Desenvolvimento da criança

Dormir crescendo

O sono do bebé tem um forte impacto na vida da família. Importa saber conciliar o desenvolvimento harmonioso e saudável da criança com o bem-estar e compromissos sociais da sua família.

O sono infantil é uma questão de forte impacto, que interfere na vida da família, e por isso rodeada de grande polémica, existindo correntes várias e diferentes opiniões.

Alguns especialistas defendem uma autonomia total da criança desde bebé, outros referem que certas práticas, como adormecer o bebé ao colo ou a partilha da cama com os pais, não são maus hábitos nem influenciam negativamente a qualidade do sono do bebé. Claro que nem todas as recomendações são fáceis de seguir, especialmente quando o bebé ainda é pequeno. O que realmente importa é que os pais estejam informados sobre as várias práticas e que encontrem a que melhor se adapta ao seu filho, a si e a toda a família, de forma a contribuir para o crescimento e desenvolvimento saudável da criança. Sabemos que uma noite mal dormida interfere na vida, quer da criança, quer da família. Relativamente à família, o stress aumenta, a concentração no trabalho diminui e os pais passam o dia cansados. Quando precisam de descansar, quando pensam que vão ter uma noite tranquila, lá vem mais uma noite em que a criança não dorme e reclama toda a atenção.

Crianças que dormem mal podem ter problemas de desenvolvimento
Em relação à criança, estudos indicam que na infância cerca de 90% da hormona de crescimento é libertada durante o sono. As crianças que dormem menos tempo do que o aconselhado, ou que apresentam distúrbios decorrentes do sono, podem ter problemas no desenvolvimento físico, no fortalecimento do sistema imunológico, na consolidação da memória e dificuldades no relaxamento muscular. Os picos de crescimento podem também provocar alterações ao nível do sono, do comportamento e na alimentação.

O tempo de sono recomendado estabelece períodos mínimos e máximos adequados a cada idade. No entanto, o tempo para um sono reparador varia de acordo com as características pessoais. A Fundação Nacional do Sono dos Estados Unidos da América (NSF) faz algumas recomendações sobre o tempo do sono da criança segundo a faixa etária, apresentadas no quadro seguinte:

Os padrões de sono e de alimentação vão-se estabelecendo logo após o nascimento e é fundamental definir e implementar uma rotina estável e coerente reconhecida por todos os envolvidos nos cuidados da criança (mãe, pai, avós e, mais tarde, no infantário).

Bebé com quarto próprio aos 9 meses
Nos primeiros meses o bebé pode ter dificuldade em adormecer durante o dia e/ou à noite. Ou ainda surgir o despertar noturno que pode dever-se a fome ou à dificuldade em se adaptar ao esquema dia/noite. Estudos recentes referem que o lactente deverá mudar para o seu quarto por volta dos nove meses, uma tarefa difícil e por vezes com pouco consenso no seio familiar. Assim, para promover bons hábitos de sono, desde o primeiro dia, deixamos alguns conselhos e recomendações:

  • Criar as condições necessárias para garantir um bom soninho sem perturbações, especialmente durante os períodos de sono leve (quarto com temperatura amena, evitar cobrir o bebé excessivamente para não se sentir sobreaquecido, manter o bebé aconchegado mas garantir a liberdade de movimentos de modo a que a roupa não o incomode) e evitar perturbá-lo (fazer barulho, fazer festinhas ou mexer no bebé, entrar no quarto sem necessidade).
  • A roupa que se veste ao bebé para dormir depende, essencialmente, da temperatura do quarto, que deve rondar os 18º-20º C. As roupas devem ser 100% em algodão, para minimizar o risco de alergias e irritações e permitir que a pele respire. Dar preferência a roupa da cama e pijamas simples/sacos para dormir, sem adereços complicados que se possam descoser, e que sejam práticos e fáceis de vestir (muito importante para a muda da fralda).
  • Evitar usar almofadas, cobertores, mantas ou colchas pesadas e com fibras. Podem soltar-se e ser inaladas pelo bebé durante o sono.
  • Alternar entre luz natural e escuro para habituar o bebé ao esquema noite/dia.
  • Definir e implementar uma rotina diária regular e coerente (horário fixo para comer, dormir, acordar, brincar, banho).
  • Adequar e ajustar a rotina às necessidades individuais do bebé.
  • Promover a autonomia do bebé deitando-o na cama ainda acordado em vez de o adormecer ao colo.
  • Deitar o bebé na sua cama acordado e não já a dormir.
  • O uso de um objeto de conforto como um boneco ou a chupeta é uma prática muito comum (apesar de o uso da chupeta ser algo controverso especialmente nos primeiros dias de vida, altura em que pode interferir com a amamentação. Caso o bebé rejeite a chupeta não se deve forçar o seu uso nem é necessário recolocá-la se cair durante o sono.
  • Nas primeiras noites o bebé vai ficar incomodado e pode chorar bastante, mas vai estar ao colo, ser confortado e amado pelo pai, pela mãe, ou pela avó, que estão cheios de amor para lhe oferecer. No entanto, a mãe precisa de ser firme e ficar no outro quarto enquanto não for hora de mamar novamente.

Por volta das 6 semanas de vida muitos bebés passam por uma fase de maior agitação, principalmente ao entardecer e/ou ao início da noite. Estes episódios podem ter várias causas, entre elas as cólicas que provocam choro, irritabilidade, que impedem o bebé de adormecer, além de o despertar do sono.

Cerca dos 3 meses o bebé passa a dormir mais tempo à noite e fica acordado por períodos mais longos durante o dia. Este tempo pode ser dividido por 3 a 4 sestas ao longo do dia.

Aprender a dormir de noite é uma tarefa relacionada com a maturação do sistema nervoso central, com o temperamento do bebé, e com a aprendizagem. A partir dos 8-9 meses a criança já terá adquirido a capacidade para aprender a dormir sozinha. Esta é a idade considerada ideal para o habituar a dormir no seu próprio quarto.

O bebé vai aceitar ficar na sua caminha depois de algumas noites mas isso pode não significar noites de sono sem interrupção ainda. O processo de transição, como qualquer processo de mudança requer paciência e determinação.

Estratégias a adotar para a criança dormir no seu quarto
Nas crianças mais crescidas as estratégias a adotar poderão ser determinantes para o sucesso de dormir no seu quarto.

Assim, é importante que a criança escolha alguns elementos decorativos do seu quarto. Esta transição deve ser sentida por toda a família como um marco muito importante no desenvolvimento da criança. Não podem existir cedências. A mudança de quarto deve ser gradual, mas definitiva. Não pode dormir uma noite na cama dos pais e outra na sua cama. Deve ser um passo decisivo e definitivo. Sempre que a criança se levantar a meio da noite e aparecer no quarto dos pais deve ser tranquilizada na sua cama, e não na cama dos pais. Este tipo de comportamento afetará a segurança, independência e autoconfiança da criança.

O momento da história é muito importante para tranquilizar a criança. Poderá igualmente colocar-se uma música calma e relaxante. Passar uns dias a brincar no quarto da criança com ela, colocar os bonecos preferidos no bercinho e mostrar-lhe como eles dormem felizes lá, evidenciando como pode ser bom dormir num quartinho só dele, pode ser uma boa opção.

Quando a criança começar a manifestar alguns medos, referindo por exemplo que existem monstros no quarto, este sentimento deve ser valorizado e pode ser resolvido de forma criativa. Poderá resolver-se este receio transformando a criança num detetive de monstrinhos. De lanterna e lupa na mão, pode investigar todos os cantinhos do quarto. Esta atividade deve ser realizada sem agitação, mas de forma animada.

Quando a criança está com febre, ou mais irritada, não deve ser levada à cama dos pais, Devem ser estes sempre a ir para o quarto da criança para que não haja um grande retrocesso. Se a criança regressa à cama dos pais, ela pode achar que as regras mudaram outra vez, e pode não aceitar o seu berço tão facilmente quando melhorar da febre ou do desconforto .

Para uma boa higiene do sono, e para que a criança possa ter uma noite descansada, é inevitável ter em atenção a execução de algumas atividades, tais como:

  • Evitar ver televisão ou ouvir rádio 1 hora antes de ir para a cama.
  • Evitar atividades físicas vigorosas ou excitantes 1 hora antes de ir para a cama.
  • Nunca usar a cama como lugar para brincar. A cama é destinada exclusivamente para descansar e dormir.
  • Estabelecer uma rotina de sono e evitar quebrar as regras: banho, jantar, lavar os dentes, última ida ao WC, cama e história para adormecer.

Sendo o sono uma atividade fundamental no crescimento da criança e no seu desenvolvimento cognitivo e comportamental, pensamos que a implementação de regras, e uma boa higiene do sono,  auxiliam muito na criação de um ambiente estável e adequado para que a noite seja sinónimo de sono tranquilo.


Cesaltina Rodrigues – Enfª Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica

Bibliografia
Brummelte S, Grunau RE, Zaidman-Zait A, Weinberg J, Nordstokke D, Cepeda IL. Cortisol levels in relation to maternal interaction and child internalizing behavior in preterm and full-term children at 18 months corrected age. Dev Psychobiol. 2010 Oct 28.
Lopes, R.M. F., Nascimento, R.F.L.; Souza, S. G.; Mallet, L. G.; Argimon, I.I.L. Desenvolvimento Cognitivo e motor de crianças de zero a quinze meses: um estudo de revisão. 2010. 
Mortensen, M. Fases de crescimento e desenvolvimento que modificam o sono do bebé e da criança. Guia do bebê, 2011

Cesaltina Rodrigues – Enfª Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
Francisco Fontes