O que nos diz a Naturopatia

Alergias Sazonais: prevenção também se faz à mesa

Olhos lacrimejantes, nariz entupido, dor de garganta, comichão ou espirros são alguns dos principais sintomas de alergia. As alergias sazonais, caracterizadas por aparecerem sempre em épocas específicas do ano, têm vindo a aumentar. Para a naturopata Vera Belchior, a alimentação processada, rica em açúcar e gordura, tem contribuído para o agravamento desta condição.

A alergia é uma resposta inadequada e exagerada do nosso sistema imunitário a substâncias habitualmente inofensivas, designadas de alérgenos.

“Na presença de um agente causador de alergia a reação do corpo pode assumir muitas formas, entre elas, uma reação inflamatória com precipitação de sangue e/ou muco na área de contacto ou local de invasão”, começa por explicar Vera Belchior.

De acordo com a naturopata esta reação é, geralmente, saudável e normal e ocorre como forma de proteção. “O que não é normal é quando o corpo aumenta este tipo de resposta contra algo que não é de facto uma ameaça para o corpo, como a relva, o tomate ou as penas”, diz.

Entre os principais alérgenos encontram-se algumas substâncias presentes no ar, produtos químicos, alguns pólenes e pelos de animais. “Segundo a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, a Rinite é a alergia mais frequente, afetando cerca de 2,5 milhões de portugueses, onde se junta a asma a um terço destes”, adianta Vera Belchior quanto aos dados oficiais.

A alergia sazonal ocorre sempre na mesma época do ano e é, habitualmente, despoletada pela presença de elevadas concentrações de pólenes no ar, ocorrendo sobretudo em dias quentes, secos e com vento.

A Primavera é a estação da alergia por excelência, apresentando um período crítico que se pode estender entre os meses de março a julho.

“As alergias sazonais trazem consigo uma série de sintomas desagradáveis, incluindo olhos lacrimejantes, comichão, espirro, nariz congestionado e dor de garganta, entre outros, que podem perturbar o dia-a-dia de quem delas sofre”, refere a especialista em naturopatia.

Sprays nasais de corticosteroides, anti-histamínicos e descongestionantes são recomendados para aliviar os sintomas.

No entanto, de acordo com Vera Belchior, é na alimentação que está a chave para o tratamento e prevenção da alergia. “A alimentação é extremamente importante, diria até que é a base de qualquer tratamento de saúde, pois nos nutrientes encontram-se componentes que nos vão ajudar a combater as mais diversas patologias, incluindo as alergias”, afirma.


Saiba mais sobre a especialista na página: www.verabelchior.com

Sabendo que 70% do nosso sistema imunitário se encontra localizado no intestino é compreensível, na opinião desta especialista, que “as alergias sejam impactadas e pioradas pela má saúde intestinal”, sendo um reflexo daquilo que comemos. Não é, portanto, de admirar que o número de doentes alérgicos tenha vindo a aumentar, sobretudo, nos países desenvolvidos onde se regista um maior consumo de alimentos processados e ricos em açúcar e gordura.

Deste modo, “o tratamento de uma pessoa que sofre de alergias deve sempre começar pela sua base, ou seja, pelos intestinos devido à relação que estes têm com as reações alérgicas”, explica a naturopata.

Segundo Vera Belchior, os indivíduos que tomam probióticos, por exemplo, apresentam uma redução dos sintomas de lacrimejamento do olho, comichão, rinirreia e bloqueio nasal. “Por outro lado, vamos tendo cada vez mais a noção que os baixos níveis de vitamina D também influenciam o desenvolvimento de alergias, pelo que é sempre um plus verificar se os seus níveis de vitamina D se encontram em conformidade com os valores de referência”, acrescenta.

Juntamente com a alimentação, a Naturopatia faz uso de plantas com propriedades anti-inflamatórias e anti-histamínicas eficazes. “Em Portugal, encontramos, quase em qualquer canto, uma das plantas mais eficientes para alergias: as urtigas. Embora não lhe seja dado grande crédito, as urtigas possuem propriedades anti-histamínicas que podem ser muito úteis a pessoas que sofrem de alergias”, refere a especialista.

A cebola e o alho são dois alimentos que se destacam no combate à alergia. “São ótimos alimentos com propriedades anti-alergénicas. Além da quercetina, ambos os bulbos inibem uma enzima, a lipoxigenase, que gera um produto químico inflamatório, pelo que a alimentação é um pilar importantíssimo para nos ajudar a recuperar das alergias”, afiança Vera.

No entanto, não se pense que estamos a falar de uma cura. “O conceito de cura é muito relativo, pois a eficácia dos tratamentos depende muito de pessoa para pessoa, bem como das alterações que esta se compromete a realizar para que possa ver a sua condição resolvida. Na maioria dos casos, consegue-se controlar as reações alérgicas para que não incomodem com a mesma intensidade, mas não nos podemos referir a esse benefício como cura”, adverte a especialista em naturopatia.

Em matéria de prevenção, Vera Belchior deixa o conselho: deve eliminar o consumo de lacticínios (queijo, leite e manteiga) e apostar no consumo de hortícolas, “que além de serem uma fonte essencial de nutrientes, também alimentam as boas bactérias intestinais que como consequência beneficiam o nosso intestino e fortalecem o sistema imunitário”.

Sofia Esteves dos Santos
Nota: 
As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico, Enfermeiro, Farmacêutico e/ou Nutricionista.
Foto: 
ShutterStock