Gestão da qualidade

Ar interior

A gestão da qualidade do ar interior implica uma correcta gestão das fontes de poluentes, a partir da sua remoção do edifício, isolamento em relação aos seus ocupantes ou redução da sua utilização.

Deverá existir ventilação adequada, de modo a eliminar as fontes de poluição do interior do edifício, bem como uma correcta instalação e manutenção de filtros para o ar exterior.

Existem algumas medidas preventivas que deverão ser adoptadas nos locais de trabalho, no sentido de melhorar a qualidade do ar no interior de edifícios, tais como: boa concepção dos edifícios e do sistema de ventilação, tendo em atenção o número de ocupantes previsto para cada espaço e os locais onde é efectuada a tomada de ar do exterior; instalação de equipamento poluente em compartimentos isolados e com ventilação adequada; criação de áreas próprias destinadas a fumadores; manutenção periódica dos sistemas de ar condicionado; colocação do mobiliário de escritório de forma a não dificultar a circulação do ar; manutenção das instalações em perfeito estado de limpeza; armazenamento de géneros alimentícios em locais adequados para o efeito; despejo frequente dos contentores de lixo, de modo a dificultar a multiplicação microbiológica; realização da vigilância periódica da qualidade do ar interior.

Relativamente ao radão (um gás nobre), a solução passa por uma ventilação adequada das habitações. As concentrações anuais de radão interior apresentam normalmente uma variação sazonal, sendo mais elevadas no Inverno, quando há maior tendência para manter janelas fechadas, diminuindo a ventilação dos edifícios. As recomendações internacionais estabelecem valores limite para as concentrações anuais de radão os valores de 400 Bq/m3 para edifícios existentes e de 200 Bq/m3 novos edifícios. O Departamento de Protecção Radiológica e Segurança Nuclear do Instituto Tecnológico e Nuclear presta um serviço de medição das concentrações de radão em habitações e locais de trabalho, podendo ser contactado para o efeito.

Nas construções futuras poderão ser implementadas medidas adicionais de precaução, de natureza simples, mas eficazes, como a impermeabilização do chão com telas ou a construção de almofadas de ar sob os edifícios para ventilar o radão para o exterior antes de este poder penetrar nas habitações.

Uma escolha cuidadosa dos materiais de construção terá também grande impacto na redução dos níveis de radioactividade no interior das habitações.

Fonte: 
DGS
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Foto: 
ShutterStock