Saúde Mental

Falar da doença psicológica é ainda tabu

Atualizado: 
15/02/2019 - 16:42
O Dia Mundial do Doente, que se assinalou no passado dia 11 de fevereiro, nasceu da pertinência de sensibilizar a sociedade para a necessidade de apoiarmos o doente físico, mas também o doente psicológico. Num só dia chamar à atenção para importância de podermos ajudar a pessoa doente no seu bem-estar físico, mental e social, todos os dias.

Na sociedade de hoje, falar da doença física é normal, mas falar da doença psicológica é ainda tabu, porque é algo que não vemos e, muitas vezes, desconhecemos o que sente alguém com problemas psicológicos. A doença psicológica é algo que não se vê, sente-se.

Falar do que sentimos é estranho, falar das emoções é muitas vezes interpretado como sinal de fraqueza, e muitas vezes desvalorizado.

Neste sentido é essencial percebermos as necessidades do doente como um todo, física e mental, uma vez que muitas das doenças físicas podem levar a futuras doenças psicológicas e vice-versa. A vivência da doença física pode ser de tal maneira intensa ou traumática que é possível desenvolver, por exemplo, níveis elevados de ansiedade, entre outras patologias do foro psicológico. Por outro lado, as doenças psicológicas podem ser de tal modo incapacitantes, que condicionam a saúde física das pessoas.

É nosso dever, enquanto prestadores de cuidados de saúde psicológica, ajudar estes doentes e familiares a desmistificar a doença psicológica, para que percebam que não estão sozinhos nesta luta. Se nos sentimos de determinada maneira e não conseguimos ultrapassar, não é porque somos fracos, mas sim, porque o que vivemos ou experienciamos é de tal forma intenso e doloroso que nos limita no nosso dia-a-dia.

A propósito deste dia tão importante, devemos parar todos e refletir sobre a importância da nossa saúde física e também da nossa saúde mental. Valorizá-las como um todo e perceber que a doença psicológica é tanto ou mais incapacitante que a doença física.

 

Autor: 
Dra. Carla Rodrigues - Psicóloga e Psicoterapeuta HBM Clínica da Mente
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Pixabay