Opinião

O Dia Mundial da Atividade Física

O exercício físico é sem dúvida uma das rotinas que apareceram nos nossos dias cujas vantagens darão certamente frutos na qualidade de vida e longevidade das populações.

Quando nos deslocamos ao Parque da Cidade no Porto ou na Foz, temos o grato prazer de ver muita gente a correr, andar de bicicleta ou simplesmente a caminhar. Estão de facto os hábitos das pessoas a modificar e as autarquias têm um papel fundamental nesse incentivo, criando espaços, passeios e ciclo vias adequadas.

Como médicos, sentimos que os nossos apelos diários aos doentes valem o esforço e a insistência, ou seja, a mensagem está a passar...

Quem se lembra há cerca de 20 anos ver nas ruas das grandes cidades provas de atletismo com milhares de pessoas, a grande maioria atletas de “ocasião”? Ninguém. Estas realizações sucederam-se nos últimos anos, criando nas pessoas rotinas saudáveis, que levam sem dúvida a uma melhoria da saúde individual e colectiva. Muitos são os benefícios da atividade física regular, pois geram-se rotinas de exames médicos de aptidão desportiva com as enormes vantagens de rastrear doenças e também preveni-las, rastreios de nutrição, etc.

Muitos jovens trocaram rotinas de frequentar cafés por pavilhões desportivos, campos de futebol, etc.

O exercício físico é sem dúvida uma das rotinas que apareceram nos nossos dias cujas vantagens darão certamente frutos na qualidade de vida e longevidade das populações. Daí a lógica que se comemore o Dia Mundial da Atividade Física como baluarte de uma vida saudável física e psíquica.

Professor Doutor Paulo Amado
Médico Especialista de Ortopedia e Traumatologia
Professor Doutor em Medicina e Cirurgia
Mestre em Medicina Desportiva
Diretor Clínico da CLÍNICA MÉDICA DA FOZ – PORTO
Coordenador da Unidade de Medicina Desportiva e Artroscopia Avançada do HOSPITAL LUSÍADAS - PORTO
Vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina e Cirurgia do Pé
Membro do Council Europeu do Pé - EFAS  

Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Pixabay