Saiba como

Prevenir o cancro da pele

Para minimizar o risco de desenvolvimento de cancro da pele, aproveite o sol com sensatez.
cancro da pele

Os primeiros sintomas de cancro da pele poderão manifestar-se nos sinais da pele, após longos períodos de exposição à radiação uv sem protector solar.

Quem está em risco?
O cancro da pele é mais comum em pessoas com mais de 50 anos ou em pessoas com exposição solar intensa ou prolongada.

 

Conselhos:

  • No que diz respeito às crianças maximize as medidas de protecção solar. Utilização regular de um protector solar com um factor de protecção elevado (30 a 50), t-shirt e chapéu.
  • Procure a sombra e não se exponha ao sol nas horas de maior calor (entre as 11h e as 17h)
  • Proteja a sua pele e os seus olhos (chapéu, t-shirt, óculos de sol)
  • Habitue gradualmente a sua pele ao sol. Evite as queimaduras solares!
  • Aplique protector solar com um factor de protecção elevado (≥ 30) a cada 2 horas.
  • Evite os solários.
  • Se, após a exposição solar, a sua pele ficar vermelha, significa que ficou efectivamente com uma queimadura solar.
  • Quando há presença de bolhas ou dor durante pelo menos dois dias, a queimadura solar é considerada grave.

Pessoas mais vulneráveis:

  • Pessoas com pele clara ou propensa a queimaduras solares;
  • Pessoas que sofreram queimaduras solares durante a infância;
  • Pessoas que passam muito tempo ao sol (por exemplo, por trabalho ou lazer);
  • Pessoas expostas a um sol intenso durante curtos períodos de tempo (por exemplo, nas férias);
  • Pessoas que utilizam solários;
  • Pessoas com mais de 50 sinais no corpo;
  • Pessoas com antecedentes familiares de cancro da pele;
  • Pessoas com mais de 50 anos de idade;
  • Pessoas que se submeteram a um transplante de órgão.

Mesmo que não pertença ao grupo de pessoas mais vulneráveis, examine regularmente a sua pele pois qualquer pessoa pode desenvolver cancro da pele.

O que procurar?
Examine a sua própria pele e a dos seus familiares uma vez por mês. Esteja atento à presença de sinais ou manchas que:

  • Mudem de tamanho, cor e/ou forma;
  • Pareçam diferentes dos outros;
  • Sejam assimétricos;
  • Sejam ásperos ou descamativos;
  • Tenham várias cores;
  • Tenham mais de 6mm;
  • Provoquem comichão;
  • Sangrem ou deitem líquido;
  • Tenham um aspecto perolado;
  • Pareçam uma ferida mas não cicatrizem.

O que fazer a seguir?
Tem um sinal ou mancha que o preocupa? Não sabe se poderá ser um problema?

É sempre melhor prevenir do que remediar. Mostre-o ao seu dermatologista.

Para mais informações sobre sinais e manchas cutâneas, bem como sobre os diferentes tipos e o que significam, vá a www.apcancrocutaneo.pt ou www.euromelanoma.org/portugal.

Fonte: 
DGS
Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock