A língua é uma excelente fonte de informações sobre a sua saúde. Coloração, textura e odor podem determinar a existência de algumas doenças. Mas não é a única! Hálito, gengivas e até os dentes podem indicar o que está errado com o seu organismo.

Não é em vão que crescemos a ouvir dizer que a saúde começa pela boca. A verdade é que é nesta parte do corpo que, por vezes, surgem os primeiros sinais de que alguma coisa não está bem no nosso organismo. Quer a nível físico, quer psicológico.

Por isso é de extrema importância que lhe dê a devida atenção, não só cuidando da sua saúde oral, como estando atento a outros sinais.

Sabe-se, por exemplo, que uma coloração muito esbranquiçada da língua pode indicar anemia. Caso apresente lesões aftosas, isso pode significar que sofre de estomatite, ou que alguma outra doença está a afetar o seu sistema imunitário.

As feridas nos lábios, por outro lado, podem ser um sinal de desidratação. Sobretudo no Inverno.

Quando estas feridas se localizam no canto da boca e há dificuldade no processo de cicatrização, pode estar a sofrer de queilite angular (vulgarmente conhecida por boqueira) – um processo inflamatório doloroso provocado pela falta de vitaminas do complexo B.

A boca seca, desencadeada por vários fatores como menopausa, alguns medicamentos ou diabetes, por exemplo, pode ser sinal de infeção nas glândulas salivares.

Na realidade, a saliva é extremamente importante, não só porque protege os dentes contra as bactérias como facilita a mastigação e deglutição dos alimentos.

As aftas podem indicar baixa imunidade e podem ser provocadas por uma doença específica ou pelo uso de medicamentos. Habitualmente, estão associadas ao stress emocional ou alterações hormonais. Podem ainda indicar uma intolerância alimentar (ao glúten, por exemplo) ou deficiência de zinco.

Já o hálito pode indicar a existência de problemas de saúde como a diabetes. É que, de acordo com alguns especialistas, o cheiro da boca é um bom indicador de determinadas doenças.

Quem sofre de diabetes, por exemplo, costuma apresentar um cheiro mais ácido, semelhante ao de uma maçã velha, garantem.

Os doentes renais crónicos, em hemodiálise ou transplantados, podem apresentar um hálito com um odor parecido à urina.

Outras doenças como a febre reumática e mononucleose ou certas intolerâncias (lactose, por exemplo) também podem alterar o hálito.

Por fim, dentes rectos e gastos, assim como dores de cabeça matinais e dores no maxilar são sinais típicos de quem sofre de bruxismo. Stress ou problemas emocionais podem estar na origem deste ranger de dentes. 

Sofia Esteves dos Santos
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock