Perguntas e respostas

Contraceptivo oral combinado - "Pílula"

O contraceptivo oral combinado, mais conhecido como “pílula”, é uma combinação de estrogénios e um progestativo, administrado para inibir a fertilidade da mulher.
Pilula

Como se toma?

  • Quando se inicia ou muda de pílula, começa-se a embalagem no primeiro dia da menstruação,
  • Toma-se 1 comprimido por dia;
  • Durante 21 dias seguidos;
  • Pára-se 7 dias (é neste intervalo que aparece a menstruação);
  • Recomeça-se ao 8º dia (mesmo que ainda exista a menstruação).

Qual a melhor forma de não se esquecer?
Tendo o hábito de escovar os dentes à noite, pode-se colocar a embalagem da pílula num copo com a escova e a pasta de dentes, pois a toma da pílula estará sempre associada a uma rotina diária. Para além disso, a vantagem desta combinação é que em caso de esquecimento pode sempre tomar na manhã seguinte quando voltar a escovar os dentes. Este é apenas um exemplo que pode ajudar a evitar o esquecimento.

O que fazer nos esquecimentos?
Se esqueceu de tomar a pílula fora da hora habitual, mas ainda durante as 12 horas seguintes, deve-se tomar nessa altura a pílula esquecida e a seguinte na hora habitual. Mesmo que isso corresponda a tomar 2 pílulas no mesmo dia. Neste caso não é preciso mais nenhum cuidado.

Se o esquecimento ultrapassar as 12 horas, deve-se continuar a tomar a embalagem normalmente. Porém, durante os 7 dias seguintes (sem novos esquecimentos) tem de utilizar também outros métodos contraceptivos, como por exemplo, o preservativo.

Se o esquecimento foi logo no início da embalagem e já teve relações sexuais, deve ser feita contracepção de emergência.

Quando começa a ser eficaz?
Quando se inicia a primeira embalagem no primeiro dia da menstruação, a inibição da ovulação fica assegurada logo nessa embalagem. Ou seja, a mulher não necessita de utilizar outro "cuidado contraceptivo" na primeira embalagem, se tiver respeitado a regra de começar imediatamente no primeiro dia de menstruação.

Quando deixa de ser eficaz?
Quando se interrompe uma embalagem o efeito contraceptivo passa. A mulher pode engravidar logo de seguida, sem qualquer problema, caso assim o deseje. Não é preciso aguardar nenhum tempo para poder engravidar em segurança.

O que interfere na sua eficácia?

  • Esquecer-se de tomar, nem que seja um comprimido;
  • Tomar simultaneamente antibióticos;
  • Vomitar;
  • Ter diarreia;
  • Tomar outros medicamentos, como por exemplo, os anti-epilépticos;
  • O chá de hipericão é um produto "natural" que diminui a eficácia da pílula;

O que são os "descansos da pílula"?
Muitas mulheres continuam ainda a fazer aquilo a que chamam "descanso da pílula", ou seja, não a tomam durante um ciclo.

Está cientificamente demonstrado que não é necessário interromper a toma da pílula, excepto quando se quer engravidar. Não diminui a ocorrência de efeitos secundários, nem altera a fertilidade (ou seja, não torna mais difícil vir a engravidar se fizer a pílula vários anos sem pausa).

Tenha consciência que que muitas mulheres engravidam quando fazem "descansos".

A pílula engorda?
É um mito, o de que as pílulas engordam. O aumento de peso é pouco frequente. O que acontece mais frequentemente é as mulheres aumentarem de peso por outras causas e depois "culparem" a pílula por isso. Quando se para de tomar a pílula e o peso não volta ao normal, mostra que a variação de peso não tinha a ver com a sua toma.

Faz mal menstruar pouco quando estou a tomar a pílula?
Não tem qualquer risco para a saúde, nem diminui a fertilidade.

Significa apenas que o endométrio – o "forro" do útero – se tornou mais fino sob o feito da pílula.

É até um efeito benéfico e confortável da pílula. Por isso, as pílulas são muitas vezes usadas para tratar as mulheres que perdem muito sangue na menstruação.

Se tomar muitos anos a pílula, será que terei dificuldade em engravidar?
Não, a pílula não diminui a fertilidade, mesmo quando é feita durante muitos anos seguidos. Algumas mulheres fazem "descansos " da pílula com a ideia errada de que a toma mantida da pílula pode diminuir a fertilidade. Não tem qualquer base científica.

Terei algum problema se tiver uma perda de sangue pelo meio da embalagem?
Se tiver ocorrido alguma das situações que diminuem a eficácia da pílula, a perda de sangue deve-se muito provavelmente apenas a este facto. Deve-se manter a toma da pílula regular.

E se não menstruar no fim da embalagem?
Se houve alguma situação de interferência e não tomou cuidados contraceptivos extra, deve fazer um teste de gravidez. Se for negativo, recomeça-se a nova embalagem na altura prevista.

Se não aconteceu nada que interferisse com a eficácia da pílula, pode ser normal. Nalgumas pílulas mais recentes, o fluxo menstrual pode ser muito escasso ou nulo, sem problemas para a saúde da mulher. Se se sentir mais segura, pode realizar um teste de gravidez e recomeçar uma nova embalagem na altura prevista.

Estou protegida de engravidar nos 7 dias de intervalo de uma embalagem?
Se a toma da pílula foi regular e sem falhas, nos 7 dias de intervalo estará protegida.

Se não estiver com o meu namorado ou companheiro durante alguns meses, paro de tomar a pílula durante esse período de tempo?
Não, não há necessidade de suspender a pílula. A pílula além do seu efeito contraceptivo também tem outros benefícios como a regularização dos ciclos menstruais, a melhoria da dismenorreia (dores muito fortes durante a menstruação)e da tensão pré-menstrual. O uso da pílula também contribui para a prevenção de uma série de doenças como o cancro do ovário e do endométrio, os quistos funcionais do ovário, a doença fibroquística da mama e a doença inflamatória pélvica.

Terei algum problema se, por engano, tomar dois comprimidos no mesmo dia?
Não, actualmente as pílulas têm doses muito pequenas, pelo que tomar duas pílulas não afecta a saúde. Há alguns anos, as pílulas tinham doses mais elevadas.

Quais as contra-indicações da pílula?
As contra-indicações para o uso da pílula são: gravidez, hipertensão arterial, hemorragia genital anormal, doença hepática, tabagismo nas mulheres com mais de 35 anos, neoplasia hormonodependente, cefaleias tipo enxaqueca, trombose venosa profunda ou tromboflebite em curso, diabetes Mellitus com complicações vasculares, doença vascular cerebral ou coronária, hiperlipidémia, colelitíase e outras doenças cujo terapêutica possa interferir com a pílula (epilepsia, tuberculose).

Quando é que devo contactar o meu médico sobre a pílula?
Quando há o diagnóstico de alguma doença ou situação acima referidas, ou sempre que surja alguma dúvida ou queixa. Nunca interromper o método sem antes contactar os profissionais de saúde que fizeram a prescrição.

Fonte: 
DGS
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock