As etapas

Parto

Conheça as fases que antecedem o tão esperado momento da maternidade.

O parto é constituído por três etapas: dilatação, expulsão e dequitadura.

Dilatação
O colo do útero, por onde o bebé passa para sair, começa a encurtar e a dilatar até chegar aos 10 cm. As contracções tornam-se cada vez mais regulares e próximas. É o período mais demorado do trabalho de parto, podendo demorar de 12 a 16 horas num primeiro filho.

Se lhe apetecer levantar e andar, pergunte à enfermeira se o pode fazer. Quando estiver deitada, procure virar-se para o lado esquerdo, para facilitar uma melhor oxigenação do feto.

Como colaborar?
No início e durante a contracção, deve inspirar profundamente pelo nariz, como se estivesse a “cheirar uma flor”, e deitar o ar fora pela boca, como para “apagar uma vela”. Quando a contracção terminar, inspire e expire profundamente. No intervalo das contracções, respire normalmente, relaxando o mais possível.

Expulsão
Começa quando a dilatação estiver completa. Pode demorar de 20 a 40 minutos no primeiro filho. O feto desce ao longo da bacia e acaba por sair para o exterior através da vagina e da vulva. Pode ser necessário efectuar um pequeno corte do períneo (espaço entre a vagina e o ânus), para facilitar a saída do feto.

Como colaborar?
A sua ajuda é preciosa. Procure seguir as instruções que lhe são dadas. Em cada contracção, inspire profundamente e, depois, não deixe sair o ar enquanto faz força; a seguir expire. Aproveite o intervalo entre duas contracções para descontrair e recuperar as forças.

Dequitadura
Depois do nascimento do bebé, é necessário retirar a placenta e as membranas que envolveram o feto. Após a saída da placenta, se tiver sido necessário cortar o períneo durante o parto, há que fazer a sutura (coser) do corte. Mas não se preocupe; não vai doer porque a zona estará anestesiada.

Como colaborar?
Deve permitir que lhe massajem a barriga para ajudar a placenta a desprender-se do útero.

Após o parto, deve ficar deitada de barriga para cima.

Se sentir que estás a perder muito sangue, chame a enfermeira.

Anestesia epidural
É uma técnica utilizada para o tratamento da dor no parto. Consiste na introdução de um cateter (tubo) na coluna lombar (espinha), através do qual são administrados os medicamentos.

Este procedimento não é doloroso para a grávida, porque antes é feita uma anestesia local da pele. No entanto, a sua colaboração é preciosa para o sucesso da técnica. Colabore com a enfermeira, fazendo o que ela lhe recomendar.

Após a anestesia, as contracções do útero e o trabalho de parto continuam a evoluir, e estará desperta, mas sem dores. Vão sendo dadas doses de analgésico, de duas em duas horas, ou sempre que se julgue necessário, até o bebé nascer. Deste modo, estará pronta a colaborar e a fazer a força necessária para o nascimento do bebé, sem a dor incomodativa.

Fonte: 
DGS
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock