Hoje assinala-se o Dia Mundial do Animal

O cão, fonte de inspiração!

Atualizado: 
17/12/2018 - 16:43
Ao longo do tempo, o cão desempenhou e desenvolveu várias funções que implicavam a realização de atividade física. No mundo atual, com o aumento da tecnologia, muitas destas funções foram substituídas. Para além dos passeios, os cães podem trabalhar em atividades que tenham em consideração a sua capacidade de aprender. Existem vários tipos de desportos caninos que desenvolvem estas áreas e vários trabalhos de utilização social em que o seu papel se tem revelado insubstituível.

Mundialmente existem vários desportos de ar livre que se praticam com cães, nos quais é fundamental o binómio homem-cão. A escolha do tipo de desporto deve ser orientada de acordo com as capacidades, habilidades e espírito competitivo de cada cão. Cabe ao homem a responsabilidade de o treinar adequadamente, seguindo determinadas regras éticas, especialmente no que diz respeito à raça, utilizando métodos com reforço positivo e rejeitando técnicas que utilizem a força ou que utilizem instrumentos de treino e incentivo inadequados.

O cão, levado ao limite, coloca a sua vida em risco para salvar um ser humano. Existem várias histórias memoráveis de salvamentos feitos por cães. Os cães de busca e salvamento trabalham em vários tipos de cenário: na neve, na montanha ou na água. Tendem a conseguir chegar onde é muito difícil o acesso aos humanos e colocam em funcionamento o que aprenderam durante a sua formação. Têm de ter uma total confiança no seu treinador, utilizando a sua capacidade olfativa e a sua capacidade de sobrevivência em situações limite. As autoridades policiais e fronteiriças utilizam muitas vezes estas aptidões, nas suas operações.

A lealdade e dedicação de um cão permitem que trabalhem, substituindo algumas deficiências humanas. O cão de assistência define-se como um importante auxílio para pessoas com deficiência, abrangendo os cães-guia para cegos, os cães para surdos e os cães de serviço em que estes últimos são os cães para auxiliar pessoas com deficiência mental, orgânica ou motora. A utilização de cães de assistência contribui decisivamente para a autonomia, autossuficiência e independência das pessoas com deficiências, bem como para a sua integração e participação na sociedade.

Independentemente do tipo de trabalho que realizem, todos, têm por base, uma relação forte e harmoniosa entre o homem e o cão. Deve-se reconhecer atentamente a capacidade do cão e deve-se assumir a responsabilidade de adequar o nível de exigência do trabalho ou do desporto às condições físicas e de saúde do animal.

É um privilégio para o homem ter o prazer de conviver com um animal com o poder de aprendizagem e dedicação do cão. Para mim, a nobreza que estes animais demonstram, inspiram-me e fazem-me sentir ainda mais orgulhosa de ser Veterinária!

Autor: 
Sónia Miranda - Médica Veterinária
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock