Depressão e Ansiedade

TBE: a terapia do bem-estar psicológico

No âmbito do dia Mundial da Saúde Mental, que todos os anos se assinala a 10 de outubro, o Atlas da Saúde esteve à conversa com Giovanni Fava, psiquiatra mundialmente reconhecido e autor do livro “Terapia de Bem-Estar – Psicoterapia Breve para o bem-estar psicológico”, publicado pela editora PACTOR, que nos descreveu os benefícios de um novo método terapêutico livre de fármacos.

Considerada como um método de curta duração, a Terapia do Bem-Estar  (TBE) centra-se na auto-observação e interação entre paciente e terapeuta, com o intuito de promover o bem-estar psicológico e a resiliência de pacientes com depressão e ansiedade. 

Apesar de ter sido originalmente desenvolvida com o intuito de evitar recaídas na fase residual da depressão, esta terapia tem revelado resultados positivos com outro tipo de patologias, como perturbação de ansiedade generalizada, mudanças de humor, agorafobia, pânico e perturbação de stress pós-traumático, sem que os pacientes estejam medicados.

Atlas da Saúde  - Professor, em que consiste a Terapia do Bem-Estar? Quais os seus principais benefícios?

Giovanni Fava: A Terapia do Bem-Estar (TBE) é uma técnica psicoterapêutica de curta duração que se baseia na auto-observação do bem-estar psicológico e que utiliza métodos de restruturação cognitiva e comportamental.

AdS -  Que “ferramentas” são utizadas pelo terapeuta e paciente nesta terapia? Quais as principais diferenças entre esta nova técnica psicoterapêutica e a Terapia Cognitivo-Comportamental?

Giovanni Fava - A principal diferença reside no facto de as outras estratégias psicoterapêuticas se basearam no sofrimento, na angústica. São orientadas para o sofrimento, apesar terem como fim a promoção do bem-estar psicológico. Já a Terapia do Bem-Estar incide específicamente sobre o bem-estar, recorrendo à sua monitorização.

A TBE foca-se em seis domínios de funcionamento pessoal: controlo ambiental, crescimento pessoal, propósito de vida, autonomia, autoaceitação e relações positivas com os outros, com o propósito de atingir o equílibrio pessoal.

AdS - A TBE pode substituir a terapia convencional, ou seja, a Terapia Cognitivo-Comportamental?

Giovanni Fava - Não. Ela pode ser complementar ou assumir-se como alternativa.

AdS – Em termos de eficácia, pode dizer-se que é mais eficaz que a Terapia Cognitivo-Comportamental?

Giovanni Fava – A Terapia de Bem-Estar não é mais eficaz que a Terapia Cognitivo-Comportamental. Ela segue um “caminho” diferente, no entanto, três ensaios clínicos diferenciados mostraram que esta técnica reduz a taxa de recaídas na depressão.

AdS – Que patologias ou distúrbios podem beneficiar desta nova técnica psicoterapêutica?

Giovanni Fava – Alguns estudos mostram que esta terapia tem revelado resultados positivos na redução da taxa de recaídas na fase residual da depressão, mas também noutras patologias como perturbação de ansiedade generalizada, mudanças de humor, agorafobia, pânico e perturbação de stress pós-traumático.

AdS – Quantas sessões são necessárias?

Giovanni Fava – Entre 8 a 16 sessões, geralmente em semanas alternadas.

 AdS – O que é que pacientes “aprendem” com esta nova abordagem terapêutica? De que forma a TBE muda as suas vidas?

Giovanni Fava – Os pacientes aprendem a viver sob uma nova perspectiva. Há esperança na depressão!

*a Editora PACTOR acaba de disponibilizar a primeira tradução em português do livro “Terapia de Bem-Estar – Psicoterapia breve para o bem-estar psicológico”, da autoria do psiquiatra Giovanni Fava. Um manual destinado a especialistas na área da Saúde Mental e outros que pretendam aprofundar o conhecimento sobre o tema, que contou com a revisão técnica de António Barbosa, Professor Catedrático de Psiquiatria na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e coordenador do Núcleo de Psiquiatria de Ligação do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do Centro Hospitalar Lisboa Norte EPE.

Sofia Esteves dos Santos
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock